DOENÇA DE CHAGAS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.5914991

Palavras-chave:

Doença de Chagas, Epidemiologia, Farmácia, Promoção de Saúde

Resumo

A doença de Chagas é uma doença infecciosa que atinge milhões de pessoas em todo o mundo, causada pelo Trypanosoma Cruzi, e se divide em fases aguda e crônica. O objetivo deste estudo foi realizar o levantamento das atualizações em doença de Chagas por meio da pesquia integrativa. Trata-se de uma pesquisa integrativa, onde utilizou-se artigos científicos postados em base de dados (Scielo, Bireme,BVS,) publicados nos anos de 2000 a 2020 que tinham as palavras chave: Doença de Chagas; Epidemiologia, Farmácia; Promoção a saúde. Este estudo possibilitou identificar que a fase crônica atinge principalmente os idosos, ocasionando piora dos órgãos. Os achados apresentados demonstram alta prevalência da doença de Chagas em indivíduos que compuseram o perfil geriátrico nos últimos 10 anos. Dadas as especificidades operacionais dos sistemas nacionais de saúde, o tratamento antiparasitário da doença de Chagas é viável, seguro e operacional para uso na atenção primária por profissionais de saúde e para uso de medicamentos para Chagas. Portanto, o farmacêutico no processo de assistência medicamentosa tem a função de informar sobre o uso de medicamentos; criar condições para que esses pacientes obtenham informações com eficácia para o aprendizado da prescrição terapêutica como estratégia de tratamento farmacoterapêutico eficaz. Conclui-se que por meio das atualizações realizadas é possível proporcionar aos profissionais de saúde um melhor conhecimento sobre a doença de Chagas, bem como contribuir para sua prática profissional pautada na qualidade do atendimento aos idosos chagásicos.

Biografia do Autor

Daniele Rodrigues Santos, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, Valparaíso de Goiás, Brasil

Possui ensino-medio-segundo-graupela EE Benjamin Versiane Doa Anjos - Montes Claros - MG(2006). Atualmente é Auxiliar Administrativo da Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires. Tem experiência na área de Administração

Lattes: http://lattes.cnpq.br/1092514228232603

Divino Lúcio de Sousa Gonçalves, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, Valparaíso de Goiás, Brasil

Possui graduação em Farmácia pela Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires (2021). Atualmente é técnico agrícola - BRASILIA COUNTRY CLUB. Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em Farmácia 

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0603606544349677 

Walquíria Lene dos Santos, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, Valparaíso de Goiás, Brasil

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Católica de Goiás (2002) e Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (2008).Já atuou na atenção primária em saúde, saúde da família. Coordenadora do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires. Membro do Comitê de Ética e Pesquisa da FACESA. Participou do Programa de Iniciação Cientifica da FACESA (PIC). Docente no curso de Fisioterapia no Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC. Docente do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, Integrante do Núcleo Docente Estruturante (NDE) da FACESA, Integrante do Comitê de Ética e Pesquisa da FACESA. Participou do Programa de Iniciação Cientifica da FACESA (PIC). Docente no curso de Enfermagem no Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos - UNICEPLAC. Integrante dos Projetos de Extensão da FACESA - Projeto Benjamim, Programa de Extensão Melhor Idade, Programa de Extensão FACESA, Comando de Saúde nas Empresas e Programa de Extensão Promovendo Saúde nas Escolas. Orientação em Trabalhos de Conclusão de Curso na UNICEPLAC. Atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, saúde coletiva, idoso, cuidados, sexualidade. Autor/conteudista da Faculdade Phorte.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4723603129713855 

Referências

Kropf, S. P., Azevedo, N., & Ferreira, L. O. (2000). Doença de Chagas: a construção de um fato científico e de um problema de saúde pública no Brasil. Ciência & saúde coletiva, 5, 347-365.

Palace-Berl F. Planejamento, síntese e avaliação da atividade anti-T cruzi de derivados furdurilidênicos com estruturas azometínica e oxadiazolínica. Dissertação [mestrado]. Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. 2012.

Dias JCP, Ramos Jr. AN, Gontijo ED, Luquetti A, Shikanai-Yasuda MA, Coura JR et al. Consenso Brasileiro em Doença de Chagas, 2015. Rev. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 2016; 25(núm. esp.): p. 7-86

Peixoto GL. Pacinchagas: estratificação de risco em chagásicos portadores de marca-passo definitivo. Tese[Doutorado]. Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Cardiologia. USP/FM/DBD-390, 2016.

Filho JDS, Costa AC, Freitas EC, Viana CEM, Lima MA, Andrade MC et al. Perfil hematológico e bioquímico de pacientes com doença de Chagas atendidos por um serviço de atenção farmacêutica no estado do Ceará. Rev. J. Health Biol Sci. 2017; 5(2): p.130-136

Kropf SP. Doença de Chagas, doença do Brasil: ciência, saúde e nação, 1909- 1962 [online]. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2009, p. 596. Acesso em: 18 de novembro de 2020. Diponível em: https://doi.org/10.7476/9788575413159.

AngonesiD, Rennó MUP. Dispensação farmacêutica: proposta de um modelo para a práticaCiência & Saúde Coletiva, 2011; 16(9): p.3883-3891

Possamai FP, Dacoreggio MS. A habilidade de comunicação com o paciente no processo de atenção farmacêutica. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, 2007; v. 5, n. 3, p. 473-490

Angonesi D, Rennó MUP. Dispensação farmacêutica: proposta de um modelo para a práticaCiência & Saúde Coletiva, 2011; 16(9): p.3883-3891

Almeida TS. Abandono afetivo inverso: responsabilidade civil dos filhos em relação aospais idosos, Capão da Canoa, 2016; p. 1-64

IBGE.[WebsitedaInternet].ResultadosdaAmostradoCensoDemográfico 2000-2016 – Malha municipal digital do Brasil: situação em 2017. Acesso em: 04 de maio de 2020. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/25072002pidoso.shtm.

Souza CHM . Envelhecimento humano em.Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro: Brasil Multicultural, 2018. p. 376

Kalache A. O mundo envelhece: é imperativo criar um pacto de solidariedade social.Ciênc. saúde coletiva, 2010; v. 13, n. 4, p. 1107-1111

Jusbrasil. [Homepage da Internet]. Constituição da República Federativa do Brasil 1988. Acesso em: 18 de novembro de 2010. Disponível em:https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/91972/constituicao-da-republica federativa-do-brasil-1988

Ferreira LF, Carneiro MLC, Neiva LGA, Sampaio BM, Gontijo FM, Bueno H et al. Perfilepidemiológico dos idososchagásicos da Unidade de Saúde da Família do bairroNossaSenhora de Fátima. RevMed (São Paulo). 2015; 94(2):120-5

Pereira LS, Freitas EC, Fidalgo ASOBV, Andrade MC, Cândido DS, Silva Filho JD et al. Perfil clínico e epidemiológico de pacientes com doença idosa de Chagas atendidos entre 2005-2013 por um serviço de atenção farmacêutica no estado do Ceará, nordeste do Brasil. Rev. Inst. Med. Trop. Sao Paulo. 2015; 57(2): p.145-152. Acesso em 04 de maio de 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0036- 46652015000200008

Cruz CAB, Silva ALS, Alencar EMD, Santos NJB, Moreira JJS, Paixão AEA et al. Tecnologias que empregam fármacos antiparasitários para tratamento da doença Chagas. Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2016; 10(1) p.1-9

Silva GGE, Aviz GB, Monteiro RC. Perfil epidemiológico da Doença de Chagas aguda no Pará entre 2010 e 2017. Rev.Pará Research Medical Journal, 2019; v. 4,p. 1–6

Porfírio DM. Prevalência de Doença de Chagas em Idosos no Estado do Pará: Uma Análise Retrospectiva. Brazilian Journal of Health Review, 2020; v. 3, n. 4, p. 9142-9152

Barroso ND. Aspectos clínicos e laboratoriais da Doença de Chagas em idosos. Salvador, 2014. p. 1-41

Guariento ME, Carrijo CM, Almeida EA, Magna LA. Perfil clínico de idosos portadores de doença de Chagas atendidos em serviço de referência. Rev Bras Clin Med. São Paulo, 2011; 9(1): p. 20-4

Oliveira MA, Bermudez JAZ, Osório-de-Castro CGS. Assistência Farmacêutica e acesso a medicamentos. Cidade . Fiocruz, 2007. p. 24

Pereira LRL; Freitas O. A evolução da Atenção Farmacêutica e a perspectiva para o Brasil. Rev. Bras. Cienc. Farm.2008; v. 44, n. 4, p. 601-612

Artigo 196 da Constituição Federal de 1988. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

Downloads

Publicado

2022-01-28

Como Citar

Santos, D. R. ., Gonçalves D. L. de S. ., & Santos, W. L. dos . (2022). DOENÇA DE CHAGAS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 5(10), 01–15. https://doi.org/10.5281/zenodo.5914991