Fatores que influenciam na prevalência da síndrome metabólica: revisão literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8014407

Palavras-chave:

Síndrome metabólica, Obesidade, Assistência de Enfermagem

Resumo

Objetivo: Identificar os fatores associados ao desenvolvimento da síndrome metabólica e quais os cuidados de enfermagem estão relacionados ao contexto de prevenção e promoção em saúde do indivíduo, da família e da comunidade. Metodologia: É um estudo de revisão bibliográfica integrativa com abordagem qualitativa. Resultados: Foram identificados xxx artigos nas bases de dados Scielo e Pubmed, dentre esses foram selecionados 15 artigos nacionais, onde o principal resultado foi que a ação mais efetiva para promoção de saúde é feita na atenção primária, com foco na prevenção, promoção e reabilitação em saúde.  Conclusão: Conclui-se que a necessidade de maior intervenção no contexto de saúde pública no que se refere ao desenvolvimento de mais programas de saúde com foco na Síndrome Metabólica (SM) com o intuito de identificar os sintomas correlacionados a SM primordialmente e suas doenças associadas como doenças cardíacas, diabetes e sobrepeso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Maria Oliveira Nascimento, UNICEPLAC

Lattes

Atualmente está cursando a Graduação em Enfermagem no Centro Universitário do Planalto Central - UNICEPLAC, com término previsto para 2023.1. Possui Curso Técnico em Empreendedorismo, realizado no Sebrae-DF e Curso de Operador de Computadores.

Natália Ximenes Delfino Dias, UNICEPLAC, DF, Brasil

Lattes

Graduação em andamento em Enfermagem pelo Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos, UNICEPLAC, Brasil.

João de Sousa Pinheiro Barbosa, UNICEPLAC, DF, Brasil

Lattes

Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade LS (2011), mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde pela Universidade de Brasília (2017) e doutorado em Ciências e Tecnologias em Saúde pela Universidade de Brasília (2023). Atualmente é professor adjunto do curso de medicina do Centro Universitário de Brasília e professor titular do Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem em Saúde Mental, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde, gerontologia, saúde da mulher, epidemiologia e saúde mental.

Referências

ANDAKI, A. C. R. et al. Waist circumference percentile curves as a screening tool to predict cardiovascular risk factors and metabolic syndrome risk in Brazilian children. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, n.09, 2018.

AQUINO, N. B. DE. et al. Síndrome metabólica em idosos de um aglomerado urbano subnormal: prevalência e fatores associados. Cadernos Saúde Coletiva, v. 29, n.03, 2021.

BORTOLOTI, D. S. et al. Prevalence of metabolic syndrome and associated factors in 11- to 17-year-old adolescents. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, v. 17, n.06, 2015.

CARVALHO, R. B. N. DE. et al. Fatores de risco associados ao desenvolvimento da síndrome metabólica em crianças e adolescentes. Acta Paulista de Enfermagem, v. 29, n.04, 2016.

CORTEZ, R. M. A. et al. Students’ knowledge of metabolic syndrome after educational intervention. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 71, n.04, 2018.

COSTA, F. F. DA. et al. Mudanças no consumo alimentar e atividade física de escolares de Florianópolis, SC, 2002 - 2007. Revista de Saúde Pública, v. 46, n.46, 2012.

COSTA, M. V. G. DA. et al. Risco cardiovascular aumentado e o papel da síndrome metabólica em idosos hipertensos. Escola Anna Nery, v. 25, n.01, 2021.

DAMIANI, D. et al. Síndrome metabólica em crianças e adolescentes: dúvidas na terminologia, mas não nos riscos cardiometabólicos. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 55, n.08, 2011.

DRAEGER, V. M. et al. Práticas do enfermeiro no monitoramento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis na Atenção Primária à Saúde. Escola Anna Nery, v. 26, 2022.

FÉLIX, N. D. DE C. et al. Terminologia especializada de enfermagem para o cuidado de pessoas com síndrome metabólica. Escola Anna Nery, v. 24, n.03, 2020.

FÉLIX, N. D. DE C.; NÓBREGA, M. M. L. DA. Síndrome metabólica: análise conceitual no contexto da enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 27, 2019.

NOGUEIRA-DE-ALMEIDA, Carlos Alberto; HIROSE, Thiago Santos; ZORZO, Renato Augusto; VILANOVA, Karla Cristina Malta; RIBAS-FILHO, Durval. Critério da Associação Brasileira de Nutrologia para diagnóstico e tratamento da síndrome metabólica em crianças e adolescentes. International Journal of Nutrology, v. 13, n. 03, p. 054–068, dez. 2020.

GOBATO, AO et al. Síndrome metabólica e resistência à insulina em adolescentes obesos. Revista Paulista de Pediatria, v. 32, nº01, 2014.

HEIDEMANN, L. A.; PROCIANOY, R. S.; SILVEIRA, R. C. Prevalence of metabolic syndrome-like in the follow-up of very low birth weight preterm infants and associated factors. Jornal de Pediatria, v. 95, n. 03, 2019.

LEE, J.-. KYU. EFFECTS OF EXERCISE TYPE AND INTENSITY ON VISFATIN AND THE METABOLIC SYNDROME IN OBESITY. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 27, n.02, 2021.

LIRA, J. C. G. et al. Prevalence of Metabolic Syndrome in individuals with Type 2 Diabetes Mellitus. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 70, n.02, 2017.

LUDWIG, M. W. B. et al. Intervention Protocol Based on Transtheoretical Model of Behavior Change for Metabolic Syndrome. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 37, 2021.

DAMIANI, D. et al. Síndrome metabólica em crianças e adolescentes: dúvidas na terminologia, mas não nos riscos cardiometabólicos. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 55, n.08, 2011.

OLIVEIRA, L. V. A. et al. Prevalência da Síndrome Metabólica e seus componentes na população adulta brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n.11, 2020.

PESQUISA do IBGE mostra aumento da obesidade entre adultos. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.gov.br/pt-br/noticias/saude-e-vigilancia-sanitaria/2020/10/pesquisa-do-ibge-mostra-aumento-da-obesidade-entre-adultos. Acesso em: 22 mar. 2023.

RAMIRES, E. K. N. M. et al. Prevalence and Factors Associated with Metabolic Syndrome among Brazilian Adult Population: National Health Survey - 2013. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 110, n.05, 2018.

RODRIGUES, A. L. M. et al. Variáveis clínicas consideradas fatores de risco para a síndrome metabólica: um estudo transversal. Escola Anna Nery, v. 26, 2022.

ROSINI, N. et al. Metabolic Syndrome and Importance of Associated Variables in Children and Adolescents in Guabiruba - SC, Brazil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 105, n.01, 2015.

SAAD, M. A. N. et al. Prevalência de Síndrome Metabólica em Idosos e Concordância entre Quatro Critérios Diagnósticos. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 102, n.03, 2014.

SANTANA, A. I. C.; MERCES, M. C. DAS; D’OLIVEIRA JÚNIOR, A. Associação entre síndrome metabólica e categoria profissional: estudo transversal com profissionais de Enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 30, 2022.

SANTOS, F. A. A. DOS. et al. Nível de atividade física de lazer e sua associação com a prevalência de síndrome metabólica em adultos: estudo de base populacional. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 23, 2020.

SANTOS, I. S. C. et al. Intervenção educativa na qualidade de vida e conhecimento da síndrome metabólica. Acta Paulista de Enfermagem, v. 35, 2022.

STABELINI NETO, A. et al. Atividade física e fatores associados á prevalência de síndrome metabólica em adolescentes. Revista da Educação Física / UEM, v. 25, n.04, 2014.

VIEIRA, E. C.; PEIXOTO, M. DO R. G.; SILVEIRA, E. A. DA. Prevalence and factors associated with Metabolic Syndrome in elderly users of the Unified Health System. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 17, n.04, 2014.

VILLA, J. K. D. et al. Metabolic syndrome risk assessment in children: use of a single score. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n.02, 2015.

Downloads

Publicado

2023-06-07

Como Citar

NASCIMENTO, B. M. O.; DIAS, N. X. D.; BARBOSA, J. de S. P. Fatores que influenciam na prevalência da síndrome metabólica: revisão literatura. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 406–414, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8014407. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/573. Acesso em: 29 maio. 2024.

ARK