PROTOCOLO CLÍNICO: TERAPIA NUTRICIONAL NO ADULTO CRÍTICO VÍTIMA DE TRAUMA CRANIOENCEFÁLICO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29327/537370

Resumo

O traumatismo cranioencefálico (TCE) é considerado uma importante causa de morte e incapacidade em todo o mundo. Uma série de alterações metabólicas, caracterizadas por um estado hipermetabólico associado a um intenso catabolismo, rapidamente levam um organismo outrora saudável do ponto de vista nutricional, a um estado de desnutrição aguda grave, levando a uma série de complicações.

Um dos desafios no tratamento é o estabelecimento de uma terapia nutricional adequada que atenda às necessidades específicas desses pacientes.  A literatura traz muitas referências com relação às metas a serem utilizadas em pacientes críticos de uma forma em geral, mas, poucas referências para vítimas de TCE. Nos últimos anos vem se observando cada vez mais recomendações específicas para pacientes críticos em seus cenários específicos, como os de pacientes vítimas de TCE, mostrando que estes cenários, exigem demandas específicas.

Dessa forma, propomos a implemetação de um protocolo clínico de terapia nutricional, para que possa ser utilizado por instituições que prestam assistência a indivíduos críticos vítimas de trauma cranioencefálico, com o intuito de possibilitar intervenções nutricionais mais adequadas, resultando em melhorias na assistência, agregando qualidade ao cuidado prestado e reduzindo custos associados à internação.   Este protocolo é produto de uma extensa e embasada pesquisa do Programa de Mestrado Profissional em Ciências para a Saúde (MPCS) da Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS) da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). Foi realizado na UTI Trauma do Hospital de Base – IGESDF – Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal, unidade referência em atendimento a pacientes vítimas de trauma cranioencefálico no Distrito Federal – DF.

 

            Desejamos que esse material possa ser útil na prática clínica.

Biografia do Autor

Stefânia Alves Lima Silva, Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS)

Mestranda em Ciências para a Saúde pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) da Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS) da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). Especialista em Nutrição Parenteral e Enteral (SBNPE). Especialização em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral (GANEP). Especialização em Nutrição Clínica (Programa de Residência – FEPECS – SES - DF). Especialização em Nutrição Esportiva (Universidade Gama Filho). Nutricionista Clínica no Hospital de Base – IGESDF – Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal.

Lattes Id: http://lattes.cnpq.br/4586247027340938

Renata Costa Fortes, Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS)

Renata Costa Fortes

Doutora e Mestra em Nutrição Humana pela Universidade de Brasília (UNB)-DF. Especialista em Nutrição Clínica, Enteral e Parenteral. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)-MG. Coordenadora do Programa de Residência Multiprofissional em rede na Área de Atenção ao Câncer da SES-DF. Professora Titular e Orientadora do Mestrado Profissional em Ciências para a Saúde da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) da Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS) da SES-DF. Coordenadora do Curso de Nutrição da UNIP-DF.

Lattes Id: http://lattes.cnpq.br/5453042571253174

Carmelia Matos Santiago Reis , Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS)

Médica Dermatologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia - SBD SBCD SBMy AAD EADV Doutora em Dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Mestre em Dermatologia pela Universidade Federal Fluminense – UFF. Presidente e Membro da Comissão de Ensino da SBD (2013-2020). Coordenadora do Programa de Residência Médica/ Dermatologia/COREME/ HRAN/ SES – DF. Coordenadora dos Cursos de Pós-Graduação e Extensão da ESCS/FEPECS/SES/DF. Docente dos Cursos de graduação e Mestrado Profissional /Acadêmico da ESCS/FEPECS/ SES – DF.

Lattes Id: http://lattes.cnpq.br/4923956388814961

Referências

ANDRADE, A.F. et al. Diagnóstico e conduta no paciente com traumatismo craniencefálico leve. Projeto Diretrizes, p. 1–13, 2001.

BARBOSA, A.A.O.; VICENTINI, A.P.; LANGA, F.R. Comparação dos critérios da NRS-2002 com o risco nutricional em pacientes hospitalizados Comparison of NRS-2002 criteria with nutritional risk in hospitalized patients. Ciênc. Saúde Colet. v.24, n.9, p.3325-3334, 2019.

CAMPOS, B.N; MACHADO, F.S. Terapia nutricional no traumatismo cranioencefálico grave. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 24, n.1, p. 97-105, 2012.

CASTRO, M.G. et al. Diretriz Brasileira de Terapia Nutricional no Paciente Grave. Braspen Journal, v. 33, n. Supl 1, p. 2–36, 2018.

CHIANG, Y.-H. et al. Early enteral nutrition and clinical outcomes of severe traumatic brain injury patients in acute stage: a multi-center cohort study. Journal of Neurotrauma, v. 29, n. 1, p. 75–80, 2012.

CORREIA, M.I.T.D.; PERMAN, M.I.; WAITZBERG, D.L. Hospital malnutrition in Latin America: a systematic review. Clinical Nutrition, v. 36, n. 4, p. 958–967, 2016.

HÄRTL, R. et al. Effect of early nutrition on deaths due to severe traumatic brain injury. Journal of Neurosurgery, v.109, n.1, p.50–56, 2008.

MACHADO, A.; MARCHETTI, J.; FORTE, A. NUTRIC Score: isolated and combined use with the NRS-2002 to predict hospital mortality in critically Ill. JPEN J Parenter Enteral Nutr., v.44, n.7, p.1250-1256, 2020.

MAGALHÃES, A. et al. Epidemiologia do traumatismo cranioencefálico no Brasil. Revista Brasileira de Neurologia, v.53, n.2, p. 15-22, 2017.

MCCLAVE, S.A. et al. Guidelines for the Provision and Assessment of Nutrition Support Therapy in the Adult Critically Ill Patient: Society of Critical Care Medicine (SCCM) and American Society for Parenteral and Enteral Nutrition (A.S.P.E.N.). Journal of Parenteral and Enteral Nutrition, v. 40, n. 2, p. 159–211, 2016.

OHBE, H. et al. Nutrição enteral precoce em pacientes com lesão cerebral traumática grave: uma análise com pontuação de propensão combinada usando um banco de dados nacional de pacientes internados no Japão, The American Journal of Clinical Nutrition, v.111, n.2, p.378-384, 2020.

OLIVEIRA, A.C.; CRISTINA, S.; DUTRA, P. Risco nutricional em pacientes críticos utilizando o método Nutric Score Risk Nutritional risk in critical patients using the Nutric Score Risk method. v. 39, n. August 2018, p. 19–25, 2019.

RATTANACHAIWONG, S. et al. Comparison of Nutritional Screening and Diagnostic Tools in Diagnosis of Severe Malnutrition in Critically Ill Patients. Clinical Nutrition, 2020.

REIS, A.M; FRUCTHENICHT, A.V.G.; MOREIRA, L.F. Uso do escore NUTRIC pelo mundo: uma revisão sistemática. Rev. bras. ter. intensiva, v.31, n.3, p.379-385, 2019.

SILVA, S.; FORTES, R.; REIS, C. Terapia nutricional, evolução do estado nutricional e desfecho clínico em indivíduos críticos vítimas de trauma crânioencefálico: uma coorte retrospectiva. Dissertação (Mestrado profissional em Ciências para Saúde) - Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde – FEPECS. Brasília, p.85. 2020.

SINGER, P. et al. ESPEN guideline on clinical nutrition in the intensive care unit. Clin Nutr, 2018.

WHITE, J.V., GUENTER, P., JENSEN, G. et al. Consenso declaração: Academia de Nutrição e Dietética e Sociedade Americana de Nutrição Parenteral e Enteral: características recomendadas para a identificação e documentação de desnutrição adulta (desnutrição). JPEN, v.36, p.275–283. 2012.

YANAGAWA, T.; BUNN, F.; ROBERTS, I. Nutritional support for head-injured patients. The Cochrane, n. 4, 2006.

Downloads

Publicado

2021-06-02