CÂNCER EM IDOSOS: REVISÃO NARRATIVA DAS DIFICULDADES NA ACEITAÇÃO DA DOENÇA E NO TRATAMENTO

Palavras-chave: Saúde do Idoso. Neoplasias. Percepção. Emoções. Perspectiva do Paciente.

Resumo

Objetivo: Descrever, com base na literatura, as dificuldades enfrentadas por idosos na aceitação do diagnóstico e no tratamento do câncer. Método: Trata-se de um estudo de revisão narrativa da literatura com abordagem qualitativa. O levantamento literário foi realizado nas bases: Biblioteca Virtual Em Saúde, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Scientific Eletronic Library Online e a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Resultado e Discussão: As percepções dos idosos a respeito do câncer é enxergada de maneira mais positiva. Muitos acreditam que as chances de vitória contra a patologia dependem da época em que o diagnóstico é encontrado, na qual pode estar relacionado a uma frequência maior de atendimento médico nessa faixa etária. Conclusão: Ao avaliar a aceitação do idoso em relação ao diagnóstico de câncer, observamos que a doença produz importantes consequências na sua vida, principalmente, psicológicas, afetando diretamente o seu cotidiano. Durante o tratamento pode haver conflitos de sentimentos como tristeza, ansiedade e, sobretudo, o medo da morte.

Biografia do Autor

Lucas Bandeira Resende, Universidade Paulista UNIP

Graduando em Enfermagem pela Universidade Paulista Unip.

Orcid: http://orcid.org/0000-0001-9654-7868

Iel Marciano de Moraes Filho, Universidade Paulista UNIP

Possuo graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2014). Especialização em Enfermagem do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2016). Mestre em Ciências Ambientais e saúde pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2017). Orcid: http://orcid.org/0000-0002-0798-3949 Lattes: http://lattes.cnpq.br/4540309486777873. E-mail: ielfilho@yahoo.com.br

Referências

1. Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). ABC do Câncer. Abordagens básicas para o controle do Câncer. Rio de Janeiro: INCA; 2018.
2. Geovanini FCM. Notícias que (des)enganam: o impacto da revelação do diagnóstico e as implicações éticas na comunicação de más notícias para pacientes oncológicos [dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca/FIOCRUZ; 2011.
3. Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2016: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2015 [citado 15 may 2020]. Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/estimativa-2016-v11.pdf
4. Danaei G, Hoorn SV, Lopez AD, Murray CJL, Ezzati M, Comparative Risk Assessment collaborating group (Cancers). Causes of cancer in the world: comparative risk assessment of nine behavioural and environmental risk factors. Lancet. 2005;366(9499):1784-93.
5. Miranda TC, Kaliks RA, Jacob Filho W, Giglio AD. Breast cancer in elderly women – perspective of geriatricians. Einstein. 2008;6(1):90-2.
6. Braz IFL, Gomes RAD, Azevedo MS, Alves FCM, Seabra DS, Lima FP, et al. Análise da percepção do câncer por idosos. Einstein. 2018;16(2):1-7.
7. Severo IM. Alterações do modo de viver de idosos com câncer [dissertação]. Porto Alegre: Escola de Enfermagem/UFRGS; 2008.
8. Teixera MH. Aspectos psicológicos da velhice. In: Saldanha AL, Caldas CP, editors. Saúde do Idoso: a arte de cuidar. Rio de Janeiro: Interciência; 2004. p. 312-15.
9. Costa JE, Simpson CA, Mendonça AEO, Isoldi DMR, Silva RSC, Silva NRC. Percepção e impacto da dor na vida de idosos com doença oncológica. Rev Rene. 2016; 17(2): 217-24.
10. Salci MA, Marcon SS. Enfrentamento do câncer em família. Texto Contexto-Enferm. 2011; 20(spe):178-186.
11. Teixeira LA, Fonseca CO. De doença desconhecida a problema de saúde pública: o INCA e o controle do Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde; 2007.
12. Rocha LS, Beuter M, Neves ET, Leite MT, Brondani CM, Perlini NMOG. O cuidado de si de idosos que convivem com câncer em tratamento ambulatorial. Rev Text Context-Enferm. 2014; 23(1):29-37.
13. Baracho LR, Lourenço JS, Vieira KFL. A percepção de jovens e idosos acerca do câncer. Anais CIEH. 2015;2(1):1-5.
14. Karnakis T. Oncogeriatria: uma revisão da avaliação geriátrica ampla nos pacientes com câncer. RBM. 2011;68(5 esp):8-12.
15. Costa MCC, Teixeira LA. As campanhas educativas contra o câncer. Hist Cienc Saude-Manguinhos. 2010;17(suppl 1):223-41.
16. Santos, M. O idoso na comunidade: atuação da enfermagem. In: Papaléo Neto, M. Tratado de Gerontologia. 2 ed. São Paulo: Atheneu; 2007. p. 403-413.
17. Rotoli A. Trajetórias terapêuticas e redes sociais de pacientes portadores de câncer: assimetrias no atendimento em um município da região Noroeste do Rio Grande do Sul [dissertação]. Porto Alegre: Escola de Enfermagem/UFRGS; 2007.
18. Anjos ACY, Zago MMF. A experiência da terapêutica quimioterápica oncológica na visão do paciente. Rev Latino-Am Enferm. 2006;14(1):33-40.
19. Bonassa EMA, Santana TR. Conceitos gerais em quimioterapia antineoplásica. In: _______. Enfermagem em Terapêutica Oncológica. São Paulo: Atheneu; 2005. p. 3-19
20. Kreuz G. Autonomia decisória do idoso com câncer: percepção do idoso, família e da equipe de saúde [tese]. São Paulo: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde/PUCSP; 2017.
Publicado
2020-06-12
Como Citar
Resende, L. B., & Filho, I. M. de M. (2020). CÂNCER EM IDOSOS: REVISÃO NARRATIVA DAS DIFICULDADES NA ACEITAÇÃO DA DOENÇA E NO TRATAMENTO. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(6), 159-169. https://doi.org/10.5281/zenodo.3891905