Implementação do plano de parto na unidade básica de saúde Santa Luzia no município de União dos Palmares - Relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8023738

Palavras-chave:

Assistência de enfermagem, Humanização de assistência ao parto, Parturientes

Resumo

Introdução: O período gestacional produz impacto físico-emocional tanto na gestante, quanto na família. Na assistência a parturiente no Brasil, ocorre o predomínio de intervenções desnecessárias durante o trabalho de parto, sendo a maioria delas efetuadas sem o conhecimento das gestantes. Objetivo: implementação do plano de parto em uma unidade básica de saúde como uma ferramenta de promoção as boas práticas e a humanização. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo e do tipo relato de experiência, descrevendo as etapas envolvidas por acadêmicas de enfermagem frente à construção e implementação do plano de parto. Resultados e discussão: A ação foi realizada na Comunidade Quilombola Muquém, ofertando as gestantes um momento de conhecimento a cerca da utilização do plano de parto, incluindo também na execução do projeto, a roda de conversa, arte gestacional, sorteios de brindes e coffee breack. Considerações Finais: É fundamental a utilização do plano de parto nos serviços de saúde, tendo em vista a importância ao reconhecimento da autonomia da mulher e seus direitos que por sua vez são facilmente esquecidos, gerando o processo do trabalho de parto um momento desagradável e apático para a mesma.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hyarla Karollayne Dativo de Oliveira, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Graduanda em enfermagem pelo Centro Universitário CESMAC.

Geovanna Moura dos Santos, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Graduanda em enfermagem pelo Centro Universitário CESMAC.

Jandson de Oliveira Soares, Centro Universitário Cesmac

Lattes
Enfermeiro egresso da Faculdade Estácio de Alagoas. Especialista em Urgência, Emergência e UTI pela Unifip de Pattos. Docente do Centro Universitário- CESMAC e Centro de Ensino em Saúde Santa Barbara. Mestre em enfermagem pelo programa de pós-graduação em enfermagem- PPGENF da Universidade Federal de Alagoas- UFAL na linha de pesquisa em saúde da criança e transtorno do espectro autista.

Camilla Luna Cardoso, Centro Universitário Tiradentes - UNIT, AL, Brasil

Lattes
Enfermeira, especialista em Enfermagem e Saúde do trabalhador, Cardiologia e Hemodinâmica, pós-graduanda em Urgência e Emergência e UTI.

Referências

BARBOSA NR, Lima TQ, Barros LA, Cotta CFA. (Des)conhecimento sobre a prática da violência obstétrica. Enf. Bras. 2018; 17(4): 318-325.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica no32 – Atenção ao Pré-Natal de Baixo Risco. Brasília, 2012.

BRASIL. Lei n 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União. Brasilia; 2005 [citado 4 Abr 2011]. Disponível em: http://www3.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/2005/11108.htm.

DA SILVA, Maria Regina Bernardo et al. Tecnologias não invasivas: conhecimento das mulheres para o protagonismo no trabalho de parto. Nursing (São Paulo), v. 23, n. 263, p. 3729-3735, 2020.

DA SILVA, Maria Camila Nunes et al. Espaço de luta e resistência: uma breve análise do uso território na Comunidade Quilombola Muquém de União dos Palmares/AL. Diversitas Journal, v. 3, n. 2, p. 283-291, 2018.

MATA, J. A. L. Vivência da Arte da Pintura do Ventre Materno por Profissionais e Gestantes: Histórias, Emoções e Significados. 2017. Tese (Doutorado em Enfermagem) -Faculdade de Enfermagem, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, 2017.

MEDEIROS, Renata Marien Knupp et al. Repercussões da utilização do plano de parto no processo de parturição. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 40, e20180233, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983- 14472019000100504&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 12 Mar. 2023.

PICCININI, C. A. et al. Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê. Psic.Teor. e Pesq., Brasília, v. 20, n. 3, p. 223-232, set./dez. 2004.

POSSATI, Andrêssa Batista et al. Humanização do parto: significados e percepções das enfermeiras. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 1-6, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1277/127752022003.pdf. Acesso em: 11 Mar. 2023.

.

RIBEIRO, Levy Felix et al. Território e memória: uma etnografia na comunidade remanescente quilombola do Muquém em União dos Palmares–Alagoas. 2018.

SAUAIA AS, Serra MCM. Uma dor além do parto: violência obstétrica em foco. Rev. de Direitos Humanos e Efetividade. 2016; 15(1): 103-8.

SILVA, Adaiele Lucia Nogueira Vieira da et al. Plano de parto: ferramenta para o empoderamento de mulheres durante a assistência de enfermagem. Rev. enferm. UFSM, p. 144-151, 2017.

SUÁREZ-CORTÉS, María et al. Uso e influência dos Planos de Parto e Nascimento no processo de parto humanizado. Revista Latino-Americana de Enfermagem, [S.L.], v. 23, n. 3, p. 520-526, 3 jul. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v23n3/pt_0104-1169- rlae-0067-2583.pdf. Acesso em: 12 Mar 2023.

Downloads

Publicado

2023-06-10

Como Citar

OLIVEIRA, H. K. D. de; SANTOS, G. M. dos; SOARES, J. de O.; CARDOSO, C. L. Implementação do plano de parto na unidade básica de saúde Santa Luzia no município de União dos Palmares - Relato de experiência. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 580–593, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8023738. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/610. Acesso em: 23 jul. 2024.

ARK