Teoria do conforto de Kolcaba no cuidado de enfermagem: uma revisão integrativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8065092

Palavras-chave:

teoria de enfermagem, modelos de enfermagem, conforto do paciente, cuidados de enfermagem, serviços de enfermagem

Resumo

A Teoria do Conforto de Katharine Kolcaba é uma teoria de médio alcance cujo enfoque é estabelecer o conforto holístico para o paciente e sua família, fazendo com que eles se envolvam nos cuidados e criem comportamentos de busca de saúde. Neste sentido, este estudo trata-se de esta revisão integrativa, com o objetivo investigar como a Teoria do conforto tem sido empregada nos diversos contextos de atuação da enfermagem. Após ampla busca, foram analisados 24 artigos publicados entre 2016 a 2021. Foi observado o emprego da Teoria em diversas populações, tendo apenas um artigo trabalhado o conforto com o profissional de enfermagem. Emergiram sete categorias com base nas populações em que houve o emprego da Teoria: idoso, criança, mulher, paciente com doenças crônicas, paciente imunossuprimido, paciente oncológico e profissional da saúde. Conclui-se que a Teoria do Conforto de Kolcaba pode ser aplicada em diversas populações com características diferentes nos mais diversos contextos do cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Dayse e Silva, Escola Superior de Ciências da Saúde

Lattes

Graduando em Enfermagem pela Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS). Participante do Programa de Iniciação Científica. Membro da Liga Acadêmica de Enfermagem em Terapia Intensiva (LAETI).

Simone Souza Nascimento, Escola Superior de Ciências da Saúde

Lattes

Mestre em Enfermagem pela UnB. Graduada em Enfermagem pela Faculdade Anhanguera de Anápolis. Pós-graduada em Docência Universitária pela Faculdade Católica de Anápolis, em Saúde Pública com Ênfase em Gestão Hospitalar pela Faculdade Ávila, em Enfermagem do Trabalho, Auditoria em Serviços de Enfermagem e Controle de Infecção Hospitalar pela Unyleya. Atuou por 9 anos em Urgência e Emergência. Atualmente atua na Docência em Enfermagem e em Núcleo de Controle de Infecção Hospitalar.

Referências

NASCIMENTO, Simone Souza; ARAÚJO, Paula Lauane. Seleção e utilização de teorias de enfermagem no Processo de Enfermagem. In: NEVES, Rinaldo de Souza et al. Processo de enfermagem: método baseado em teorias, sistemas de classificações e casos clínicos. 1. ed. Goiânia, GO: IGM, 2022.

GOMES, Vera Lúcia et al. Evolução do conhecimento científico na enfermagem: do cuidado popular à construção de teorias. Investigación y educación en enfermería, Medellín, v. 25, n. 2, p. 108-115, 2007. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0120-53072007000200010.

SAMPAIO, Daniela Carneiro; DOMINGUEZ, Ramona Garcia Souza; RIVEMALES, Maria da Conceição Costa. Teorias de enfermagem e sua articulação com a prática: Relato de experiência. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 7, n. 11, p. 107211-107219, 2021. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n11-383. Disponível em: https://brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/39998/pdf.

KOLCABA, Katharine; BRICE, April. Frequently Asked Questions on Theoretical Comfort. The Comfort Line. 2021a. Disponível em: https://www.thecomfortline.com/faq.

BOUDIAB, Lina Daou; KOLCABA, Katharine. Comfort Theory. Advances in Nursing Science, Germantown, v. 38, n. 4, p. 270-278, 2015. DOI: https://doi.org/10.1097/ANS.0000000000000089. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26517339/.

FIGUEIREDO, Juliana Vieira et al. Pain in the immediate puerperium: nursing care contribution. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 71, suppl 3, pp. 1343-1350, 2018. ISSN 1984-0446. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0345. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0345.

BARROS, Lia Bezerra Furtado et al. Necessidades de conforto de transplantados cardíacos. SANARE-Revista de Políticas Públicas, Sobral, v. 19, n. 1, 2020. DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v19i1.1322. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1322.

ALMEIDA, Vitória de Cássia Félix de; LOPES, Marcos Venícios de Oliveira; DAMASCENO, Marta Maria Coelho. Teoria das relações interpessoais de Peplau: análise fundamentada em Barnaum. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 39, p. 202-210, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342005000200011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/tPtzyWHYsRzm8JwmNYrd5QK/#.

BEZERRA, Clarissa Maria Bandeira et al. Análise descritiva da teoria ambientalista de enfermagem. Enfermagem em Foco, Brasília, v. 9, n. 2, 2018. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2018.v9.n2.1105. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/download/1105/450.

BORSON, Lourena Aparecida Machado Godoi; SILVA, Michelle Cardoso; GONZAGA, Marcia Féldreman Nunes. A teoria ambientalista de Florence Nightingale. Revista Saúde em Foco, Amparo, p. 927-931, 2018. Disponível em: https://portal.unisepe.com.br/unifia/wp- content/uploads/sites/10001/2018/12/0105_A-TEORIA-AMBIENTALISTA-DE- FLORENCE-NIGHTINGALE.pdf.

KOLCABA, Katharine; TILTON, Colette; DROUIN, Carol. Comfort theory: A unifying framework to enhance the practice environment. JONA: The Journal of Nursing Administration, Massachusetts, v. 36, n. 11, p. 538-544, 2006. DOI: https://doi.org/10.1097/00005110-200611000-00010. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17099440/.

LIMA, Juliana Vieira Figueiredo et al. Utilidade da teoria do conforto para o cuidado clínico de enfermagem à puérpera: análise crítica. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 37, n. 4, e65022, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2016.04.65022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2016.04.65022.

MCEWEN, Melanie; WILLS, Evelyn M. Theoretical basis for nursing. Wolters Kluwer Health | Lippincott Williams & Wilkins. Edition 4. 2014. ISBN 978-1-4511-9031-1.

MELO, Geórgia Alcântara Alencar et al. Validação psicométrica do general comfort questionnaire em renais crônicos hemodialíticos. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v., eAPE20190258, 2020a. DOI: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2020AO02585. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ape/a/QFyqqFVtqfkNCtV7MPYZQXS/?lang=pt.

MAJKA, Carrie; DOWD, Teresa; KOLCABA, Katharine. The Effect of Doggie Visits on Comfort and Pain Scores In Hospitalized Children. 2008. Disponível em: https://www.thecomfortline.com/_files/ugd/618179_8501a4fa709040ff894b18c82432432c.pd f?index=true.

KOLCABA, Katharine; BRICE, April. Measuring Comfort (Immediate Outcome). The Comfort Line. 2021b. Disponível em: https://www.thecomfortline.com/measuring-comfort.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-45082010RW1134. Disponível em: https://www.scielo.br/j/eins/a/ZQTBkVJZqcWrTT34cXLjtBx/?lang=pt&format=pdf.

JBI-JOANNA BRIGGS INSTITUTE. Critical appraisal tools. The Joanna Briggs Instituts - JBI; University of Adelaide, Adelaide, 2022. Disponível em: https://jbi.global/critical- appraisal-tools.

CIOSAK, Suely Itsuko et al. Senescência e senilidade: novo paradigma na atenção básica de saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. spe2, pp. 1763-1768, 2011. ISSN 1980-220X. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000800022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000800022.

JIMÉNEZ, Nicolás Medina; SUAZO, Sandra Valenzuela; YÁÑEZ, Alda Orellana. Impacto de un proyecto piloto de estimulación cognitiva sobre el bienestar psicoespiritual en adultos mayores. Horizonte de enfermería, Santiago, v. 29, n. 2, p. 127-136, 2018. DOI: 107764/Horiz_Enferm.29.2.88-97. Disponível em: https://fi- admin.bvsalud.org/document/view/yvyre.

OLIVEIRA, Gláucia Maria Moraes de et al. Estatística Cardiovascular–Brasil 2020. Arquivos brasileiros de Cardiologia, Rio de Janeiro, v. 115, p. 308-439, 2020. DOI: https://doi.org/10.36660/abc.20200812. Disponível em: https://www.scielo.br/j/abc/a/DBcdvZJs8v7JFG95RNnHrjv/?format=pdf&lang=pt.

LUCENA, Sarah Lídia Fonteles et al. Cuidado de Enfermagem à Idosa com Síndrome da Fragilidade fundamentado na Teoria do Conforto. Enfermagem em Foco, Brasília, v. 11, n. 5, 2020. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2020.v11.n5.3417. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/3417/1019.

CARDOSO, Rosane Barreto et al. Diagnósticos de enfermagem em idosos hospitalizados à luz da teoria do conforto de Kolcaba. Revista de Enfermagem Referência, Coimbra, v. serV, n. 4, pág. e20066, 2020. DOI: https://doi.org/10.12707/RV20066. Disponível em http://scielo.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874- 02832020000400007&lng=pt&nrm=iso.

SILVA, Marineide Santos et al. Dor na criança internada: a percepção da equipe de enfermagem. Revista Dor, São Paulo, v. 12, n. 4 pp. 314-320, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1806-00132011000400006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rdor/a/4jJCY3jk9fFBcnmbpggsrJG/?lang=en.

EBRAHIMPOUR, Fatemeh; HOSEINI, Akram Sadat. Suggesting a practical theory to oncology nurses: Case report of a child in discomfort. Journal of Palliative Care, Thousand Oaks, v. 33, n. 4, p. 194-196, 2018. DOI: https://doi.org/10.1177/0825859718763645. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29560797/.

MEREL, Clarice et al. Sentimentos e vivências maternas associadas ao processo de amamentação. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 9, n. 8, p. 9343-9351, 2015. DOI: 10.5205/reuol.6812-75590-1-ED.0908sup201502. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/10739/11845.

SZALBOT, Jacqueline Emanuelly; TONIN, Luana; MAKUCH, Débora Maria Vargas. Pesquisa-cuidado no processo de amamentação de bebês com fissuras labiopalatinas à luz de Kolcaba. Advances in Nursing and Health, Londrina, v. 3, 2021. DOI: https://doi.org/10.5433/anh.2021v3.id40877. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/anh/article/view/40877.

SOARES, Míbsam Lysia Carvalho Alves et al. O custo da cura: vivências de conforto e desconforto de mulheres submetidas à braquiterapia. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 20, p. 317-323, 2016. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160043. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/Cq86VYy94T3pZD66JRh9mZw/?format=html&lang=pt.

MELO, Geórgia Alcântara Alencar et al. Factors related to impaired comfort in chronic kidney disease patients on hemodialysis. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 72, n. 4, pp. 889-895, 2019a. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0120. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0120

FREIRE, Sinara de Menezes Lisboa et al. Meaning and dimensionality of state of comfort in patients with chronic hemodialysis kidney disease. Texto & Contexto-Enfermagem, Florianópolis, v. 30, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2020-0037. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2020-0037.

MELO, Geórgia Alcântara Alencar et al. Cultural adaptation and reliability of the General Comfort Questionnaire for chronic renal patients in Brazil. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 25, e2963, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1518- 8345.2280.2963. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1518-8345.2280.2963.

PATAT, Cilene et al. Análise da qualidade de vida de usuários em hemodiálise. Enfermería global, Murcia, v. 11, n. 3, 2012.DOI: https://dx.doi.org/10.4321/S1695- 61412012000300004. Disponível em: https://scielo.isciii.es/pdf/eg/v11n27/pt_clinica4.pdf.

GARCÍA, Yadira Cardozo; MAYA, Angela María Salazar; CIRO, Carmen Liliana Escobar. La comodidad para el paciente crónico desde el sentir y el hacer. Revista Ciencia y Cuidado, Cúcuta, v. 18, n. 2, p. 19–32, 2021. DOI: 10.22463/17949831.2782. Disponível em: https://revistas.ufps.edu.co/index.php/cienciaycuidado/article/view/2782.

PARKS, Melanie D. et al. An evaluation of patient comfort during acute psychiatric hospitalization. Perspectives in Psychiatric Care, Philadelphia, v. 53, n. 1, p. 29-37, 2017. DOI: https://doi.org/10.1111/ppc.12134. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/ppc.12134.

OLIVEIRA, Renata Marques de; SIQUEIRA JUNIOR, Antonio Carlos; FUREGATO, Antonia Regina Ferreira. Cuidados de enfermagem ao paciente psiquiátrico e ao paciente de outras especialidades: percepção da enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte, v. 23, p. 1-8, 2019. DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20190046. Disponível em: http://reme.org.br/artigo/detalhes/1341#:~:text=O%20%22cuidado%20psiqui%C3%A1trico% 22%20possibilita%20a,ativa%20do%20paciente%20no%20seu.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.º 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, n. 247, 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html.

GÓNGORA, Maria Isabel Ruiz; HEREDIA, Luz Patrícia Diaz. Comodidad del paciente uma unidade de cuidado intensivo em cardiovascular. Avances en Enfermería, Bogotá, v. 36, n. 2, pág. 188-196, 2018. DOI: https://doi.org/10.15446/av.enferm.v36n2.65833. Disponível em http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0121- 45002018000200188&lng=en&nrm=iso.

BRITO, Daniela Cristina Sampaio de et al. Análise das mudanças e dificuldades advindas após o transplante renal: uma pesquisa qualitativa. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 23, p. 419-426, 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-1169.0106.2571. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/jQh9P5f76rZjhgcKBXpXVMz/abstract/?lang=pt.

BRANDÃO, Euzeli da Silva; SANTOS, Iraci dos; LANZILLOTTI, Regina Serrão. Cuidados de enfermagem para conforto de pessoas com dermatoses imunobolhosas: avaliação pela lógica fuzzy. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, p. e32877-e32877, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2018.32877. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-915395.

BRANDÃO, Euzeli da Silva; SANTOS, Iraci dos. Teorias de enfermagem na promoção do conforto em dermatologia. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 27, p. e38330, mar. 2019. ISSN 2764-6149. DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2019.38330. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/38330/29590.

LOURO, Lidiane da Fonseca Moura et al. O conforto sob a perspectiva dos clientes oncológicos em tratamento quimioterápico ambulatorial/Comfort from the perspective of cancer client sunder going out patient chemotherapy treatment. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, v. 17, n. 4, 2018. DOI: https://doi.org/10.4025/ciencuidsaude.v17i4.45001. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/45001.

GRANER, Karen Mendes; COSTA JUNIOR, Aderson Luiz; ROLIM, Gustavo Sattolo. Dor em oncologia: intervenções complementares e alternativas ao tratamento medicamentoso. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 18, n. 2, p. 345-355, 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2010000200009.

FERREIRA, Elaine Barros et al. Contato telefônico como estratégia para a promoção de conforto ao paciente submetido à quimioterapia. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, p. 1936-1942, 2017. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i5a23343p1936-1942-2017. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-31385.

REIS, Karine Marques Costa dos; JESUS, Cristine Alves Costa de. Conforto prejudicado no fim de vida: uma associação com diagnóstico de enfermagem e variáveis clínicas. Texto & Contexto-Enfermagem, Florianópolis, v. 30, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-265X- TCE-2020-0105 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/FvCPG79QXKdcNRVH8BzCFSL/abstract/?lang=pt.

CASTRO, Maria Cristina Freitas de et al. Dor total e teoria do conforto: implicações no cuidado ao paciente em cuidados paliativos oncológicos. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 42, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2021.20200311. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2021.20200311.

MELO, Geórgia Alcântara Alencar et al. Validação do conteúdo da versão brasileira do General Comfort Questionnaire. Rev Rene, Fortaleza, v. 20, e41788, 2019b. DOI: https://doi.org/10.15253/2175-6783.20192041788. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/48214.

CARDOSO, Rosane Barreto; CALDAS, Célia Pereira; SOUZA, Priscilla Alfradique de. Nursing activities score e sua correlação com a teoria do conforto de Kolcaba: reflexão teórica. Enfermagem em Foco, Brasília, v. 10, n. 1, 2019. DOI: https://doi.org/10.21675/2357- 707X.2019.v10.n1.1347. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1347/501 .

MAIA, Êulien Cavalcante et al. Avaliação do nível de estresse de equipe de enfermagem de serviço de atendimento móvel de urgência. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental, Rio de janeiro, v. 4, n. 4, p. 3060-3068, 2012. Disponível em:

https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750895008.pdf

SILVA, Franciana Gabaglia et al. Predisposição para síndrome de burnout na equipe de enfermagem do serviço de atendimento móvel de urgência. Enfermagem em Foco, Brasília, v. 10, n. 1, 2019. DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n1.1600. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1600

MELO, Geórgia Alcântara Alencar et al. Benefícios da auriculoacupuntura em profissionais de enfermagem atuantes na COVID-19 à luz da Teoria do Conforto. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 24, n. spe, e20200311, 2020b. DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN- 2020-0311. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/WzFYSqBTqz8tRck4MmvQv8K/?lang=pt

SILVA JÚNIOR, Edson José da; BALSANELLI, Alexandre Pazetto; NEVES, Vanessa Ribeiro. O cuidado de si no cotidiano do enfermeiro: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 73, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0668. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/5FBHtb7c5jhygQmNgGQjPzx/?lang=pt&format=pdf

Downloads

Publicado

2023-06-21

Como Citar

DAYSE E SILVA, A.; SOUZA NASCIMENTO, S. . Teoria do conforto de Kolcaba no cuidado de enfermagem: uma revisão integrativa. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 946–969, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8065092. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/599. Acesso em: 16 jun. 2024.

ARK