O uso dos esteroides anabolizantes androgênicos: uma revisão da literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.7114038

Palavras-chave:

Esteroides Anabolizantes Androgênicos. Anabolizantes. Culto ao corpo. Saúde. EAA.

Resumo

O culto ao corpo tem sido uma característica predominante da atualidade, de forma que há uma crescente busca pela melhora visual da aparência corporal. Sendo assim, nos últimos anos as técnicas de cuidado como dietas, musculação e cirurgias estéticas se tornaram mais frequentes, assim como o uso de substâncias sintéticas visando a melhora da aparência física. O estudo em questão aborda o uso de esteroides anabolizantes androgênicos, drogas sintéticas que são tidas como problema de saúde pública e utilizada por pessoas que visam uma melhora visual do seu corpo. Trata-se, normalmente, de homens e mulheres, em sua predominância homens, pautados nos aspectos socioculturais do consumo e do amor ao corpo. Foi utilizada como metodologia pesquisa bibliográfica, tendo em vista o uso de material já existente sobre a temática para embasar o trabalho em questão. Pode-se concluir que a relação entre o consumo de substâncias anabolizantes e a construção social da masculinidade precisa ser mais estudada no âmbito da saúde pública. Além disso, os resultados demonstraram que vários efeitos colaterais são causados pelo uso não terapêutico e abusivo dos EAA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo Leonardo Pereira de Sena, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil

mceclip0.png https://orcid.org/0000-0002-9988-0831
mceclip1.png http://lattes.cnpq.br/8250504537730861
E-mail: hugoleonardo0904@gmail.com

Fellipe José Gomes Queiroz, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, GO, Brasil

Mestrado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de Brasília (2015) com ênfase em Química Farmacêutica, Química Medicinal e Bioprospecção. Pós-graduação Lato Sensu em Didática no Ensino Superior em EAD, FACESA. Possui graduação em Farmácia pela Universidade Católica de Brasília (2012) com habilitação em Homeopatia (CRF-DF/2015). Profissionalmente, atua como Coordenador do Curso de Farmácia da FACESA (modalidade presencial e à distância).

Referências

ABRAHIN, Odilon Salim Costa; SOUSA, Evitom Corrêa de. Esteroides anabolizantes androgênicos e seus efeitos colaterais: uma revisão crítico-científica. Rev. Educ. Fis/UEM, v. 24, n. 4, p. 669-679, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/refuem/a/Yp3sBLmsrV7phpZMtsbmCpj/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 17 out. 2021.

BLOCH, K. V. et al. (2016). ERICA: prevalences of hypertension and obesity in Brazilian adolescents. Revista de saúde pública, v. 50, 2016, p. 1-12.

BONETTI, A. et al. Side effects of anabolic androgenic steroids abuse. International Journal of Sports Medicine, Stuttgart, v. 29, no. 8, p. 679-687, 2008.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diabetes, hipertensão e obesidade avançam entre os brasileiros. 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46792-diabetes-hipertensao-e-obesidade-avancam-entre-os-brasileiros-2. Acesso em: 4 maio 2020.

EUROFARMA. Riscos da falta de atividade física para a saúde: Pesquisas indicam que sedentarismo é o quarto principal fator de risco de morte no mundo. 2021. Disponível em: https://eurofarma.com.br/artigos/riscos-da-falta-de-atividade-fisica-para-a-saude. Acesso em: 3 nov. 2021.

IP, E. J. et al. Women and anabolic steroids: an analysis of a dozen users. Clinical Journal of Sport Medicine, New York, v. 20, no. 6, p. 475-481, 2010.

IRIART, Jorge Alberto Bernstein; CHAVES, José Carlos; ORLEANS, Roberto Ghignone de. Culto ao corpo e uso de anabolizantes entre praticantes de musculação. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 4, p. 773-782, abr, 2009. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csp/2009.v25n4/773-782/pt. Acesso em: 17 out. 2021.

KUIPERS, H. et al. Influence of anabolic steroids on body composition, blood pressure, lipid profile and liver function in bodybuilders. International Journal of Sports Medicine, Stuttgart, v. 12, no. 4, p. 413-418, 1991.

MORAES, Danielle Ribeiro de; CASTIEL, Luis David; RIBEIRO, Ana Paula Pereira da Gama Alves. “Não” para jovens bombados, “sim” para velhos empinados: o discurso sobre anabolizantes e saúde em artigos da área biomédica. Cad. Saúde Pública, v. 31, n. 6, Jun 2015. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csp/2015.v31n6/1131-1140/pt/. Acesso em: 17 out. 2021.

PARKINSON, A. B; EVANS, N. A. Anabolic androgenic steroids: a survey of 500 users. Medicine & Science in Sports & Exercise, Madison, v. 38, n. 4, p. 644-51, 2006.

PICH, Santiago; GOMES, Ivan Marcelo; VAZ, Alexandre Fernandez. Mercadorização biopolítica: sobre escolhas saudáveis em tempos de consumo. In: BAGRICHEVSKY, Marcos; ESTEVÃO, Adriana; PALMA, Alexandre. (Org.). A saúde em debate na educação física. Ilhéus: EDITUS, 2007. v. 3, p. 187-207.

POPE, G. H. J.; KOURI, E. M.; HUDSON, J. I. Effects of supraphysiologic doses of testosterone on mood and aggression in normal men: a randomized controlled trial. Archives of General Psychiatry, Chicago, v. 57, no. 2, p. 133-140, 2000.

SOUSA, Elisvânia Moreira; OLIVEIRA, Jeferson Gonçalves de. As contribuições da nutrição aliada à prática de atividades físicas. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 20, Nº 203, abril de 2015.

VENÂNCIO, D. P. et al. Avaliação descritiva sobre o uso de esteroides anabolizantes e seu efeito sobre as variáveis bioquímicas e neuroendócrinas em indivíduos que praticam exercício resistido. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 191-195, 2010.

VIEIRA, R. P. et al. Dose-dependent hepatic responses to subchronic administration of nandrolone decanoate. Medicine & Science in Sports & Exercise, Madison, v. 40, no. 5, p. 842-847, 2008.

Downloads

Publicado

2022-09-26

ARK