ERROS NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS: CONDUTA DO FARMACÊUTICO

Palavras-chave: Erros de Medicação. Equipe de Farmacêuticos e Segurança do Paciente.

Resumo

O artigo intitula-se por “equívocos na administração de medicamentos: conduta do farmacêutico”.  Seu objetivo é apresentar os erros na administração de medicamentos e sua implicação na segurança dos pacientes, no formato de método, em revisão bibliográfica. O tema justifica-se devido ao fato de atualmente, ocorrer situações de má administração de medicamentos, e em muitos casos, as consequências são irreversíveis. Busca-se apresentar a implicação na segurança do paciente ao acontecer a má administração da medicação. O levantamento de dados ocorreu na base de dados Lilacs, Scielo e Bireme. Foram selecionados um total de 50 artigos para análise sucinta e criteriosa. Um total de 20 artigos foram descartados, por não possuírem os requisitos da pesquisa, que são artigos e teses com data a partir de janeiro de 2014. Na coleta restou, um montante de 30 artigos, que foram apreciados como embasamento teórico para o desenvolvimento do artigo científico. Conclui-se que, o farmacêutico deve ser e estar o mais qualificado possível, por está atendendo um paciente que em muitos casos, já encontra-se debilitado em seu quadro patológico, e de fato, uma intoxicação com medicamentos agravaria o quadro do paciente. 

Biografia do Autor

Alan de Souza Portela Passos, Faculdade Sena-Aires, FACESA, Valparaíso-GO

Graduando em farmácia 8° período pela Faculdade Sena-Aires - FACESA, Valparaíso -GO.

E-mail: alansouzaportela@gmail.com 

 

Guilherme Eufrazio Diniz, Faculdade Sena-Aires, FACESA, Valparaíso-GO

Graduando em farmácia 8 °período pela Faculdade Sena-Aires, FACESA, Valparaíso-GO.

E-mail: gui.meuton@gmail.com

 

Clézio Rodrigues de Carvalho Abreu, Faculdade Sena-Aires, FACESA, Valparaíso-GO

Mestre em Farmacologia Toxicologia e Produtos Naturais no curso de Ciências da Saúde - UNB; Especialista em Farmacologia Clínica - UNB; Especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica - UFSC; Especialista em Didática do Ensino Superior - FACESA; Possui graduação em Farmácia - FACESA (2009). Professor de Pós Graduação em Farmacologia Clínica; Tem experiência na área de Farmacologia Clínica, Gestão da Assistência Farmacêutica e Acompanhamento Farmacoterapêutico.

Referências

Albuquerque, V. M. T. Avaliação de Indicadores de Medicamentos: Importância para a Qualidade na Prescrição Médica. R. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde, São Paulo, v. 2 n.3, p. 31 -35, 2018.

Angelucci M. E. M. Riscos da automedicação. Publicação do projeto de extensão “Riscos da Automedicação” do Departamento de Farmacologia do Setor de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, 2014.

Bolzan M. H. Intervenções farmacêuticas para uso racional de medicamentos. Rio de Janeiro, 2018.

Bortolon P. C. Automedicação versus indicação farmacêutica: o profissional de farmácia na atenção primária a saúde do idoso. Rev. APS, Juiz de Fora, v. 10, n. 2, p. 200-209, jul./dez. 2017.

Brasil. Conselho Federal De Farmácia. Resolução 357, De 27 De Abril De 2001. In: Conselho Federal de Farmácia. A Organização Jurídica da Profissão Farmacêutica. 3 ed. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 2015, 342 p.

Carrin, G. Universal coverage of health services: tailoring its implementation. Bulletin of the World Health Organization, Geneva, v. 86, n. 11, p. 857-863, 2008. CFF. XV Encontro Paulista de Farmacêutico. Farmacêutico do futuro. Revista do Farmacêutico. Publicação do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Abr./Mai. 2015, n. 121.

Costa, LA, Valli C, Alvarenga AP. Medication dispensing errors at a public pediatric hospital. Rev Latino-am Enfermagem. 2018;16(5):812-7. 37. Barker KN; Allan EL. Research on drug-use-system errors. Am J Health Syst Pharm. 1995;52(4):400-3.

Ferraes, A. M. B. Política de medicamentos na atenção básica e a assistência farmacêutica no Paraná. Londrina, 2017.

Galato, D. A dispensação de medicamentos: uma reflexão sobre o processo para prevenção, identificação e resolução de problemas relacionados à farmacoterapia. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, vol.44, n.3, jul./set., Tubarão, 2018.

Marin, N. Assistência Farmacêutica Para Gerentes Municipais. Rio De Janeiro: OPAS/OMS, 2015.

Melo, A. C. Atenção farmacêutica hospitalar - resultados dos acompanhamentos no Hospital da Baleia - BH - MG. Revista Espaço para Saúde, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, 2014. National Coordinating Council for Medication Error Reporting and Prevention. Taxonomy of medication errors – 2019 [on line]. [cited 2001 Nov 19] Available from: http://www.nccmerp. org/public/aboutmederror.htm.

Otero, López MJ, Castaño Rodriguez B, Pérez Encinas M, Codina Jane C, Tamés Alonso MJ, Sánchez Muñoz T. Actualización de la calssificación de errores de medicación del grupo Ruiz-Jarabo 2016. Farm. Hosp. 2018;32(1):38-52. 34.

Portela, A. S. Indicadores de prescrição e de cuidado ao paciente na atenção básica do município de Esperança, Paraíba. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v.21, n.2, p.347, 2017.

Rosa, MB, Perini E, Anacleto TA, Neiva HM, Bogutchi T. Erros na prescrição hospitalar de medicamentos potencialmente perigosos. Rev. Saúde Pública 2019. 6(43): 490-8.

Silva, A.E.B Problemas na comunicação: uma possível causa de erros de medicação. Acta Paul Enferm., Goiânia, v.20, n.3, p.272-276, 2017.

Vieira, F. S. Possibilidades de contribuição do farmacêutico para a promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.
Wong A. Os usos inadequados e os efeitos adversos de medicamentos na prática clínica. Jornal de Pediatria. Porto Alegre, v. 79, n. 5, 2014.

Yu Kh, Nation RL, Dooley MJ. Multiplicity of medication safety terms, definitions and functional meanings: when is enough? Qual Saf Health Care. 2015; 14(5):358-63.
Publicado
2020-09-08
Como Citar
Passos, A. de S. P., Diniz, G. E., & Abreu, C. R. de C. (2020). ERROS NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS: CONDUTA DO FARMACÊUTICO. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 143-151. https://doi.org/10.5281/zenodo.4019123