A vivência dos pais com crianças portadoras de Síndrome de Down sob a teoria da adaptação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.7996694

Palavras-chave:

Síndrome de Down. Teoria da adaptação. Vivência. Enfermagem.

Resumo

Introdução: O nascimento de um filho requer uma reorganização de papéis na família. Porém, se esse nascimento for marcado pela chegada de um filho com deficiência, pode causar instabilidade na família, devido à quebra das expectativas dos pais sobre um bebê ideal. Objetivo geral: Demonstrar, por meio de uma revisão integrativa, de que modo a teoria da adaptação pode auxiliar pais e sociedade no desenvolvimento de crianças portadoras da síndrome de Down. Metodologia: Este estudo consistiu em uma pesquisa bibliográfica acerca de todo o acervo publicado em relação ao tema de estudo. Resultados: Observou-se que a maior quantidade de artigos foi encontrada no SCIELO com 4 (57,14%). No LILACS obteve um menor número de publicações com 3 (42,85%). Discussão: As respostas comportamentais refletem a capacidade dos mecanismos de defesa de se adaptar aos ambientes em constante mudança e atuam como feedback e informações adicionais para o sistema adaptativo. Comportamentos podem ser observados, medidos e relatados subjetivamente. Ao contrário das respostas comportamentais ineficazes, os comportamentos eficazes promovem a integridade da pessoa e os objetivos de adaptação, incluindo sobrevivência, crescimento, reprodução, domínio e transformações humanas e ambientais. Conclusão: Ainda que haja escassez de trabalho que relacionem a Teoria da Adaptação na vivência dos pais com crianças portadoras de Down, foi possível concluir que de acordo com o modelo de adaptação de Roy, o objetivo da enfermagem é aumentar a adesão e a expectativa de vida dopaciente. O referido modelo avalia o paciente no modo fisiológico, no modo de autoconceito, no modo de função de papel e no modo de interdependência com o objetivo de fornecer cuidados holísticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alicia Marinho de Araújo, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Graduação em andamento em Enfermagem pelo Centro Universitário CESMAC, FEJAL, Brasil.

Erica Vitoria dos santos Souza, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Graduação em andamento em Enfermagem pelo Centro Universitário CESMAC, FEJAL, Brasil.

Jandson de Oliveira Soares, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Enfermeiro egresso da Faculdade Estácio de Alagoas. Especialista em Urgência, Emergência e UTI pela Unifip de Pattos. Docente do Centro Universitário- CESMAC e Centro de Ensino em Saúde Santa Barbara. Mestre em enfermagem pelo programa de pós-graduação em enfermagem- PPGENF da Universidade Federal de Alagoas- UFAL na linha de pesquisa em saúde da criança e transtorno do espectro autista.

Alessandra Nascimento Pontes, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Mestrado em Modelagem Computacional (UFAL), doutorado em Distúrbio do Desenvolvimento (DINTER MACKENZIE/CESMAC). Tem formação acadêmica e experiência profissional é graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal de Alagoas, com especializações em áreas relevantes como :Metodologias Digitais (Faculdade São Leopoldo Mandic), Programas de Residência Multidisciplinar no SUS (Sírio Libanês), Simulação Realística (Albert Einstein), Docência do Ensino Superior, CESMAC, Educação Profissional na Área de Saúde (FIOCRUZ) e Urgência e Emergência (UNCISAL).

Referências

BARBOSA, Vívian Mayara da Silva; SILVA, John Victor dos Santos. Use of nursing theories to the systematization of the practice of the nurse: integrative literature review. Rev. enferm. atenção saúde, vol. 7, n.1, p. 260-271, Jan/Jul 2018.

DOĞAN S, Çam O. The effect of adaptation theory-based therapeutic approach on adolescents anger management. J ChildAdolescPsychiatrNurs. 2020, vol. 33, n. 2,p. 85-94. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32207217/. Acesso em:25

BROWNING Callis AM. Application of the Roy Adaptation Theory to a care program for nurses. ApplNurs Res. 2020.

GARCIA, P.; PAZ, F. J. Educação Inclusiva no ambiente universitário. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 10, n. 2, 2020.

LONDERO, A. D., VAN HOOGSTRATENA, A. M. R. K. J., SOUZA, A. P. R., RECHIA, I. C.; FRANCO, V. Adaptação Parental ao filho com deficiência: revisão sistemática da literatura. Interação em Psicologia, vol. 25, n. 2, p. 253-268. 2021.

PEREIRA, Jéssica Barreto. Impacto de atividades lúdicas no processo de adaptação de crianças com câncer em cuidado paliativo: à luz da teoria adaptativa de Callista Roy. 2019. 106f. Dissertação (Mestre em Enfermagem e Saúde)- Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/19098/1/J%c3%a9ssicaBarretoPereira_Dissert.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

PEREIRA, Adriana Soares;SHITSUKA, Dorlivete Moreira; PARREIRA, Fabio José; SHITSUKA,Ricardo. Metodologia da pesquisa científica. [online]. 2018. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

QIAN, Weiming; QIAN, Lei; XU Qin; LU, Lijun. The effects of Roy’s adaptation model and the forgetting curve in the clinical instruction of operating room nursing interns. Am J Transl Res. Vol. 13, n. 7, p. 8214–8220.2021. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8340201/. Acesso em: 02 abr. 2023.

SILVA, Luana Pereira de Novais; FUZINELLI, JheniferPrescilla Dias, MORAES, Rosemary Aparecida de Almeida; MANGILI, Fabiana Frolini Marques. Inclusão de cirnaças com síndrome de Down: um ensaio teórico sobre a importância da relação família-escola. ColloquiumHumanarum, v. 18, p.195-208 jan/dez 2021. Disponível em: file:///C:/Users/Sporte%20London/Documents/Downloads/AUTOR+++4135+++Artigo_corrigido_leitura_de_provas.pdf. Acesso em: 02 abr. 2023.

Downloads

Publicado

2023-06-01

Como Citar

ARAÚJO, A. M. de; SOUZA, E. V. dos santos; SOARES, J. de O. .; PONTES, A. N. A vivência dos pais com crianças portadoras de Síndrome de Down sob a teoria da adaptação. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 306–314, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.7996694. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/592. Acesso em: 16 jun. 2024.

ARK