PISA E AS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS MÉDIAS POR REGIÕES BRASILEIRAS

Palavras-chave: Avaliação Externa; Políticas Públicas em Educação; PISA.

Resumo

Este artigo trata de um estudo do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes - tradução de Programme for International Student Assessment (PISA), tendo como objetivo geral, analisar a relevância da conjugação dos resultados das avaliações externas comparativamente com os indicadores sociais para a efetiva melhoria da qualidade da educação. Especificamente, identificar as conexões intrínsecas entre as médias de desempenho de estudantes e as desigualdades sociais; verificar como à qualidade da educação constitui uma realidade substancialmente diferentes entre países e regiões; identificar nos resultados se evidenciam uma realidade social desigual; revistar se a educação brasileira deve ser melhorada para se alcançar uma educação uniforme e de qualidade em todo o Brasil. Como método, optou-se pelo uso de pesquisas exploratória e bibliográfica, caracterizada como qualitativa explicativa.  Extraiu-se os elementos com elos na produção de conhecimentos do tema investigado. Procedeu-se uma análise substancial estatística de forma quantitativa. Verificou-se em alguns dos resultados analisados, evidências que tangenciam o desenvolvimento das práticas extraescolares nos processos de ensino e aprendizagens; na edição de 2018 das aplicações das provas os dados foram estratificados por regiões brasileiras; interpretou-se o domínio da leitura em algumas unidades da federação brasileira. Conclui-se, ser imprescindível ouvir as vozes regionais, dialogar com as gestões, docentes, discentes, atores envolvidos na comunidade escolar, sociedade civil, levantar dados do local acerca dos aspectos socioeconômico, propor a implantação de projetos e a implementação de programas na finalidade e oferecer uma educação de qualidade para todos.

Biografia do Autor

Cristiane Alves Cardoso, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Mestranda em Educação pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Especialista em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar pela Universidade de Brasília (UnB); Licenciatura em Ciências Biológicas pela Faculdade Integradas da Terra de Brasília (FTB) e Pedagoga pelo Centro de Ensino Superior do Brasil (CESB). Atualmente, servidora pública municipal lotada na Secretaria Municipal de Educação de Santo Antônio do Descoberto/GO.

 

 

Valdivina Alves Ferreira, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Doutora em Educação pela Pontífica Universidade Católica de Goiás (PUC – Goiás) e professora do Programa de Pós-Graduação stricto sensu (Mestrado e Doutorado) em Educação da Universidade Católica de Brasília (UCB).

Referências

ALAVARSE, O. M.; MACHADO, C. M.; ARCAS, P. H. Avaliação externa e qualidade da educação: formação docente em questão. Revista Diálogo Educacional, v. 17, n. 54 (2017), ISSN 1518-3483. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/21950. Acesso em: 10 jun. 2020.

ALVES, G. C. Resultados do Pisa 2015 e seu uso para a formulação de políticas públicas em educação. 2018. 76 f., il. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração). Universidade de Brasília, Brasília, 2018. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/32736. Acesso em: 10 jun. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 05 jun. 2020.

BRASIL. IBGE. Indicadores Sociais Mínimos – ISM. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/condicoes-de-vida-desigualdade-e-pobreza/17374-indicadores-sociais-minimos.html?=&t=resultados . Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua. 2018 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Disponível em:https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/17270-pnad-continua.html?edicao=27138&t=resultados. Acesso em 08 jun. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Relatório Brasil no PISA 2018 - versão preliminar. Brasília-DF

DIAS SOBRINHO, J. Campo e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: FREITAS, L. C. (org.). Avaliação. Construindo o campo e a crítica. 1. ed. Florianópolis: Insular, 2002.

DOURADO, L. F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 921-946, out. 2007.

FERREIRA, L. A. M.; NOGUEIRA, F. M. B. (2016). Impactos das políticas educacionais no cotidiano das escolas públicas e o plano nacional de educação. Arquivo Brasileiro de Educação, 3(5), 102-129. Disponível em: https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2015v3n5p102. Acesso em: 10 jun. 2020.

FREITAS, D. N. T. A avaliação da educação básica no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

HORTA NETO, J. L. Um olhar retrospectivo sobre a avaliação externa no Brasil: das primeiras medições em educação até o SAEB de 2005. Revista Iberoamericana de Educación (On-line), v. 42, p. 1-14, 2007. Disponível em: https://rieoei.org/RIE/article/view/2398 . Acesso em: 08 jun. 2020. Inep/MEC, 2019.

LUCKESI, C. C. Avaliação Educacional Escolar: para além do autoritarismo. In:Capítulo II: Avaliação da aprendizagem escolar. 7ed. São Paulo: Cortez, 1998.

OLIVEIRA, João Batista de. PISA: resultados das regiões Norte e Nordeste bem abaixo das demais. Site Veja, reportagem veiculada em dezembro de 2019. Disponível em: https://veja.abril.com.br/blog/educacao-em-evidencia/pisa-resultados-das-regioes-norte-e-nordeste-bem-abaixo-das-demais/ . Acesso em 15 jun. 2020.

PETERS, B. G. (1986) American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House.

RATIER, R. Nove motivos para desconfiar do PISA. In Nova Escola, 20 de Dezembro de 2016. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/4697/nove-motivos-para-desconfiar-do-pisa. Acesso em: 12 jun. 2020.

RODRIGUES, M. M. A. Políticas Públicas. São Paulo: Publifolha, 2010.

SCHLEICHER, A. Primeira classe: como construir uma escola de qualidade para o século XXI. Tradução de Dani Gutfreund e Lenice Bueno. Paris: OECD Publishing; São Paulo: Fundação Santillana, 2019.

Site Terra Educação. ES lidera lista de educação no Brasil; Nordeste ocupa últimas posições. Reportagem veiculada em dezembro de 2013. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/educacao/es-lidera-lista-de-educacao-no-brasil-nordeste-ocupa-ultimas-posicoes,49a94978c58b2410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html . Acesso em 15 jun. 2020.

TERRASÊCA, M. Autoavaliação, avaliação externa: afinal para que serve a avaliação das escolas? Cad. Cedes, Campinas, v. 36, n. 99, p. 155-174, maio-ago., 2016. Pag. 155. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v36n99/1678-7110-ccedes-36-99-00155.pdf. Acesso em: 12 jun. 2020.

Publicado
2020-09-12
Como Citar
Cardoso, C. A., & Ferreira, V. A. (2020). PISA E AS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS MÉDIAS POR REGIÕES BRASILEIRAS. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 164-176. https://doi.org/10.5281/zenodo.4025488