ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES VÍTIMAS DE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Palavras-chave: Infarto agudo do miocárdio. Assistência de enfermagem. Diagnóstico de enfermagem. Atuação de enfermagem.

Resumo

Objetivos: Investigar o papel do profissional de enfermagem na assistência à pacientes vítimas de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM). Metodologia: Foi adotada como metodologia no presente trabalho, a revisão integrativa de literatura. Foi realizado uma busca na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), sendo escolhida como base de dados a LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde) e a BDENF (Base de Dados de Enfermagem). Resultados: Selecionaram-se doze artigos, de um total de 95 encontrados, para a realização da pesquisa. Mostrou-se a importância da atuação da equipe de enfermagem com paciente IAM do diagnóstico à alta-hospitalar. Após a confirmação do IAM, o enfermeiro continua a sua assistência junto ao paciente. Deve preparar um plano de cuidados, atendendo a todas as suas necessidades, estando atento à oxigenação e ventilação, circulação e perfusão oferecidos, dar atenção ao controle da dor, oferecendo segurança biopsicossocial e espiritual. Conclusão: Verificou-se o quanto a atuação do enfermeiro é indispensável nos cuidados prestados aos pacientes vítimas de IAM, desde o diagnóstico até o pós-alta hospitalar.

 

Biografia do Autor

Jessyka Ribeira da Silva, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista UNIP, SP, Brasil.

 

Marco Aurélio Ninomia Passos, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Brasília (2006), mestrado em Ciências Genômicas e Biotecnologia pela Universidade Católica de Brasília (2009). Doutor em Biologia Molecular pela Universidade de Brasília (2014). Bolsista de mestrado e doutorado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Referências

1. OMS. Doenças cardiovasculares [Internet]. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2017 [atualizado em maio de 2017]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253:doencas-cardiovasculares&Itemid=1096

2. Paraná. Linha guia de infarto agudo do miocárdio. Curitiba: SESA; 2016. 25p.. Disponível em: www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/LinhaGuiaInfartoMiocardio_2017.pdf

3. Martins IO, Alves KCF, Lotero RGO, Alves GR. A conduta de enfermagem no atendimento de emergência ao paciente com infarto agudo do miocárdio. Revista Científica FacMais. 2017;11(4):12-27.

4. Marcolino MS, Brant LCC, Araújo JG de, Nascimento BR, Castro LR de A, Martins P, et al. Implantação da Linha de Cuidado do Infarto Agudo do Miocárdio no Município de Belo Horizonte. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2013;100(4):307-314. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/abc/2013nahead/aop5145.pdf

5. Avezum A, Carvalho ACC, Guimarães AC, Polanczyk CA, Serrano CV, Oliveira CC de, et al.. III Diretriz sobre tratamento do infarto agudo do miocárdio. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2004;83(4):01-86. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2004002200001

6. Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto - enfermagem. 2008;17(4): 758-764. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018

7. Brasil. Lei n° 9610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 19 fev. 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9610.htm

8. Ribeiro KRA, Silva LP, Lima MLS. Conhecimento do Infarto agudo do miocárdio: implicações para assistência de enfermagem. Revista de Enfermagem da UFPI. 2016;5(4):63-68. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/5546/pdf

9. Caveião C; Santos RB; Montezeli JH; Visentin A; Brey C; Oliveira, VBCA. Dor torácica: atuação do enfermeiro em um pronto atendimento de um hospital escola. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro (RECOM). 2014;4(1):921-928. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/427/567

10. Alves TE, Silva MG, Oliveira LC, Arrais AC, Junior EMJ. Atuação do enfermeiro no atendimento emergencial aos usuários acometidos de infarto agudo do miocárdio. Revista de Enfermagem UFPE On Line. 2013;7(1):176-83. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/10219/10801

11. Santos LSF, Costa RL, Santos PR, Espindola SP; Bertholy CRSS, Severiano SGC, et al. Eletrocardiograma na prática do enfermeiro em urgência e emergência. Revista Nursing. 2019;22(253): 2979-2989. Disponível em: http://www.revistanursing.com.br/revistas/253/pg87.pdf

12. Barros MNDS, Silva MCA; Neto NRO, Escarião AG; Albuquerque ALT. Nova Metodologia de Ensino do ECG: Desmistificando a Teoria na Prática – Ensino Prático do ECG. Revista Brasileira de Educação Médica. 2016;40(4):751-756. Disponível: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v40n4/1981-5271-rbem-40-4-0751.pdf

13. Santos FG; Campanharo CRV, Lopes MCBT, Okuno MFP, Batista REA. Avaliação da qualidade do atendimento ao paciente com síndrome coronariana aguda no serviço de emergência. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2015;17(4):1-8. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/03/832620/v17n4a05-en.pdf

14. Ponte KMA; Silva, LF. Cuidados de enfermagem para conforto físico de mulheres com infarto agudo do miocárdio: uma pesquisa cuidado. Revista de Enfermagem da UFPI. 2017;6(4):40-46. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/6003/pdf

15. Silva CJB, Silva MES, Reis FF, Miranda GCO, Santos L, Lima DVM. Banho no leito de infartados: crossover do controle hidrotérmico 40ºC versus 42,5ºC. Online Brazilian Journal of Nursing. 2016;15(3):341-350. Disponível em: http://objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/4233/pdf_1

16. Vargas RAV; Fernando R, Junior NO; Siqueira DS, Crossetti MGO. Qualidade de vida de pacientes pós-infarto do miocárdio: revisão integrativa da literatura. Revista de Enfermagem UFPE On Line. 2017;11(7):2803-9. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/23456/19170

17. Holanda CG, Lima RAK, Maia CAM, Correia LMA, Barbosa FK, Rodrigues OLRC. Diagnósticos de enfermagem segundo a teoria do autocuidado em pacientes com infarto do miocárdio. Aquichan [Internet]. 2018;18(2):222-233. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/aqui/v18n2/1657-5997-aqui-18-02-00222.pdf

18. Pedrão TGG, Brunori EHFR, Santos ES, Bezerra A, Simonetti SH. Diagnósticos e intervenções de enfermagem para pacientes cardiológicos em cuidados paliativos. Revista de Enfermagem UFPE On Line. 2018;12(11):3038-45. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/234933/30501

19. Mendes AS, Reis VRSS, Santos CAST, Mussi FC. Tempos de acesso a serviços de saúde face ao infarto do miocárdio. Acta paul. enferm. [Internet]. 2016;29(4):446-453. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v29n4/1982-0194-ape-29-04-0446.pdf
Publicado
2020-11-16
Como Citar
Silva, J. R. da, & Passos, M. A. N. (2020). ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES VÍTIMAS DE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 489-503. https://doi.org/10.5281/zenodo.4276274

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##