O CONCEITO DE “FAMÍLIA” ABORDADO NAS ELEIÇÕES DE 2018: UMA ANÁLISE DAS NARRATIVAS

Palavras-chave: Eleições 2018. Teoria Sistêmica. Família Tradicional. Diversidade.

Resumo

O presente artigo tem como foco o discurso sobre a “família” utilizado nas eleições presidenciais brasileiras de 2018. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de natureza aplicada, de objetivo exploratório e procedimento documental, com utilização de fonte primária. Para coleta do material de análise, foram levantados todos os vídeos de Jair Bolsonaro no período de 2017 ao final do segundo turno das eleições presidenciais de 2018.

Biografia do Autor

André Felipe Rosa, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Cientista político graduado pela Universidade de Brasília, especialista em relações institucionais pelo Ibmec/DF e mestrando em psicologia pela Universidade Católica de Brasília

Maria Alexina Ribeiro , Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Pós-doutorado em Psicologia na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto/Portugal. Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília (1981), mestrado em Psicologia Social e da Personalidade (1987) e doutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de Brasília (1996). Tem especialização em Psicoterapia Conjugal e Familiar e Psicoterapia Sexual. Foi professora nos Programas de Graduação, Mestrado e Doutorado em Psicologia e no Curso de Especialização em Psicologia Jurídica da Universidade Católica de Brasília, onde supervisionou estágio, orientou trabalhos de final de curso e pesquisas de mestrado e doutorado e coordenou projetos de pesquisa na linha de pesquisa "Sistemas conjugais e familiares", de 1998 a 2019

Referências

ANPEPP (2020). Nota de Repúdio do GT psicanálise EDUCAÇÃO/ANPEPP à institucionalização da política nacional de educação especial através do decreto n° 10.502 de 30/09/2020.
Bronfenbrenner, U. (2011). Teoria dos Sistemas Ecológicos.

Censo Escolar. (2010). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/apps/atlas/pdf/Pag_203_Religi%c3%a3o_Evang_miss%c3%a3o_Evang_pentecostal_Evang_nao%20determinada_Diversidade%20cultural.pdf.

Datasus. (2010). Ranking de estados pela escolaridade da população. Disponível em: http://www.deepask.com.br/goes?page=Veja-ranking-de-estados-pela-escolaridade-da-populacao

Falicov, Célia. (1991), Transiciones de lá familia, p. xiv-xv. Buenos Aires: 1991. Editora: Amorrortu.

Fishman, H. C. (1998). Terapia estrutural intensiva – tratando famílias em seu contexto social. Porto Alegre: ArTmed,

Infomoney. (2018). Bolsonaro vence em 17 Estados, Haddad vence em 8. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/politica/bolsonaro-vence-em-17-estados-haddad-vence-em-8-estados-do-nordeste-e-ciro-ganha-no-ceara/

IBGE. (2018). Pesquisa eleitoral por estratificação. "Registro no TSE: BR-01665/2018". Disponível em: https://www.ibopeinteligencia.com/noticias-e-pesquisas/?tema=13&ano=2018

Jablonski, Bernardo. (2011). O país do casamento segundo seus futuros habitantes: pesquisando atitudes e expectativas de jovens solteiros. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo.

Luskin, R. (1987). Measuring Political Sophistication. American Journal of Political Science, Vol. 31, No. 4 (Nov., 1987), pp. 856-899 Published by: Midwest Political Science Association. USA.


Minuchin, S.; Lee, W. & Simon, G, M. (2000). Dominando a terapia familiar. Porto Alegre: Artmed

Oliveira, Naiara. (2009). Família contemporânea. Cultura acadêmica, Unesp, SP

Oliveira, D., Diniz, D. (2014). Materiais didáticos escolares e injustiça epistêmica: sobre o marco heteronormativo. Educ. Real. vol.39 no.1 Porto Alegre, RS.

Ribeiro, M.A. (1998). Comunicaçäo familiar e prevençäo de DSTs/AIDS entre adolescentes. DST Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, 10 (1): 5-9.
Silva, Rafael. (2016). Comportamento eleitoral na américa latina e no Brasil: em busca dos determinantes das abstenções, votos brancos e votos nulos.

Walsh, Froma. (2016). Diversidade e complexidade nas famílias do século XXI

TSE. (2018) Estatísticas eleitorais das eleições presidenciais brasileiras. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/consulta-quantitativo
Publicado
2020-11-05
Como Citar
Rosa, A. F., & Ribeiro , M. A. (2020). O CONCEITO DE “FAMÍLIA” ABORDADO NAS ELEIÇÕES DE 2018: UMA ANÁLISE DAS NARRATIVAS . Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 313-328. https://doi.org/10.5281/zenodo.4247695

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##