DESENVOLVIMENTO DE CÁRIE E EROSÃO EM CRIANÇAS COM ASMA

Autores

  • Renata Santos Coimbra Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.
  • Rosana Regina de Saldanha Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9627-6268

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.4451270

Palavras-chave:

ASMA. CÁRIE. EROSÃO.

Resumo

A asma é uma doença muito comum entre as crianças brasileiras e vem a cada dia aumentando gradativamente.1 Alguns autores indicam a asma como uma doença favorável para o surgimento de problemas dentários, como cáries e erosões. O intuito do trabalho é esclarecer e informar a partir das literaturas publicadas o desenvolver de cada uma das doenças citadas e a ligação existente entre elas, pois devido às várias opiniões ainda não se tem uma informação concreta sobre o assunto e apenas medidas profilácticas são adotadas.2 O estudo foi realizado a partir de artigos publicados no período de 2001 e 2016, que relatam de alguma forma as doenças citadas a cima e suas ligações, utilizando – se a base de dados scielo (Scientific Electronic Library Online).

Biografia do Autor

Renata Santos Coimbra, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.

Discente da Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.

Rosana Regina de Saldanha, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.

Possui Mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade de Brasília (2000) e Doutorado em Patologia Molecular pela Universidade de Brasília (2009). É professora da Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires (FACESA). Foi professora em regime parcial da Faculdade Anhanguera de Brasília e das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (FACIPLAC). Atuou em grupo de pesquisa da Faculdade Anhanguera de Brasília em parceria com a FUNADESP. Participou como pesquisadora tutora de projeto de pesquisa da Escola Técnica de Saúde de Planaltina financiado pela FAP-DF. Possui experiência nas áreas de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular e Imunologia, atuando principalmente nos seguintes temas: imunologia, LTA e função fagocítica.

Referências

GUERGOLETTE, Rodrigho Pelisson et al. Prevalência do desenvolvimento de defeitos no esmalte dentário em crianças e adolescentes com asma. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 35, n. 4, p. 295-300, 2009.

FAUSTINO-SILVA, Daniel Demétrio et al. DOENÇAS BUCAIS E ASMA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. In: 11º Congresso Internacional da Rede Unida. 2014.

MORAES, Líllian SL et al. Fatores de risco, aspectos clínicos e laboratoriais da asma em crianças. J Pediatr, v. 77, n. 6, p. 447-454, 2001.

FIORE, Renata Wagner et al. Variação na prevalência de asma e atopia em um grupo de escolares de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. J pneumol, v. 27, n. 5, p. 237-42, 2001.

ECHEVERRÍA, Sonia et al. Prevalencia de caries temprana de la infancia en niños con enfermedades respiratorias crónicas. Revista chilena de pediatría, v. 83, n. 6, p. 563-569, 2012.

ANDRADE CAMPANHA, Silvia Márcia; SILVEIRA FREIRE, Lincoln Marcelo; FERNANDES FONTES, Maria Jussara. O impacto da asma, da rinite alérgica e da respiração oral na qualidade de vida de crianças e adolescentes. Revista Cefac, v. 10, n. 4, 2008.

COSTA, Ana Luísa; XAVIER, Teresa. Implicações da asma na saúde oral infantil. Acta Pediatr. Port., Lisboa, v. 39, n. 6, p. 260-265, 2008.

DE MOURA, José Augusto Rubim; CAMARGOS, Paulo Augusto Moreira; DE BLIC, Jacques. Tratamento profilático da asma. Jornal de pediatria, v. 78, n. Supl 2, p. S141, 2002.

CHATKIN, Moema et al. Asthmatic children's risk factors for emergency room visits, Brazil. Revista de saude publica, v. 34, n. 5, p. 491-498, 2000.

PAGANINI, MÔNICA. INFLUÊNCIA DO GRAU DE SEVERIDADE, TEMPO DE MANIFESTAÇÃO E FARMACOTERAPIA DA ASMA BRÔNQUICA NA EXPERIÊNCIA DE CÁRIE, PH, FLUXO E CAPACIDADE TAMPÃO SALIVAR DE CRIANÇAS RESIDENTES EM LONDRINA–PR. 2007.

JAIN, Manish et al. Prevalence of dental erosion among asthmatic patients in India. Archives of Oral Research, v. 5, n. 3, 2009.

SANTOS, Nilton CN et al. Efeitos relacionados ao uso do esteróide inalado na saúde periodontal que o médico precisa conhecer. R. Bras. Alerg. Imunopatol., São Paulo, v. 30, n. 6, p. 220-226, 2007.

MUSTAFÁ, Amina Muhamad Mota et al. Síndrome do respirador bucal e suas implicações na cavidade oral com foco na gengivite e cáries: uma revisão de literatura. Journal of Orofacial Investigation, v. 2, n. 1, p. 15-21, 2015.

BAKOR, Silvia Fuerte et al. Demineralization of teeth in mouth-breathing patients undergoing maxillary expansion. Brazilian journal of otorhinolaryngology, v. 76, n. 6, p. 709-712, 2010.

FILHO, Ernesto Nascimento et al. A respiração bucal é fator de risco para cárie e gengivite?. Rev. bras. alerg. imunopatol, v. 26, n. 6, p. 243-249, 2003.

KOGA, Cristiane Yumi et al. Influência da síndrome do respirador bucal na presença de estreptococos do grupo mutans e imunoglobulinas anti-streptococcus mutans na saliva. Rev. odontol. UNESP, v. 25, n. 2, p. 207-216, 1996.

PORCARO BRETAS, Liza et al. Fluxo salivar e capacidade tamponante da saliva como indicadores de susceptibilidade à doença cárie. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, v. 8, n. 3, 2008.

VASCONCELOS, Flávia Maria Nassar; VIEIRA, Sandra Conceição Maria; COLARES, Viviane. Erosão dental: diagnóstico, prevenção e tratamento no âmbito da saúde bucal. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 14, n. 1, p. 59-64, 2010.

LOSSO, Estela M. et al. Severe early childhood caries: an integral approach. Jornal de pediatria, v. 85, n. 4, p. 295-300, 2009.

BALBANI, Aracy Pereira Silveira; STELZER, Lucilena Bardella; MONTOVANI, Jair Cortez. Excipientes de medicamentos e as informações da bula. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, p. 400-406, 2006.

Downloads

Publicado

2018-12-20

Como Citar

Coimbra, R. S. ., & Saldanha, R. R. de . (2018). DESENVOLVIMENTO DE CÁRIE E EROSÃO EM CRIANÇAS COM ASMA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 1(3), 96–102. https://doi.org/10.5281/zenodo.4451270