PANDEMIA DE COVID-19: AUTOMEDICAÇÃO E RISCOS DE INTOXICAÇÃO (ATUAÇÃO DO FARMACÊUTICO)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.6787886%20

Palavras-chave:

Pandemia. Covid-19. Automedicação. Farmacêutico.

Resumo

Pandemia de covid-19: automedicação e riscos de intoxicação (atuação do farmacêutico). Problema: Qual a atuação do profissional farmacêutico frente à pandemia de Covid-19 na questão da automedicação e os riscos de intoxicação por medicamentos? Hipótese: O profissional trabalha prestando Assistência Farmacêutica. Objetivos: apresentar os riscos de automedicação e da intoxicação de medicamentos nesse período de quarentena por Covid-19 e mencionar a atuação do profissional farmacêutico. Justificativa: o farmacêutico é o profissional que está preparado para atuar na atenção farmacêutica como estratégia para reduzir o uso desnecessário de medicamentos. Metodologia: Trata-se de revisão integrativa. Resultados: Automedicação foi e está sendo um desafio para os profissionais da área da saúde nesse tempo de pandemia. E para os farmacêuticos, a tarefa é árdua e trabalhada continuamente por conta da disseminação nas mídias de internet com informações sem idoneidade, causando compras desenfreadas, zerando os estoques e mais, causando a falta de medicamentos para quem está em tratamento. Então, o caso é sério e requer dos farmacêuticos planos estratégicos voltados para esta temática.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clecia Fialho Batista, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil

mceclip0.png https://orcid.org/0000-0002-1024-7539
mceclip1.png http://lattes.cnpq.br/354490430142573
Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil
E-mail: cleciafb.farmaceutica@gmail.com

Divino Lucio de Sousa Gonçalves, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil

mceclip2.png https://orcid.org/0000-0001-8541-4760
mceclip3.png http://lattes.cnpq.br/706241236308626
Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil
E-mail: lucio.dls@gmail.com

Clézio Rodrigues de Carvalho Abreu, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil

Mestre em Farmacologia Toxicologia e Produtos Naturais no curso de Ciências da Saúde - UNB; Especialista em Farmacologia Clínica - UNB; Especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica - UFSC; Especialista em Didática do Ensino Superior - FACESA; Possui graduação em Farmácia - FACESA (2009). Professor de Pós Graduação em Farmacologia Clínica; Tem experiência na área de Farmacologia Clínica, Gestão da Assistência Farmacêutica e Acompanhamento Farmacoterapêutico.

Referências

Melo, José Romério Rabelo. Et Al. Automedicação e uso indiscriminado de medicamentos durante a pandemia da COVID-19. Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas, Departamento de Farmácia, Universidade Federal do Ceará, 2021.

Cavalheiro, Amanda Henriques. Análise da automedicação no cenário da COVID-19: uma revisão sistemática rápida. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.2020.

BBC: https://www.bbc.com/portuguese/brasil- https://iajmh.com/iajmh/article/view/80 acesso em 05 maio 2020 • Ministério da Saúde https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca acesso em 05 maio 2020

OPAS-Brasil https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875 acesso em 05 maio 2020.

Sanders JM, Monogue ML, Jodlowski TZ, Cutrell JB. Pharmacologic Treatments for Coronavirus Disease 2019 (COVID-19): A Review. JAMA. 2020;323(18):1824–1836. doi:10.1001/jama.2020.6019.

Who https://www.who.int/health-topics/coronavirus#tab=tab_1 acessado em 29 maio 2020.

Domingues PHF, Galvão TF, Andrade KRC, Sá PTT, Silva MT, Pereira M. Prevalência da automedicação na população adulta do Brasil: revisão sistemática. Rev Saúde Pública. 2015; 49 (36): 1-8.[citado em 14 de maio de 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/ pdf/rsp/v49/pt_0034- 8910-rsp-S0034-89102015049005709.pdf 5.

Paula Tatiana Cruz de Bochner Rosany, Montilla Dalia Elena Romero. Análise clínica e epidemiológica das internações hospitalares de idosos decorrentes de intoxicações e efeitos adversos de medicamentos, Brasil, de 2004 a 2008. Rev. bras. epidemiol.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 344, de 12 de maio de 1998. Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

Brasil. Ministério da Saúde. RDC nº 351, de 20 de março de 2020. Atualiza o Anexo 1 (Listas de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial) da Portaria SVS/MS nº 344, de 12 de maio de 1998, e dá outras providências.

Brasil. Ministério da Saúde. RDC nº 372, de 15 de abril de 2020. Atualiza o Anexo 1 (Listas de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial) da Portaria SVS/MS nº 344, de 12 de maio de 1998, e dá outras providências. 12. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 834, de 14 de maio de 2013. Redefine O Comitê Nacional para a Promoção do Uso Racional de Medicamentos (CNPURM).

Associação Médica Brasileira. Automedicação. Rev .Med.Bras.47(4):269- 270,2001.

Barros J. A. C. Propaganda de medicamentos: atentado à saúde? São Paulo: Hucitec/Sobravime; 1995. BRANDÃO, A. Farmácia virtual pode trazer outros problemas à saúde, além do tráfico. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas 2004; (41):9.

Andrade, Sâmia Moreira de. Caracterização do perfil das intoxicações medicamentosas por automedicação no Brasil, durante o período de 2010 a 2017. Research, Society and Development, 9(7), 1-16, 2020.

Carvalho, W.; Guimarães, Ádria S. Desinformação, Negacionismo e Automedicação: a relação da população com drogas “milagrosas” em meio à pandemia da COVID-19. Inter. American Journal of Medicine and Health, 2020.

Costa, Fabio Macedo da; PEREIRA, Annibal Duarte Netto. Desenvolvimento e aplicação de métodos para a determinação de ivermectina em medicamentos de uso veterinário. Quím. Nova, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 616-622, 2012.

Junior, Claiver Renato Espreaficoet al. Remdesvir, nitazozanida e ivermectina na COVID-19. ULAKES J. Med, v. 1, 74-80, 2020.

Lombardino, J. G, Lowe, J. A. The role of the medicinal chemist in drug discovery — Thennow. Nat Rev Drug Discov.,v. 3, n.10, 853-62, 2004.

Lopes, JG de A et al. Ivermectina como possível aliado no tratamento da COVID-19: perspectivas de sua ação antiviral. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, Paraíba, v. 9, n. 8, 2020.

Molento, Marcelo Beltrão. COVID-19 and the rush for self-medication and self-dosing with ivermectin: A word of caution. One Health. 2020; 10:100148.

OMS; OPAS. Nota Técnica da OMS/OPAS sobre uso da Ivermectina no tratamento da Covid-19 (22/06/2020). Disponível em: https://www.reddit.com/r/coronabr/comments/hg7efs/nota_t%C3%A9cnica_da_omsopas_sobre_uso_da_ivermectina/

Santos, Flávia Cássia Maria dos. Estudo de Pré-formulação da Ivermectina: Caracterização e Estabilidade do Fármaco. Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas - Universidade Federal de Pernambuco, 2013.

Silva, Elijadson Pereira et al. Cuidados farmacêuticos na automedicação: uma revisão de literatura. Educ. Ci. e Saúde, v. 6, n. 2, p. 96-108, 2019.

Vasques, Marco de Agassiz Almeida et al. Abordagem profilática da nitazoxanida e ivermectina na COVID-19: Sumário de Evidências: NitazoxanideandIvermectin COVID-19 prophylaxis approach: Evidencesummary. Comunicação em Ciências da Saúde, v. 31, n. 1, p. 144-161, 2020.

Downloads

Publicado

2022-07-01