Leishmaniose Visceral canina, métodos diagnósticos e tratamento na atualidade – Revisão de literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8082752

Palavras-chave:

Controle, Doença parasitária, Leishmania infantum, Prevenção, Saúde única

Resumo

A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma doença grave causada pelo protozoário Leishmania infantum, transmitida por mosquitos do gênero Lutzomyia. Os principais sintomas incluem emagrecimento, fraqueza, anemia, febre intermitente e problemas renais. Existem diversas opções terapêuticas para o tratamento da LVC, mas a cura ainda não é garantida. Além disso, medidas de prevenção e combate ao vetor transmissor são importantes para o controle da doença. Novas estratégias de controle e prevenção da LVC, como o uso de vacinas e terapias combinadas, estão sendo estudadas para melhorar o diagnóstico e tratamento da doença. A prevenção e controle da LVC são importantes não apenas para a saúde dos cães, mas também para a saúde pública, uma vez que a doença pode ser transmitida para humanos.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Eduarda Mergen, União Dinâmica de Faculdades Cataratas

Lattes

Graduanda em Medicina Veterinária pela União Dinâmica de Faculdades Cataratas - UDC

Marília Mascarenhas Souza, União Dinâmica de Faculdades Cataratas

Lattes 

Bacharel em Medicina Veterinária. Internato em Medicina e Cirurgia de Urgência e Cuidados Intensivos no Hospital Veterinário Central - Portugal em 2012. Pós-graduada em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas - Foz do Iguaçu em 2017. Mestre em Produção Sustentável e Saúde Animal pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em 2019. Docente em Medicina Veterinária e Membro do Comitê de Ética em Pesquisa, Ensino e Experimentação Animal (CEPEEA) no Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas.

Referências

ABRANTES, P.; SILVEIRA, H. Alterações climáticas na Europa: efeito nas doenças parasitárias humanas. Revista Portuguesa de Saúde Pública, v. 27, n. 2, p. 71-86, 2009.

AMORIM, I. F. et al. Serological and molecular detection of Leishmania infantum infection in dogs from urban areas with different characteristics of canine visceral leishmaniasis transmission in Northeast Brazil. Acta tropica, v. 185, p. 32-38, 2018.

BRASIL. Esclarecimentos sobre substituição do protocolo diagnóstico da leishmaniose visceral canina (LVC). Nota Técnica Conjunta nº 1, Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis/Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde, Brasília. p.3, 2011.

CARRASCO, L. R.; HARVEY, D. J.; MEDLEY, G. F. Predictive spatial dynamics and strategic planning for control of visceral leishmaniasis in Brazil. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 6, n. 2. p.14-75, 2012.

CASTRO, V. S.; ALVES, T. M. C.; PEREIRA, M. C. C. et al. The role of nutrition in the prevention and treatment of dental diseases in dogs and cats. Journal of Animal Science and Technology, v. 63, p. 46-55, 2021.

CASTRO-JÚNIOR, J. G. et al. Evidência de infecção por Leishmania (Leishmania) infantum em cães de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil, baseada em imunocromatografia dual-path platform (DPP®) e ensaios de PCR. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v. 56, p. 225-229, 2014.

CAVALCANTI, A. S. et al. Parasite load induces progressive spleen architecture breakage and impairs cytokine mRNA expression in Leishmania infantum-naturally infected dogs. PLoS One, v. 10, n. 4, p. 09-12, 2015.

CHAGAS, A. C. S. et al. Combination therapy with a low dose of miltefosine and allopurinol for the treatment of canine leishmaniasis. Veterinary Parasitology, v. 234, p. 1-6, 2017.

COSTA, J. R.; FERREIRA, L. C.; SANTOS, J. P. L. et al. Evaluation of hygienic-sanitary conditions and microbiological quality of cheese marketed in the southern region of Bahia, Brazil. Higiene Alimentar, v. 35, n. 306/307, p. 181-187, 2021.

CUNHA, N. C.; ALMEIDA, M. A. O papel da microbiota intestinal na saúde e na doença de cães e gatos. Revista Brasileira de Ciência Veterinária, v. 27, n. 1, p. 43-50, 2020.

DANTAS, T. F. et al. Leishmania-FAST15: um ensaio de PCR em tempo real rápido, sensível e de baixo custo para a detecção de DNA de cinetoplastos de Leishmania infantum e Leishmania braziliensis em amostras de sangue canino. Sondas moleculares e celulares, v. 31, p. 65-69, 2017.

DIAS, E. S. et al. Seroprevalence and risk factors for Leishmania spp. Infection in dogs from na endemic area of Brazil. Acta Tropica, v. 171, p. 178-183, 2017.

FERNANDES, C. F.; FERREIRA, J. P.; CARVALHO, T. L. Leishmaniose visceral canina: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Ciências Veterinárias, v. 25, n. 2, p. 82-89, 2018.

FREITAS, E. et al. Manual Técnico de Leishmanioses Caninas - Leishmaniose Tegumentar Americana e Leishmaniose Visceral. CRMV-PR, 2015. Disponível em: <https://www.crmv-pr.org.br/uploads/publicacao/arquivos/Manual-tecnico-de-leishmanioses-caninas.pdf> Acessado em 06 Mar.2023.

GÓES-COSTA, E. T. et al. Leishmaniose visceral em cães no Brasil: uma revisão bibliográfica. Semina: Ciências Agrárias, v. 36, n. 1, p. 325-344, 2015.

GONÇALVES, A. L.; RODRIGUES, L. V.; CAMPOS, M. B. F. Cenários epidemiológicos da leishmaniose visceral canina em Minas Gerais: uma análise espacial. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 18, n. 4, p. 821-831, 2015.

GONZÁLEZ, J. L. et al. Comparison of an ELISA and RIFI using whole promastigotes of Leishmania infantum as antigen for canine visceral leishmaniasis diagnosis. Acta tropica, v. 136, p. 95-99, 2014.

KOUTINAS, A. F.; KOUTINAS, C. K. Pathologic mechanisms underlying the clinical findings in canine leishmaniosis due to Leishmania infantum/chagasi. Veterinary Pathology, v. 51, n. 2, p. 527-538, 2014.

LEITE, R. S. et al. Combination therapy with allopurinol and meglumine antimoniate for canine visceral leishmaniasis: a randomized trial. Veterinary Parasitology, v. 257, p. 67-72, 2018.

LINDOSO, J. A. L. et al. Visceral leishmaniasis and HIV coinfection: current perspectives. HIV/AIDS-Research and Palliative Care, p. 193-201, 2018.

MAIA, C.; CAMPINO, L. Canine leishmaniasis in Portugal: Review of 2001–2016. Veterinary Parasitology, v. 251, p. 108-115, 2018.

MAPA, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Coordenação de Fiscalização de Produtos Veterinários (2016). Nota técnica nº 11/2016/CPV/DFIP/SDA/GM/MAPA. Processo nº 21000.042544/2016-94. https://www.sbmt.org.br/portal/wp/content/uploads/2016/09/nota-tecnica.pdf.

MEGID, J.; RIBEIRO, M. G.; PAES, A. C. Doenças infecciosas em animais de produção e de companhia. Rio de Janeiro: Roca, p. 799-821, 2016.

MENEZES, R. C. et al. Cell-block immunohistochemistry of bone marrow aspirates: a novel tool to improve the diagnosis of Leishmania infection in dogs. Journal of Comparative Pathology, v. 154, n. 2-3, p. 157-160, 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de vigilância e controle da leishmaniose visceral / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 1. Ed., 5. Reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

MIRANDA, L. G. S.; GOMES, L. I.; FERREIRA, F. N. Tratamento da leishmaniose visceral canina: revisão de literatura. Ciência Animal Brasileira, v. 19, n. 2, p. 195-207, 2018.

MOHAPATRA, S. et al. Lipid derangement as diagnostic and prognostic indicator for visceral leishmaniasis patients. Tropical Parasitology, v. 4, n. 2, 2014.

MORENO, J. et al. Canine leishmaniasis: the key points for qPCR result interpretation. Parasites & Vectors, v. 12, n. 1, p. 1-9, 2019.

NOLI C, SARIDOMICHELAKIS M. N. An update on the diagnosis and treatment of canine leishmaniosis caused by Leishmania infantum (syn. L. chagasi). Vet J. 2014 Dec;202(3):425-35.

OLIVEIRA, G. G. S. et al. Efficacy of the canine anti-Leishmania vaccine Leish-Tec® in a field trial in na endemic area of Brazil. Vaccine, v. 36, n. 7, p. 957-964, 2018.

OLIVEIRA, L. G.; FERNANDES, R. L.; FARIAS, L. et al. Prevalence and antimicrobial resistance of Campylobacter spp. Isolated from broiler chickens in Brazil. Poultry Science, v. 100, n. 5, p. 101-123, 2021.

OLIVEIRA, R. C.; BORGES, F. A.; FERREIRA, F. L. Prevalência e fatores associados à infecção por Leishmania spp. Em cães no estado de Minas Gerais, Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 38, n. 1, p. 49-54, 2018.

OLIVEIRA, T. M. F.; FONSECA, A. H. Diagnóstico molecular da leishmaniose visceral canina por PCR em tempo real: revisão de literatura. Semina: Ciências Agrárias, v. 37, n. 3, p. 1507-1524, 2016.

PACHECO, C. F.; LIMA, M. L.; RODRIGUES, P. F. et al. Molecular detection and genetic characterization of Toxoplasma gondii in wild rodents from the Amazon region of Brazil. Journal of Parasitology, v. 107, n. 3, p. 472-478, 2021.

PAIVA, J. P.; SILVA, J. C.; BEZERRA, L. R. Vacinas contra a leishmaniose visceral canina: revisão de literatura. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, v. 37, n. 1, p. 11-17, 2015.

PAPARCONE, R. et al. Sternal aspiration of bone marrow in dogs: a practical approach for canine leishmaniasis diagnosis and monitoring. Journal of Veterinary Medicine, v. 2013.

PEREIRA, L. et al. The impact of climate change on the geographical distribution of two vectors of canine leishmaniasis in Brazil. Parasites & Vectors, v. 11, n. 1, p. 1-8, 2018.

RIBEIRO, V. M.; VILLAR, L. M.; FRANCO, R. P. S. Métodos de diagnóstico da leishmaniose visceral canina: revisão de literatura. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 66, n. 1, p. 135-144, 2014.

SANTOS, A. S.; SILVA, E. G.; GONÇALVES, R. C. et al. Canine visceral leishmaniasis and associated factors in dogs from rural settlements in the state of Mato Grosso, Brazil. Journal of Infection and Public Health, v. 14, n. 1, p. 80-85, 2021.

SILVA, V. L. et al. Evaluation of ELISA and RIFI assays for the diagnosis of canine visceral leishmaniasis. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v. 20, n. 3, p. 236-240, 2011.

SOARES, L. A. et al. Validation of a rapid immunochromatographic test for the diagnosis of canine visceral leishmaniasis in Brazil. Acta tropica, v. 182, p. 102-106, 2018.

SOUSA, V. R.; LIMA, L. V.; COSTA, D. N. Terapia fotodinâmica como alternativa terapêutica para leishmaniose visceral canina: revisão de literatura. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 14, n. 2, p. 188-195, 2015.

Downloads

Publicado

2023-06-26

Como Citar

MERGEN, M. E.; SOUZA, M. M. Leishmaniose Visceral canina, métodos diagnósticos e tratamento na atualidade – Revisão de literatura . Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 1024–1036, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8082752. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/652. Acesso em: 29 maio. 2024.

ARK