ASPECTOS PSICOLÓGICOS DOS CUIDADOS DISPENSADOS AOS PACIENTES TERMINAIS

Palavras-chave: Assistência Paliativa. Cuidados Paliativos. Enfermagem de Cuidados Paliativos na Terminalidade da Vida. Paciente Terminal. Sistema de Apoio Psicológico.

Resumo

O tema deste artigo é aspectos psicológicos dos cuidados dispensados aos pacientes terminais. Investigou-se o seguinte problema: “como a assistência psicológica melhora os cuidados paliativos?”. Cogitou-se a seguinte hipótese “a assistência psicológica garante mais integralidade, resolutividade e humanização no atendimento”. O objetivo geral é “compreender o impacto da assistência psicológica no cuidado paliativo”. Os objetivos específicos são: “entender o cuidado paliativo”; “descrever a importância da equipe multidisciplinar”; “compreender a importância da assistência psicológica no cuidado paliativo”. Este trabalho é importante para o profissional de Enfermagem devido à relevância da assistência integral ao paciente terminal; para a ciência, é relevante por permitir entender a atual assistência paliativa; agrega à sociedade pelo fato de estimula a construção de modelos de cuidado humanizados. Trata-se de uma pesquisa qualitativa teórica com duração de seis meses.

 

Biografia do Autor

Meirilândia Cruz Mota, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Graduanda em Enfermagem pela Unip (Universidade Paulista). CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0519291743389535. ORCID: http://orcid.org/0000-0001-6798-3804. E-mail: meiresaudebsb@gmail.com.

Débora Adriana Ramos, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Mestre em Psicologia. CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8157104994909882. ORCID: http://orcid.org/0000-0003-0683-5466. E-mail: psicologa.ramos@gmail.com.

Jonas Rodrigo Gonçalves, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Doutorando em Psicologia; Mestre em Ciência Política (Direitos Humanos e Políticas Públicas); Licenciado em Filosofia e Letras (Português e Inglês); Especialista em Direito Constitucional e Processo Constitucional, em Direito Administrativo, em Direito do Trabalho e Processo Trabalhista, entre outras especializações. Professor das faculdades Processus (DF), Unip (SP) e Facesa (GO). Escritor (autor de 61 livros didáticos/acadêmicos). Revisor. Editor. CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6904924103696696. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-4106-8071. E-mail: jonas.goncalves@institutoprocessus.com.br.

Referências

ALMEIDA, F.A.; MORAES, M.S.; CUNHA, M.L.R. Cuidando do neonato que está morrendo e sua família: vivências do enfermeiro de terapia intensiva neonatal. Revista Esc. Enfermagem, v. 50, n. esp., 2016.

ALMEIDA, H.R.A.; MELO, C.F. Práticas de ortotanásia e cuidados paliativos em pacientes com câncer terminal: uma revisão sistemática da literatura. Revista Enfermería Global, v. 51, n. 1, 2018.

ATTY, A.T.M.; TOMAZELLI, J.G. Cuidados paliativos na atenção domiciliar para pacientes oncológicos no Brasil. Revista Saúde em Debate, v. 42, n. 116, 2018.

BARROS; K.G.G.; GONÇALVES, J.R. Aspectos psicológicos que envolvem os cuidados paliativos pediátricos. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 2, n. 5, 2019.

BASTOS, R.A.; QUINTANA, A.M.; CARNEVALE, F. Angústias Psicológicas Vivenciadas por Enfermeiros no Trabalho com Pacientes em Processo de Morte: Estudo Clínico- Qualitativo. Trends Psychol., v.26, n. 2, 2018.

BRASIL. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução n. 03/2016. Altera a Resolução CFP n. 013/2007, que institui a Consolidação das Resoluções relativas ao Título Profissional de Especialista em Psicologia e dispõe sobre normas e procedimentos para seu registro, 2016.

CAMPBELL, M.L. Nurse to nurse: cuidados paliativos em enfermagem. Porto Alegre: Artmed Mcgraw Hill; 2011.

CARDOSO, D.H.; MUNIZ, R.M.; SCHWARTZ, E.; ARRIEIRA, I.C.O. Cuidados paliativos na assistência hospitalar: a vivência de uma equipe multiprofissional. Texto Contexto Enfermagem, v. 22, n. 4, 2013.

CASTRO, M.C.; FULY, P.S.; GARCIA, T.R.; SANTOS, M.L. Subconjunto terminológico CIPE® para pacientes em cuidados paliativos com feridas tumorais malignas. Acta Paul Enfermagem, v.29, n. 3, 2016.

CONNOR, S.R.; BERMEDO, M.C.S. Worldwide Palliative Care Alliance, World Health Organization. Global Atlas of Palliative Care at the End of Life. 2014.

CORDEIRO, F.R.; BEUTER, M.; ROSO, CC.; KRUSE, M.H. Pain and the dying process: nurses’ perspectives using the creative and sensible method. Brazilian J. Nursing, v. 12, n. 1, 2013.

COSTA, J.C.; LIMA, R.A.G. Luto da equipe: revelações dos profissionais de enfermagem sobre o cuidado à criança/adolescente no processo de morte e morrer. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 13, n. 2, 2005.

COSTA, T.F.; CEOLIM, M.F. Enfermagem nos cuidados paliativos à criança e adolescente com câncer: revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 31, n. 4, 2010.

FERNANDES, M. A. et al. Percepção dos enfermeiros sobre o significado dos cuidados paliativos em paciente com câncer terminal. Revista Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. v. 18, n. 9, 2013.

FERRIAN, A.M.; PRADO, B.L. Manual de oncologia clínica do Brasil: cuidados paliativos. São Paulo: Dendrix; 2017.

FIGUEIREDO, M.T.S. O sentido da vida na terminalidade humana. Revista Mundo Saúde, v. 4, n. 34, 2010.

FOGAÇA, M.C.; CARVALHO, W.B.; CITERO, V.A.; MARTINS, L.N. Fatores que tornam estressante o trabalho de médicos e enfermeiros em terapia intensiva pediátrica e neonatal: estudo de revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 26, n. 1, 2008.

FRANCO F.J.; OGRADOWSKI, K.R.P. O saber e o fazer da equipe de enfermagem sobre cuidados paliativos à criança hospitalizada. 3º Jointh PUCPR, v. 3, n. 1, 2013.

FRANCO, H.C.P.; STIGAR, R.; SOUZA, S.J.P.; BURCI, L.M. Papel da enfermagem na equipe de cuidados paliativos: a humanização no processo da morte e morrer. Revista Gestão & Saúde, v. 17, n. 2, 2017.

FRANCO, M.H.P. (org). Formação e rompimento de vínculos: o dilema das perdas na atualidade. São Paulo: Summus, 2010.

GONÇALVES, J.R.; LEAL, A. A importância do enfermeiro no processo morrer no cotidiano dos familiares de pacientes terminais. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 2, n. 4, 2019.

GONÇALVES, J.R.; SANTOS, M.A. O envolvimento emocional da equipe de enfermagem no processo de morte de recém-nascidos internados em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 2, n. 4, 2019.

GONÇALVES, J.R.; SILVA, A.R. A saúde emocional da equipe de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva. Revista JRG de Estudos Acadêmico, v. 2, n. 4, 2019.

GONÇALVES, J.R.; SIMÕES, J.R.S. A percepção do enfermeiro no lidar com a morte durante a assistência. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 2, n. 5, 2019.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Como escrever um Artigo de Revisão de Literatura. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, Ano II, Vol.II, n.5, 2019.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Como fazer um Projeto de Pesquisa de um Artigo de Revisão de Literatura. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, Ano II, Vol.II, n.5, 2019.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Manual de Artigo de Revisão de Literatura. Brasília: Processus, 2019.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Manual de Projeto de Pesquisa. Brasília: Processus, 2019.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Metodologia Científica e Redação Acadêmica. 8. ed. Brasília: JRG, 2019.

GOIS, A.C.R; MARANHÃO, J.H. Psicologia e cuidados paliativos na atenção primária à saúde: revisão integrativa. Revista SANARE, v. 18, n. 1, 2019.

KOVÁCS, M. J. Desenvolvimento da Tanatologia: estudos sobre a morte e o morrer. Paidéia, v. 18, n. 41, p. 458-468. 2008

KOVÁCS, M. J. Educação para morte: temas e reflexões. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2003.

KUBLER-ROSS, E. Sobre a morte e o morrer: o que os doentes têm para ensinar a médicos, enfermeiras, religiosos e aos seus próprios parentes. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
.
LUZ, K.R. et al. Enfermeiros na atenção oncológica: conhecimento na pratica do cuidado. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 10, n. 9, p. 3369-3376, 2016.

MARKUS, L.A.; BETIOLLI, S.E.; SOUZA, S.J.P.; MARQUES, F.R.; MIGOTO, M.T. A atuação do enfermeiro na assistência ao paciente em cuidados paliativos. Revista Gestão e Saúde, v. 17, n. 1, 2017.

MARTINS, J.T. et al. Sentimentos vivenciados pela equipe de enfermagem de um centro de tratamento de queimados. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 2, n. 4, 2014.

MAGALHÃES, A.L.P.; ERDANN, A.L.; SOUSA, F.G.M.; LANZONI, G.M.M.; SILVA, E.L.; MELLO, A.L.S.F. Significados do cuidado de enfermagem ao paciente em morte encefálica potencial doador. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 20, n. 39, 2018.

MELO, A.C.; VALERO, F.F.; MENEZES, M. A intervenção psicológica em cuidados paliativos. Revista Psicologia, Saúde e Doenças, v. 14, n. 3, 2013.

MENIN, G.E.; PETTENON, M.K. Terminalidade da vida infantil: percepções e sentimentos de enfermeiros. Revista Bioética, v. 23, n. 3, 2015.

MEYER, F.; FLETCHER, K.; PRIGERSON, H.G.; BRAUN, I.M.; MACIEJEWSKI, P.K. Advanced cancer as a risk for major depressive episodes. Psychooncology, v. 24, n. 9, 2015.

MOTA, F.B.S.; CRUZ, A.C.S.; BARRETO, J.R.S. O conhecimento da enfermagem em cuidados paliativos no paciente oncológico: uma revisão integrativa. Journal of Health Connections, v. 3, n. 2, 2018.

NASCIMENTO, D.M. et al. Experiência em cuidados paliativos à criança portadora de leucemia: a visão dos profissionais. Ciência e Saúde Coletiva, v. 18, n. 9, 2013.

NUNES, L.V. O papel do psicólogo na equipe. In: CARVALHO, R.T.; PARSONS, H.A. (orgs). Manual de Cuidados Paliativos ANCP. 2.ed. Academia Nacional de Cuidados Paliativos - ANCP, 2012.

OLIVEIRA, A.C.D.; SILVA, M.J.P.D. Autonomia em cuidados paliativos: conceitos e percepções de uma equipe de saúde. Acta Paul enfermagem, v. 23, n. 2, 2010.

OLIVEIRA, R.A. Cuidado paliativo. São Paulo: Cremesp; 2008.

PASSARELLES, D.M.A.; RIOS, A.A.; SANTANA, R.F. Diagnósticos de enfermagem em cuidados paliativos oncológicos: revisão integrativa. Revista Enfermería Global, v. 55, n. 1, 2019.

PEREIRA, C.A.; RIBEIRO, J.F.S. Cuidados paliativos: reflexões sobre a psicologia e os cuidados paliativos para pacientes e familiares. Revista Mosaico, v. 10, n. 2, sup. 111-115, 2019.

PICOLLO, D.P.; FACHINI, M. A atenção do enfermeiro ao paciente em cuidado paliativo. Revista Ciências Médicas, v. 27, n. 2, 2018.

POLES, K; BOUSSO, R. S. Compartilhando o processo de morte com a família: a experiência da enfermeira na UTI pediátrica. Rev. Latino-am Enfermagem, v. 14, n. 2, p. 207-13, 2006.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2.ed. Novo Hamburgo/RS: FEEVALE, 2013.

ROCHA, D.D.; NASCIMENTO, E.C.; RAIMUNDO, L.P. et al.. Sentimentos vivenciados pelos profissionais de enfermagem diante da morte em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Mental, v. 11, n. 21, 2017.

ROCKEMBACH, J.V.; CASARIM, S.T.; SIUEIRA, H.C.H. Morte pediátrica no cotidiano de trabalho do enfermeiro: Sentimentos e Estratégias de enfrentamento. Revista Rene, v. 11, n. 2, 2010.

SANTANA, J.C.B.; SANTOS, A.V.; SILVA, B.R.; OLIVEIRA, D.C.A; CAMINHA, E.M.; PERES, F.S. et al. Docentes de enfermagem e terminalidade em condições dignas. Revista Bioética, v. 21, n. 2, 2013.

SANTOS, J.K.; BUENO, S.M.V. Educação para a morte a docentes e discentes de Enfermagem: Revisão documental da literatura científica. Rev. Esc. Enfermagem da USP, v. 45, n. 1, 2011.

SANTOS, J.M.; OLIVEIRA, E.B.; MOREIRA, A.C. Estresse, fator de risco para a saúde do enfermeiro em centro de terapia intensiva. Revista de Enfermagem UERJ, v. 14, n. 4, 2006.

SILVA, A.F.; ISSI, H.B.; MOTTA, M.G.C; BOTENE, D.Z.A. Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: percepções, saberes e práticas na perspectiva da equipe multiprofissional. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 36, n. 2, 2015.

SILVA, C.F.; SOUZA, D.M.; PEDREIRA, L.C.; SANTOS, M.R.; FAUSTINO, T.N. Concepções da equipe multiprofissional sobre a implementação dos cuidados paliativos na unidade de terapia intensiva. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 18, n. 9, 2013.

SILVA, J.A.C.D. O fim da vida: uma questão de autonomia. Revista Nascer e Crescer, v. 23, n. 2, 2014.

SILVA, M.C.B. Enfrentamento da morte e do morrer de crianças pela equipe de
enfermagem na UTI. Rev. Online, v. 1, n. 1, 2015.

SILVA, M. M; MOREIRA, M. C. Sistematização da assistência de enfermagem em cuidados paliativos na oncologia: visão dos enfermeiros. Revista Acta Paulista de Enfermagem, v. 24, n. 2, p. 172-178, 2011.

SILVA, R.S.; AMARAL, J.B.; MALAGUTTI, W. Enfermagem em cuidados paliativos: cuidando para uma boa morte. São Paulo: Martinari; 2013.

SIMINO, G.P.R.; SANTOS, C.B.; MISHIMA, S.M. Acompanhamento de usuários, portadores de câncer, por trabalhadores da Saúde da Família. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 18, n. 5, 2010.

SILVEIRAN, B.L.C.; BRITO, M.B.; PORTELLA, S.D.C. Os sentimentos gerados nos(as) profissionais enfermeiros(as) diante do processo de morte/morrer do paciente. Revista Enfermagem Contemporânea, v. 4, n. 2, 2015.

SOUZA, A. A; ALMEIDA, L. C. V. Reflexões da enfermagem sobre a morte e o morrer na oncologia. 2012. 15 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) – Universidade Presidente Antônio Carlos. Barbacena: UNIPAC, 2012.

SOUZA, A.R.B. O fazer do psicólogo na saúde. Cadernos de Graduação: Ciências Biológicas e da Saúde, v. 1, n. 2, 2013.

SOUZA, D. M. et al. A vivência da enfermeira no processo de morte e morrer dos pacientes oncológicos. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 41. 2009.

UGARTE, O. Contexto normativo dos cuidados pa¬liativos no SUS. [monografia]. [Brasília, DF]: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2014.

VIERO, M.D. et al. O Processo de Morte e Morrer na Prática de Enfermagem: Um Relato de Experiência. II Jornada internacional de Enfermagem UNIFRA, 2012

World Health Organization. Strengthening of palliative care as a component of integrated tre¬atment within the continuum of care [internet]. World Health Organization; 2014 [acesso em 2017 mar 3].
Publicado
2020-11-04
Como Citar
Mota, M. C., Ramos, D. A., & Gonçalves, J. R. (2020). ASPECTOS PSICOLÓGICOS DOS CUIDADOS DISPENSADOS AOS PACIENTES TERMINAIS . Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 294-312. https://doi.org/10.5281/zenodo.4245258

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>