A ENFERMAGEM EMPREGANDO A GAMIFICAÇÃO PARA A ADESÃO À HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS, NO COMBATE AO COVID– 19

Palavras-chave: Enfermagem. Gamificação. Higienização das mãos. COVID-19.

Resumo

Objetivo: Analisar o uso da gamificação como estratégia para melhoria no aumento da higienização das mãos pelos profissionais da saúde, frente à pandemia de COVID-19. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão integrativa da bibliografia, no período de 2010 a 2020. Os dados foram coletados através de pesquisas realizadas em banco de dados eletrônicos da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS – BIREME) e Scientific Electronic Library Online (Scielo). Resultados: Os artigos selecionados destacam a importância da promoção da higiene das mãos como medida na prevenção e controle das infecções relacionadas à assistência à saúde, além dos desafios na implementação de medidas para manter o comportamento de higienização das mãos pelos profissionais de saúde por tempo prolongado, trazendo a gamificação como um elemento para impulsionar o ato de higienizar as mãos de forma lúdica e divertida.  No presente trabalho temos como panorama a atual situação mundial pandêmica, com o covid-19, que traz como medidas para o combate, a higienização das mãos, não só dos profissionais de saúde como de toda a população, demonstrando sua extrema importância para o presente tema. Conclusão: Conclui-se que a pandemia trouxe um novo olhar para a prática de Higienização das mãos, tornando mecanismos como a gamificação mais presentes para maior adesão e conscientização dos profissionais de saúde e da população em geral.

 

Biografia do Autor

Mariana Marques Nonato Ferreira, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Brasília (2011), com MBA em comércio exterior. E atualmente está se graduando em Enfermagem pela UNIP Brasília.

Marco Aurélio Ninômia Passos, Universidade Paulista, UNIP, SP, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Brasília (2006), mestrado em Ciências Genômicas e Biotecnologia pela Universidade Católica de Brasília (2009). Doutor em Biologia Molecular pela Universidade de Brasília (2014). Bolsista de mestrado e doutorado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. 

Referências

1. Marra AR, Edmond MB. New technologies to monitor healthcare worker hand hygiene. Clin Microbiol Infect [Internet]. 2014[cited 2016 May 10]; 20:29-33. Available from: http://www.clinicalmicrobiologyandinfection.com/article/S1198-743X(14)60190-7/abstract

2. Rodrigues EAC, et al. Infecções Hospitalares: prevenção e controle. São Paulo: Savier, 1997.

3. World Health Organization (WHO). Guidelines on hand hygiene in health care. 2009. Genebra (SW); 2009.

4. World Health Organization. (‎2020)‎. Considerations for quarantine of individuals in the context of containment for coronavirus disease (‎‎‎COVID-19)‎ ‎‎: interim guidance, 19 March 2020. World Health Organization. https://apps.who.int/iris/handle/10665/331497

5. Oliveira AC; Pinto, AS. Participação do paciente na higienização das mãos entre profissionais de saúde. Ver Bras Enferm [internet]. 2018;71(2):259-64. DOI: OI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0

6. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 7, de 24 de fevereiro de 2010.

7. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização das mãos em serviços de saúde/ Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília: Anvisa, 2007.

8. Marques R, Gregório J, Pinheiro F, Póvoa P, Silva MM, Lapão LV. How can information systems provide support to nurses’hand hygiene performance? Using gameficiation and indoor location to imporve hand hygiene awareness and reduce hospital infecctions. BMC Med Inform Decis Mak. 2017.

9. Medina B, et al. Gameficition, Inc.: como reinventar empresas a partir de jogos. – 1. Ed. – Rio de Janeiro: MJV Press, 2013.

10. Werbach K, Hunter D. For the win. How game thinking can revolutionize your business. Wharton Digital Press. Philadelphia, PA. 2012.

11. Ted Talks. Jane Mcgonial: Jogando por um mundo melhor. 2010. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=dE1DuBesGYM

12. Ted Talks. Yu-kai Chou. Gamifiacation to improve our world. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=v5Qjuegtiyc

13. Deslandes SF. A Construção do projeto de pesquisa. In: Minayo MC. (Org.) Pesquisa Social. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1994. p.22.

14. Martins Junior J. Como elaborar um projeto de pesquisa. In: Como escrever trabalhos de conclusão de cursos. 4. ed. Petrópolis: Vozes. 2011. p. 73.
15. Tipple AFV. et all. Técnica de higienização simples das mãos: a prática entre acadêmicos da enfermagem. 2010; Ciencia y enfermeria XVI (1): 49-58.

16. Alvim ALS, Reis LC. Higienização das mãos: dinâmica para sensibilização dos profissionais do centro de materiais e esterilização. 2017; Revista eletrônica Evidência e Enfermagem.

17. Coelho MS, Silva Arruda C, Simões SMF. Higienização das mãos como estratégia fundamental no controle de infecção hospitalar: um estudo quantitativo. 2011; Revista eletrônica trimestral de enfermagem, Enfermería Global, nº 21.

18. Souza LM, et all. Adesão dos profissionais de terapia intensiva aos cinco momentos da higienização das mãos. 2015; Revista Gaúcha de Enfermagem. 36(4):21-8. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.04.49090

19. Oliveira AC, Pinto AS. Patient participation in hand hygiene among health professionals. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018;71(2):259-64. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0124

20. Souza EC, et all. Importância da higienização das mãos como profilaxia à infecção hospitalar pelos profissionais de saúde. Revista eletrônica Gestão &Saúde. Vol. 04, nº04, ano 2013 p.1421-1433.

21. Mota EC, et all. Higienização das mãos: uma avaliação da adesão e da prática dos profissionais de saúde no controle das infecções hospitalares.2014; Revista de epidemiologia e Controle de infecção. (4) 1:12-17.

22. Johnson D, et all. Gamification for health and wellbeing: A systematic review of literature. 2016; Elsevier B.V. This is an open access article under the CC BY license. http://dx.doi.org/10.1016/j.invent2016.10.002

23. Santos CA, et all. Jogos sérios em ambiente virtual para ensino-aprendizagem na saúde. 2017; DOI: 10.15253/2175-6783.2017000500019. Revista Rene. 18(5):7029.

24. Nascimento MB, Albuquerque ES. O uso de gamification para melhorar adesão a tratamento. XI Brazilian symposium on Information System. Goiânia, GO. Maio de 2015.

25. Erenli k. The impact of Gamification. Recommending Education Scenarios. 2013; iJET – Volume 8, Special issue 1: ‘’ICL2012’’. http://dx.doi.org/10.3991/ijet.v8iS1.2320

26. Marques et all. How can information systems provide support to nurses´hand hygiene performance? Using gamification and indoor location to improve hand hygiene awareness and reduce hospital infections. BMC Medical Informatics and Decision Making (2017) 17:15 DOI 10.1186/s12911-017-0410-z.
27. Belela-Anacleto ASC; Peterlini MAS; Pedreira MLG. Hand hygiene as a caring practice: a reflection on professional responsibility. Rev Bras Enferm [Internet]. 2017;70(2):442-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-018

28. Marra AR, Edmond MB. New technologies to monitor healthcare worker hand hygiene. Clin Microbiol Infect[Internet]. 2014[cited 2016 May 10]; 20:29-33. Available from: https://doi.org/10.1111/1469-0691.12458

29. Chang L, Yan Y, Wang L. Coronavirus Disease 2019: Coronaviruses and Blood Safety [published online ahead of print, 2020 Feb 21]. Transfus Med Rev. 2020; doi:10.1016/j.tmrv.2020.02.003

30. Tonin L, Lacerda MR, Caceres NTG, Hermann AP. Recommendations in covid-19 times: a view for home care. Rev Bras Enferm. 2020;73(Suppl 2):e20200310. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2020-0310

31. Oliveira HC, Souza LC, Leite TC, Campos JF. Personal Protective Equipment in the coronavirus pandemic: training with Rapid Cycle Deliberate Practice. Rev Bras Enferm. 2020;73(Suppl 2):e20200303. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2020-030

32. Sant’Ana G, Imoto AM, Amorim FF, Taminato M, Peccin MS, Santana LA, et al. Infecção e óbitos de profi ssionais da saúde por COVID-19: revisão sistemática. Acta Paul Enferm. 2020; eAPE20200107.

33. Garcia LP, Duarte E. Intervenções não farmacológicas para o enfrentamento à epidemia da COVID-19 no Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2020 [cited 2020 May 21]; 29(2): e2020222. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S223796222020000200100&lng=en
Publicado
2020-11-04
Como Citar
Ferreira, M. M. N., & Passos, M. A. N. (2020). A ENFERMAGEM EMPREGANDO A GAMIFICAÇÃO PARA A ADESÃO À HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS, NO COMBATE AO COVID– 19. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(7), 274-284. https://doi.org/10.5281/zenodo.4244859

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##