ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO DIANTE DO COMPORTAMENTO E TENTATIVA DE AUTOEXTERMÍNIO

Palavras-chave: Suicídio. Intervenções de enfermagem. Tentativas de suicídio. Atenção primária à saúde. Enfermeiras.

Resumo

O tema deste artigo são as estratégias de intervenção do enfermeiro diante do comportamento e tentativa de autoextermínio. Investigou-se o seguinte problema: quais são as intervenções de enfermagem diante do comportamento suicida na atenção primária? Cogitou-se a seguinte hipótese: avaliar e classificar o paciente com risco para o suicídio. O objetivo geral é analisar o conhecimento e as estratégias de intervenção dos enfermeiros prestados aos usuários com comportamento suicida. Este trabalho é importante por descobrir maneiras de ajudar os indivíduos e profissionais a intervir diante de situação suicida. Para as ciências, é relevante por ser um incentivo para a criação de novos programas, estratégias e melhorias no acolhimento das pessoas com ideação suicida. Agrega a sociedade agregando conhecimento sobre o assunto. Trata-se de uma pesquisa qualitativa teórica com duração de 6 meses.

Biografia do Autor

Sâmara Rosa de Souza Marçal , Universidade Paulista UNIP

Graduando(a) em Enfermagem pela Unip (Universidade Paulista). Sâmara Rosa de Souza Marçal.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1828687777297199.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6381-0578.

E-mail: sam1212enfermagem@gmail.com

Me. Jonas Rodrigo Gonçalves, Faculdade Processus -DF

Doutorando em Psicologia; Mestre em Ciência Política (Direitos Humanos e Políticas Públicas); Licenciado em Filosofia e Letras (Português e Inglês); Especialista em Direito Constitucional e Processo Constitucional, em Direito Administrativo, em Direito do Trabalho e Processo Trabalhista, entre outras especializações. Professor das faculdades Processus (DF), Unip (SP) e Facesa (GO). Escritor (autor de 61 livros didáticos/acadêmicos) Revisor. Editor. 

Lattes: http://lattes.cnpq.br/6904924103696696.

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-4106-8071.

E-mail: jonas.goncalves@institutoprocessus.com.br.

Referências

AZEVEDO, EB et al. Tecendo práticas intersetoriais em saúde mental para pessoas em sofrimento psíquico. Rev. Enferm UFSM. acesso em 2015 Disponível em: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/reufsm/article/view/13562.

BARBOSA, FO; MACEDO, PCM; SILVEIRA, RMC. Depressão e o suicídio. Rev. SBPH. Acesso em 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v14n1/v14n1a13.pdf.

BERTOLOTE, JM; MELLO-SANTOS, C, Botega, NJ. Detecção do risco de suicídio nos serviços de emergência psiquiátrica. Rev. Bras Psiquiatr. acesso em 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v32s2/v32s2a05.pdf.

BOTEGA, NJ et al. Atitudes do pessoal de enfermagem em relação ao suicídio: a criação de uma escala de avaliação. Rev Bras Psiquiatr. 2005.

BURIOLA, AA et al. Assistência de enfermagem às famílias de indivíduos que tentaram suicídio. Esc. Anna Nery acesso em 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v15n4/a08v15n4.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estratégia Nacional de Prevenção ao Suicídio. Ministério da Saúde, Brasilia-DF, 2006.

BRASIL. Organização Mundial da Saúde. Preventing Suicide: a resource for Primary Health Care workers. Genebra, 2000.

BRASIL. Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra, 2002.

BRASIL. Organização Mundial da Saúde. Preventing Suicide: a resource for Primary Health Care workers. Genebra, 2000.

BRASIL. Organização Mundial da Saúde (OMS). Saúde pública ação para a prevenção de suicídio: uma estrutura. Organização Mundial da Saúde, 2012.

BRASIL. Portaria Nº 1.876, de 14 de agosto de 2006. Define diretrizes nacionais de prevenção ao suicídio. Diário Ofi-cial (da União, Brasília, DF). 2006.

BRASIL. Ministério da saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Ministério da Saúde. Brasília-DF, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental. Brasília: Ministério da Saúde. 2013.

COSTA, Gustavo Oliveira et al. Cuidados de enfermagem a pacientes com risco de suicídio cienc cuid saúde. 2017.

CREVELIM, MA; PEDUZZI, M. A participação da comunidade na equipe de saúde da família. Como estabelecer um projeto comum entre trabalhadores e usuários? Rev. Ciênc. Saúde Coletiva. 2005.

FRAZÃO LM, FUKUMITSU KO. A clínica, a relação psicoterapêutica e o manejo em Gestalt-terapia. Ed. São Paulo: Summus, 2015.

FERREIRA, Juliana de Sousa et al. Prevenção ao suicídio na atenção básica: concepção de enfermeiro. Revista Cuidarte. Colombia. Vol. 10 nº 2, 2019.

FERNANDES; MA, LIMA; GA, SILVA, JS. Escuta terapêutica como estratégia de prevenção ao suicídio: relato de expe-riência. REV ENFERM UFPI. 2018.

FONTENELLE, P. Suicídio: o futuro interrompido: guia para sobreviventes. São Paulo, 2008.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Como fazer um Projeto de Pesquisa de um Artigo de Revisão de Literatura. Revista JRG de Estudos Acadêmicos. Ano II, Vol.II, n.5, 2019a.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Manual de Artigo de Revisão de Literatura.
Brasília: Processus, 2019b.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Manual de Monografia. Brasília: Processus, 2019c.

GOMES, SR; APRATTO, JR PC. Educação continuada ao cui-dador familiar: Intervenção do enfermeiro da estratégia de Saúde da família. REINPEC. 2016.

HECK, RM et al. Ação dos profissionais de um centro de atenção psicossocial diante de usuários com tentativa e risco de suicídio. Acesso em 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n1/a03v21n1.

HECK, RM et al. The interventions of professionals of a psychosocial care center towards clients who attempted or are at a risk of suicide. Enferm [Internet]. 2017 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n1/a03v21n

KAHLRAUSCH, Eglê et al. Atendimento ao comportamento suicida: concepções de enfermeiras de unidades de saúde. Cienc cuid saúde. 2008.

KNOX, KL; CONWELL, Y; CAINE, ED. If suicide is a public health problem, what are we doing to prevent it? Am J Public Health. 2004.

LEVY, FM; MATOS, PES; TOMITA, NE. Programa de agentes comunitários de saúde: a percepção de usuários e trabalhadores da saúde. CAD SAÚDE PÚBLICA. 2004.

LUOMA, JB; MARTIN, CE; PEARSON, JL. Contact with mental health and primary care providers before suicide: a review of the evidence. Am J Psychiatry. 2002.

MINAYO, MCS; CAVALCANTE, FG; SOUZA, ER. Methodological proposal for studying suicide as a complex phenomenon. Cad Saude Publica. 2006.

MANN, JJ. A current perspective of suicide and attempted suicide. ANN INTERN MED. 2002.

MORETT, AE; LÓPEZ, BA. Suicidio, homicidio y drogadicción en niños y adolescentes. Revista médica del hospital general de méxico. 1999.

MARQUETTI, FC; MILEK, G. Percurso suicida: observação e análise de alterações no cotidiano do indivíduo com tentativas de suicídio. Rev. Ter Ocup Univ, São Paulo, 2014. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v25i1p18-26

North American Nursing Diagnoses Association (USA). Diagnósticos de Enfermagem da NANDA. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2015.

NOGUEIRA, FJS; BRITO, FMG. Dialogues between mental health and primary health care: a Brazilian educational program for health work case report. Pesqui prát psicos-sociais. 2017.

PIACHESKI, Kelly Abreu et al. Comportamento suicida: fatores de risco e intervenções. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2011. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/v12n1a24.htm.

REISDORFER, Nara et al. Suicídio na voz de profissionais de enfermagem e estratégias de intervenção diante do comportamento suicida. Rev. Enferm UFSM. 2015.

RODRIGUES, AA; KAPCZINSKI, F. Risco de suicídio. In: Quevedo J, Carvalho AF, organizadores. Emergências psiquiátricas. 3. ed. Porto Alegre, 2014.

TREBEJO, AL; TREBEJO, LAL. Comportamiento del suicidio en ciudad de la Habana. Intervención de enfermería en la atención primaria de salud. Rev Cubana Enfermer. 2000.
TING, SA et al. Trends in US emergency department visits for attempted suicide andself-inflicted injury. 2015. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3428496/.
Publicado
2020-03-24
Como Citar
de Souza Marçal , S. R., & Gonçalves, M. J. R. (2020). ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO DIANTE DO COMPORTAMENTO E TENTATIVA DE AUTOEXTERMÍNIO. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(6), 56-68. Recuperado de http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/110

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##