Auto-objetificação em mulheres universitárias transgênero, travestis e não binárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8066517

Palavras-chave:

self-objectification, university students, gender, feminilities

Resumo

A auto-objetificação refere-se à internalização do olhar do outro sobre o próprio corpo. A partir de estudos de Frederickson e Roberts (1997) percebe-se que, na cultura machista, pessoas são coisificadas, o corpo torna-se sexualmente objetificado, controlado, “alvo de olhares e críticas”. Quanto maior a objetificação, maior é o impacto sobre a saúde mental acarretando ocorrência de inúmeros  quadros, como transtornos alimentares, ansiedade, depressão, estresse e outros. Há poucas pesquisas acerca da auto objetificação em mulheres universitárias e menos ainda sobre a auto objetificação em mulheres universitárias não hetero transgênero, travestis e não binárias. Este trabalho objetiva mensurar a auto-objetificação em mulheres universitárias  não hetero normativas. Observou-se (1) há alta objetificação em mulheres universitárias transgênero, travestis e não binárias. (2) A maior média de auto-objetificação foi com mulheres travestis universitárias, (3) Há necessidade de serem estabelecidas políticas voltadas para relações de gênero não heterocentrada 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karoliny Viana Macêdo, Centro Universitário IESB

Lattes

Graduação em andamento em Psicologia pelo Instituto de Educação Superior de Brasília, IESB, Brasil.

Gilson de Assis Pinheiro, Centro Universitário IESB- DF, Brasil

Lattes

Possui graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Goiás (1983), graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília (1994), graduação em licenciatura em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília (1993), graduação em Gastronomia pela Faculdade Maurício de Nassau (2008), Mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2000) e Doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2005). Atualmente é professor do Instituto de Educação Superior de Brasília. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicobiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: odontopediatria, ansiedade, 5- HT, psicobiologia da ansiedade, processos psicológicos básicos, transtornos alimentares e Psicoterapia Cognitivo Comportamental

 

Referências

V PESQUISA Nacional De PERFIL Socioeconômico e Cultural DOS (AS) Graduandos (as) das IFES – 2018 FONAPRACE- Fórum Nacional de pro reitores de assuntos comunitários e estudantis. Brasília- 2019.

ANTRA Dossiê dos assassinatos e da violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2020 / Bruna G. Benevides, Sayonara Naider Bonfim Nogueira (Orgs). – São Paulo: Expressão Popular, ANTRA, IBTE, 2021

BAPTISTA, V. F.. Reconhecimento de direitos de pessoas trans: alternativas, políticas e ativismo teórico-judicial. Revista de Direito Brasileira, v. 28, p. 131-163, 2021.

BERCHT, Ana Maria. Teoria da objetificação: aplicabilidades no contexto brasileiro. 2018 PUC-RS, 76 f. Dissertação de Mestrado

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Superior 2020: notas estatísticas. Brasília, DF: Inep, 2022

BORGES, M. T.; DE TILIO, R. . Consumo de pornografia midiática e masculinidade. Revista Periódicus, v. 1, p. 402-426, 2018.

BERCHT, A. M.; CATELAN, R. F.; PASE, P.; STUCKY, J. L. ; CHINAZZO, I. R. ; AZEVEDO, F. M. ; VEZZOSI, J. ; BRASIL, M. V. ; PORTALINO, E. A. ; RAMOS, M. L. ; ZANELLA, G. ; COSTA, Â.B . Diversidade sexual e de gênero: modelos teóricos de pesquisas recentes no Brasil. In: Elder Cerqueira-Santos; Luciana Maia.. (Org.). Preconceito e exclusão social: estudos em psicologia no Brasil. 1ed.Piauí: EDUFPI, 2019, v. 1, p. 1-443.

BORGES, I. V. I.; BUENO, J. L. P. Travestis e transexuais nas universidades públicas: reflexões sobre o acesso e a permanência . Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 19, n. 50, p. e12044, 2023. DOI: 10.22481/praxisedu.v19i50.12044. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/12044 . Acesso em: 12 jun. 2023.

BRAZÃO, J. P. G.; DIAS, A. F. O que dizem os estudantes sobre gênero não-binário: um estudo comparativo na Universidade Federal de Sergipe e na Universidade da Madeira. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 3, p. 2886–2909, 2021. DOI:10.22633/rpge.v25i3.15680 . Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15680 . Acesso em: 16 maio. 2023.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas para uma teoria performativa da assembleia. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira. 2018

CEREZETTI, Sheila, ALMEIDA, Cecília Barreto ; BARBOSA, Izabella Menezes Passos; GUIMARÃES, Lígia G. ; RAMOS, L. O. ; LESSA, M. M. K. R. ; TULIO, F. A. P. G. ; SILVA, Gabriela Biazi Justino ; JUNQUEIRA, Gabriela de O. ; ALVES, Isabela Scarabelot Castro ; Campos. Isabelle Oglouyan ; Fonseca, Lívia Boruchovitch ;

FERRARO, L. P. Interações de gênero nas salas de aula da Faculdade de Direito da USP: um currículo oculto? Sã o Paulo: Cátedra UNESCO de Direito à Educação/Universidade de São Paulo (USP), 2019. 127 p. E-book. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000367420/PDF/367420 por.pdf.multi . Acesso em 15 mai 2023

CALOGERO, R. M., TANTLEFF-DUNN, S., & THOMPSON, J. K. (Eds.). (2011). Objectification theory: An introduction. In R. M. Calogero, S. Tantleff-Dunn, & J. K. Thompson (Eds.), Self-objectification in women: Causes, consequences, and counteractions (pp. 3–21). American Psychological Association. https://doi.org/10.1037/12304-001

COSTA, Márcia Sardinha (2020) Gênero e identidade(s) na contemporaneidade: os desafios do não binário. Dissertação de Mestrado UFG 133

CRUZ, L. E. de M. P.; BARRETO, M. L. da S.; DAZZANI, M. V. M. DO GÊNERO AOS PAPEIS SOCIAIS: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA PESSOA TRANSEXUAL. Interfaces Científicas - Educação, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 299–314, 2020. DOI: 10.17564/2316-3828.2020v8n2p299-314. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/educacao/article/view/7905 . Acesso em: 11 maio. 2023.

DAVIDSON, M. M., & GERVAIS, S. J. (2015). A violência contra a mulher sob a ótica da teoria da objetificação. Violência Contra a Mulher, 21(3), 330–354. https://doi.org/10.1177/1077801214568031

D’OLIVEIRA, Ana Flávia. Invisibilidade e banalização da violência contra as mulheres na universidade: reconhecer para mudar. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 23, p. e190650, 2019.

FERREIRA, S. R. S.. A respeito da categoria (trans/cis) gênero: a representação da identidade de gênero e a cisgeneridade compulsória. REVISTA ECO-PÓS (ONLINE), v. 24, p. 355-380, 2021.

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1988.

FREDERICKSON, B. L., & ROBERTS, T.-A. (1997). Objectification Theory: Toward Understanding Women’s Lived Experiences and Mental Health Risks. Psychology of Women Quarterly, 21(2), 173–206. https://doi.org/10.1111/j.1471-6402.1997.tb00108.x

GÓES, Fernanda Karla Fernandes da Silva. (2019) O quarto excluído: GÊNEROS NÃO BINÁRIOS E FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA dissertação de Mestrado UFPB 310 p

HOLMES, S. C., & JOHNSON, D. M. (2017). Aplicação da teoria da objetificação à relação entre vitimização sexual e alimentação desordenada. O Psicólogo do Aconselhamento, 45(8), 1091–1114. https:// doi.org/10.1177/0011000017745977

LABIAK, Fernanda Pereira; DE NOVAIS, Melissa Mendes; DE NOVAES SILVA, Gabriel. Papo reto sobre violência contra a mulher: relato de experiência de uma prática de extensão universitária. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, v. 17, n. 36, p. 145-158, 2020.

LOUREIRO, Carolina Piazzarollo (2014). Corpo, beleza e auto-objetificação feminina. Dissertação de Mestrado- UFES. 147 p

LOUREIRO, C. P. ; GUERRA, V. M. ; CARDOSO, G. K. A. ; MATOS, F. R. ; ALMEIDA, I. M. ; PEDRUZZI, P. F. . Propriedades psicométricas iniciais da Escala de Autoobjetificação Corporal para estudantes universitárias brasileiras. Psicologia, conocimiento y sociedad v. 12, p. 110-131, 2022.

MAITO, Deíse Camargo; PANÚNCIO-PINTO, Maria Paula; VIEIRA, Elisabeth Meloni. Violência interpessoal no ambiente acadêmico: percepções de uma comunidade universitária. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 26, 2022.

MARACCI, Inara Linn (2013) SOCIALIZAÇÃO, PAPÉIS DE GÊNERO E DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO: TECENDO NARRATIVAS FEMININAS.. Dissertação de Mestrado UNB 309 p

MARIANO, S.; SOUZA, M. F. A Morte Antecipada na Forma de Feminicídio: Pelo Direito à Justiça, à Verdade e à Memória. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 28, n. 1, p. 1–20, 2023. DOI: 10.5433/2176-6665.2023v28n1e46956.

MONTREONE, AINDA VICTORIA GARCIA; FABBRO, MÁRCIA REGINA CANGIANI ; DIAS, T. C. M. ; MOREIRA, D. B. ; FUSSARI, L. . Violência de Gênero numa universidade pública brasileira: saindo da invisibilidade. Revista Gênero, v. 21, p. 6-23, 2020

MORADI, B., & HUANG, Y.-P. (2008). Objectification Theory and Psychology of Women: A Decade of Advances and Future Directions. Psychology of Women Quarterly, 32(4), 377–398. https://doi.org/10.1111/j.1471-6402.2008.00452.x

MORADI, B., & TEBBE, E. (2022). Um teste da teoria da objetificação com mulheres de minorias sexuais. Psicologia da Mulher Trimestral, 46(2), 226–240. https://doi.org/10.1177/03616843211052525

MOREIRA, Geraldo Eustáquio. Por trás do Monograma do Movimento LGBTQIAPN+: Vidas, Representatividade e Esclarecimentos. TEMPORIS [AÇÃO], v. 22, p. 01-20, 2022.

NOGUEIRA, C. (2001). Contribuições do Construcionismo Social a Uma Nova Psicologia do Gênero. Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho, Portugal. Seminário Internacional do Projeto Coeducação do Princípio ao desenvolvimento de uma prática, organizado pela Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres, em junho de 1999.https://doi.org/10.590/S0100-15742001000100007

PECINI, C., GUIZZO, F., BONACHE, H., BORGES-CASTELLS, N., MORERA, M. D., & Vaes, J. (2023). Objetificação sexual: avanços e caminhos para pesquisas futuras. Opinião Atual em Ciências do Comportamento, 50, Artigo 101261.

PEREIRA, A. C.; ANDRADE, V. N. G. . Travestis e Transexuais no Ensino Superior: Uma revisão integrativa de literatura científica - PIBIC. In: IX PESQUISAR, 2020, Aparecida de Goiânia. Educação, Cultura e Comunicação, 2020. v. 9

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. Editora Fundação Perseu Abramo, São Paulo. 2003.

POON, K.-T., CHEN, Z., TENG, F., & WONG, W.-Y. (2020). O efeito da objetificação na agressão. Revista de Psicologia Social Experimental, 87, Artigo 103940. https://doi.org/10.1016/j.jesp.2019.103940

PREU, Roberto Oliveira e BRITO, Carolina Franco (2019). PATOLOGIZAÇÃO DA TRANSEXUALIDADE: UMA LEI-TURA CRÍTICA DAS TRANSFORMAÇÕES OCORRIDAS NAS TRÊS ÚLTIMAS VERSÕES DO DSM DOI: https://doi.org/10.22409/rg.v19i2.1254

SCAVONE, Míriam; ALVAREZ, Larissa. Violência contra a mulher no ambiente universitário. São Paulo: Data Popular/Instituto Avon, 2015.

SILVA, Keo; VAZ, Alexandre Fernandez. Pessoas trans no ensino superior: lutas por acesso e permanência, a exemplo da Universidade Federal de Santa Catarina (2012-2015). Crítica Cultural, v. 14, n. 2, p. 209-21, 2019.

SILVA, R. G. L. B. da; BEZERRA, W. C.; QUEIROZ, S. B. de. Os impactos das identidades transgênero na sociabilidade de travestis e mulheres transexuais. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 26, n. 3, p. 364-372, 2015. DOI: 10.11606/issn.2238-6149.v26i3p364-372. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rto/article/view/88052 . Acesso em: 12 jun. 2023.

TELES, Maria Amelia de Almeida. Breve história do feminismo no Brasil Ed Brasiliense, 1999

TIGGERMANN, M., & WILLIAMNS, E. (2012). O Papel da Auto-Objetificação na Alimentação Desordenada, no Humor Deprimido e no Funcionamento Sexual entre Mulheres: Um Teste Abrangente da Teoria da Objetificação. Psicologia da Mulher Trimestral, 36(1), 66–75. https://doi.org/10.1177/0361684311420250

RUTH, Sojouner (2020) E não sou uma mulher? A narrativa de Sojouner Truth. Imâ editorial. 214 p

Santos, J. A. S. dos ., Trindade, V. L. R. da ., Pereira, O. P. ., & Santos, L. da S. . (2020). TRANSTORNO ALIMENTAR E OBJETIFICAÇÃO FEMININA: UM RESULTADO DAS RELAÇÕES DE PODER?. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 3(7), 123–142. https://doi.org/10.5281/zenodo.3992831

VIANA, Carolina Pinto; DELGADO, Igor Matheus; ROSA, Anderson; NEVES, Vanessa Ribeiro; SIQUEIRA, Lucíola D’Emery.Transgender students experience at college. Acta Paulista Enfermagem. V. e Aug 2022. https://doi.org/10.37689/acta-ape/2022AO019666

Downloads

Publicado

2023-06-21

Como Citar

MACÊDO, K. V.; PINHEIRO, G. de A. Auto-objetificação em mulheres universitárias transgênero, travestis e não binárias. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 970–985, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8066517. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/641. Acesso em: 16 jun. 2024.

ARK