Proposta de metodologia analítica para determinação de Arsênio e Selênio em sacarina sódica dihidratada pela técnica de HG-ICP OES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8028618

Palavras-chave:

Geração de hidretos, impurezas elementares, sacarina sódica, icp oes, método analítico, controle de qualidade, medicamentos

Resumo

O interesse na determinação de impurezas elementares em produtos farmacêuticos aumentou nos últimos anos devido às mudanças nas exigências regulatórias e à necessidade de atualizar os testes de limite atuais recomendados nas farmacopeias. A espectrometria de emissão óptica de plasma acoplado indutivamente (ICP) é uma alternativa adequada para a análise multielementar. O objetivo deste artigo é harmonizar a análise implementada pelo fabricante e pela indústria farmacêutica para o controle de qualidade da matéria-prima sacarina sódica dihidratada; por meio do desenvolvimento de uma metodologia analítica na técnica de geração de hidretos por ICP OES quantificando Arsênio (As) e Selênio (Se) na matriz de estudo. Foi necessário o emprego de diferentes etapas de redução dos analitos para a formação dos respectivos hidretos voláteis. Por esse motivo, optou-se por realizar as análises separadamente. Para As, a reação foi realizada em meio ácido, utilizando iodeto de potássio e ácido ascórbico, enquanto que Se, a redução do Se+6 para Se+4 foi realizado através de aquecimento em meio ácido. Foram obtidos resultados para Precisão e Exatidão dentro dos critérios de aceitação descrito pela USP<730>, desta forma o teste demonstrou ser promissor, apresentando desvio padrão relativo de 2,0% e 2,6%, para As e Se respectivamente, e a linearidade expressou coeficiente de correlação de 0,99. Em estudos futuros, pretende-se dar continuidade à fase de validação analítica, que será avaliada pelos parâmetros descritos na RDC 166/2017, atendendo aos requisitos estabelecidos pela legislação vigente e demais diretrizes internacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucinéia de Oliveira Grobs Zimmermann, Uniamérica Polo Biopark, PR, Brasil

Lattes
Especialização em Controle de Qualidade; graduação em Ciências Biológicas com ênfase em Biotecnologia e Graduanda em Farmácia. Experiência no controle de qualidade em análises instrumentais e físico-químicas em insumos farmacêuticos e produto acabado, transferências de métodos analíticos, validação de limpeza e de processos.

Daniele Cristina da Silva, Uniamérica Polo Biopark, PR, Brasil

Lattes
Graduanda em Farmácia. Experiência na pesquisa e desenvolvimento, criação e validação de novas metodologias analíticas em insumos farmacêuticos e produto acabado, análises instrumentais e físico-químicas, validação de limpeza e de processos, transferências de métodos analíticos.

Marcos Costa, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Lattes
Engenheiro Químico com Especialização em Gestão Empresarial e Inovação. Experiência na pesquisa e desenvolvimento, criação e validação de novas metodologias analíticas em insumos farmacêuticos e produto acabado, para determinação de impurezas metálicas por ICP-OES, HG ICP-OES, FAAS, HG-FAAS, e solventes por CG e HPLC, validações de limpeza. Coordenação e gestão de pessoas e processos.

Hugo Mauricio Tiggemann, Federal University of Rio Grande do Sul

Lattes
Professor na Faculdade Biopark. Possui graduação em Química Industrial, mestrado e doutorado em Química (PPGQ-UFRGS). Tem experiência em Polímeros e Coloides, Processos e Operações Unitária. Atuando nos temas: polímeros, indústria, biodegradável, agroquímicos e análises instrumentais.

Referências

ATSDR. Toxicological profile for selenium. Agency for Toxic Substances and Disease Registry, Public Health Service, U.S. Department of Health and Human Services, Atlanta, GA. 2003

ATSDR. Toxicological profile for arsenic. Agency for Toxic Substances and Disease Registry, Public Health Service, U.S. Department of Health and Human Services, Atlanta, GA. 2007.

BORGES, ELISA MOURA. Metodologia para determinação de arsênio, antimônio e bismuto por espectrometria de emissão óptica com fonte de plasma acoplado indutivamente (icpoes) e geração de hidretos aplicada à rochas. 2005. 86 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista - USP, Rio Claro, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 166 de 24 de julho de 2017.

GUILLEM-LLOBAT X. Defining, regulating and using saccharin at the outset of the industrial food era (1888-1914). Appetite. 2012 Dec;59(3):905-11. doi: 10.1016/j.appet.2012.09.003. Epub 2012 Sep 8. PMID: 22967818.

IARC. Arsenic, metals, fibres, and dusts: a review of human carcinogens. Monographs on the Evaluation of Carcinogenic Risks to Humans. International Agency for Research on Cancer, World Health Organization, Lyon. 2012;100C.

INTERNATIONAL CONFERENCE ON HARMONISATION OF TECHNICAL REQUIREMENTS FOR REGISTRATION OF PHARMACEUTICALS FOR HUMAN USE. ICH. Final Concept Paper Q3D: Impurities: Guideline for elemental impurities. 2009. Disponível em: https://database.ich.org/sites/default/files/Q3D%20Concept%20Paper.pdf.Acesso: 18 de março, 2023.

INTERNATIONAL CONFERENCE ON HARMONISATION OF TECHNICAL REQUIREMENTS FOR REGISTRATION OF PHARMACEUTICALS FOR HUMAN USE. ICH guideline Q3D (R2) on elemental impurities. EMA/CHMP/ICH/353369/2013. 2022. Disponível em: https://www.ema.europa.eu/documents/scientific-guideline/international-conference-harmonisation-technical-requirements-registration-pharmaceuticals-human-use_en-16.pdf Acesso: 18 de março, 2023.

MANDAL BK, SUZUKI KT. Arsenic around the world: a review. Talanta 2002; 58:201–35.PMID: 18968746.

PATACA, L. C. M.; BORTOLETO, G. G.; BUENO, M. I. M. S. Determinação de arsênio em águas contaminadas usando fluorescências de raios-X por energia dispersiva. Quim. Nova. Vol. 28. nov. 4 pág. 579-582. 2005.

PINHEIRO, FC, BARROS, AI, NÓBREGA, JA. Evaluation of dilute-and-shoot procedure for determination of inorganic impurities in liquid pharmaceutical samples by ICP OES. Microchemical Journal 146. 948–956. 2019.

POHL, P.; BIELAWSKA-POHL, A. DZIMITROWICZ, A.; JAMROZ, P. & WELNA, M. “Impact and practicability of recently introduced requirements on elemental impurities”. TrAC Trends Anal. Chem.,101: 43-55, 2018.

POTES, MARIANA DA LUZ. Desenvolvimento de métodos analíticos para a determinação de mercúrio e selênio utilizando técnicas de geração de vapor acopladas à espectrometria de absorção atômica com forno de grafite. 120 f. Dissertação (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre 2018.

RIBEIRO, T. R.; PIROLLA, N. F. F. NASCIMENTO-JÚNIOR, N. M. Adoçantes Artificiais e Naturais: Propriedades Químicas e Biológicas, Processos de Produção e Potenciais Efeitos Nocivos. Rev. Virtual Quim., 12 (5), 1278-1318. ISSN 1984-6835. 2020.

SANTOS, GREICE MAGALHÃES. Quantificação de As inorgânico em alimentos derivados de arroz mediante geração de hidretos e espectrometria de absorção atômica. 82 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio grande do Sul, 2016.

SERBAN, ECATERINA ANCA; VASILE, GABRIELA; GALAON, TOMA; ENE, CORINA; PASCU, LUOANA FLORENTINA. HG-ICP-OES Technique, a Useful Tool for Arsenic Determination in Soft Water. Revist Chimie, vol. 71, n. 7, p. 379-390, julho. 2020.

THE UNITED STATES PHARMACOPEIA CONVENTION, THE UNITED STATES PHARMACOPEIA, 35a edição, USP, Rockville, Maryland, 2012 (Heavy Metals pág 145).

THE UNITED STATES PHARMACOPEIAL CONVENTION. USP. Saccharin Sodium. Stage 6. Harmonization Official. May 1, 2016. Disponível em: https://www.uspnf.com/sites/default/files/usp_pdf/EN/USPNF/usp-nf-notices/m74200.pdf Acesso em 05 de fevereiro de 2023.

THE UNITED STATES PHARMACOPEIAL CONVENTION. USP. 41. <730> Plasma Spectrochemistry, Rockville. U.S. Pharmacopeia. 2022. [Online]. Available: DocID: GUID-0547F508-697A-44F4-B2B0-C9C79A294503_2_en-US.

US EPA. Selenium and compounds (CAS No. 7782-49-2). Integrated Risk. Information System (IRIS).2002.

WELNA, M., SZYMCZYCHA-MADEJA, A. & POHL, P. Improvement of Determination of Trace Amounts of Arsenic and Selenium in Slim Coffee Products by HG-ICP-OES. Food Anal. Methods 7, 1016–1023. 2014.

WHITEHOUSE, C. R; BOULLATA, J.; MCCAULEY, L. A. The Potencial Toxicity of Artificial Sweeteners. American Association of Occupational Health. Nurses 2008, 56, 251.

WHO. Arsenic in drinking-water. Background document of development of WHO Guidelines for Drinking-water quality. World Health Organization, Geneva. 2011. WHO/SDE/WSH/03.04/75/Rev/1.

WHO. Selenium in Drinking-water; Background document for development of WHO Guidelines for Drinking-water Quality. World Health Organization, Geneva. 2011. WHO/HSE/WSH/10.01/14.

Downloads

Publicado

2023-06-12

Como Citar

ZIMMERMANN, L. de O. G. .; SILVA, D. C. da; COSTA, M. R. de L.; TIGGEMANN, H. M. Proposta de metodologia analítica para determinação de Arsênio e Selênio em sacarina sódica dihidratada pela técnica de HG-ICP OES. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 716–730, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8028618. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/607. Acesso em: 4 out. 2023.

ARK