Saúde mental das gestantes: a importância dos cuidados de enfermagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.7116674

Palavras-chave:

Saúde Mental. Gestantes. Atenção Primária. Cuidados de enfermagem.

Resumo

Existe uma alta prevalência de transtornos mentais identificados nos períodos pré-natal e puerperal que afetam a saúde da mulher. Os cuidados de enfermagem ofertados a essas mulheres devem ser desde o planejamento reprodutivo até o pós-parto, seguindo as recomendações dos protocolos e levando em conta os aspectos psicológicos que envolvem a saúde da mulher. Assim, este artigo pretende responder a seguinte questão: as equipes de atenção ao pré-natal e puerpério atuam na prevenção e na promoção da saúde mental das gestantes? Objetivo: Identificar evidências da literatura sobre a atuação da (o) enfermeira (o) no cuidado a saúde mental do início da gestação até o puerpério, principais problemas relacionados e fatores de risco. Métodos: Estudo exploratório e qualitativo, realizado por meio de pesquisa bibliográfica, com artigos selecionados do ano 2000 a 2020, nas bases de dados SCIELO. Resultados: Foram localizados 28 artigos e selecionados 6, os quais demonstraram os fatores de risco, fatores de proteção e a falta de capacitação dos profissionais das Equipes de Saúde da Família. Conclusão: as publicações sobre a atuação da enfermagem voltadas para a melhoria dos cuidados à saúde mental de gestantes e puérperas ainda são insuficientes para o estabelecimento de evidências científicas e o subsídio de políticas públicas que contemplem a saúde mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Barbosa Borges de Oliveira, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires – FACESA, GO, Brasil

mceclip0.png https://orcid.org/0000-0003-4260-6476
mceclip1.png http://lattes.cnpq.br/3287255476287150
E-mail: dany-com@live.com

Amanda Cabral dos Santos, Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires – FACESA, GO, Brasil

Mestrado em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília (2012), especialização em Psicomotricidade pela Faculdade Mauá (2020), especialização em Fisioterapia Neurológica pela Universidade de Brasília (2002), especialização em Transtornos do Desenvolvimento Infantil pelo Centro Lydia Coriat (2004), graduação em Educação Física pela Universidade de Brasília (2002), graduação em Fisioterapia pela Faculdade de Reabilitação do Planalto Central (2000).

Referências

ABUCHAIM, E.S.; CALDEIRA, N.T.; DI LUCCA, M.M.; VARELA, M.; SILVA, I.A.

Depressão pós-parto e autoeficácia materna para amamentar: prevalência e associação. Acta Paul Enferm. 2016.

ANDRADE, Marcela et al. Tristeza materna em puérperas e fatores associados. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto, n. 18, p. 8-13, dez. 2017.

BARATIERI, T.; NATAL, S. Ações do programa de puerpério na atenção primária: uma revisão integrativa. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 11, p. 4227-4238, Nov. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472010000300016, <https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – 1. ed. rev. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_pre_natal_baixo_risco.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2022.

_______. Ministério da Saúde. Protocolo da Atenção Básica: Saúde das Mulheres. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2022.

BRASIL, Ministério da Saúde, Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – Manual técnico/Ministério da Saúde, Secretaria de atenção à saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégias – Brasília, 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2022.

BURTI, Juliana Schulze. Et al. Assistência ao puerpério imediato: o papel da fisioterapia. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba, v.18, n. 4, p.193-8, 2019. http://repositorio.faema.edu.br/bitstream/123456789/2599/1/TCC%20Lorena%2C%20Novembro%2C%20certo%21.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2022.

CAMACHO, Renata Sciorilli et al. Transtornos psiquiátricos na gestação e no puerpério: classificação, diagnóstico e tratamento. Rev. psiquiatr. clín. [online]. 2018, vol.33, n.2 [cited 2018-10-02], pp.92-102. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/167286/EDILTES%20ANA%20DE%20OLIVEIRA%20%20Psico%20%20tcc.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 17 fev. 2022.

CENTA, M. de L., OBERHOFER, P. de R. e CHAMMAS, J. A comunicação entre a puérpera e o profissional de saúde. São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – USP, 2017. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/167286/EDILTES%20ANA%20DE%20OLIVEIRA%20-20Psico%20%20tcc.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 19 fev. 2022.

FALCONE, V. M. et al. Atuação multiprofissional e a saúde mental de gestantes. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 39, n. 4, p. 612-618, Agosto. 2005.

FERREIRA M. J. P.; NAKAMURA E. K. Depressão pós-parto. Trabalho de conclusão de curso. Centro Universitário Campos de Andrade, p. 5, 2016.

FIGUEIRA, P.G.; DINIZ, L. M.; SILVA FILHO, H.C. Características demográficas e psicossociais associadas à depressão pós-parto em uma amostra de Belo Horizonte. Rev. psiquiatr. Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 33, n. 2, p. 71-75, 2010.

FREITAS, Adriana Silva de et al. A contribuição da enfermagem na prevenção da gravidez na adolescência: uma revisão integrativa. Esc Anna Nery 2015;19(1):181-186. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf. Acesso em: 23 fev. 2022.

GUERRA, M.J. et al. Promoção da saúde mental na gravidez e no pós-parto. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto, n. spe1, p. 117-124, abr. 2019. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf>. Acesso em: 23 fev. 2022.

HARTMANN, J. M.; MENDOZA-SASSI, R.A.; CESAR, J. A. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 33, n. 9, e00094016, 2017. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2022.

KLAUS, M. H., KENNEL, J. H., & KLAUS, P. H. Vínculo: construindo as bases para um apego seguro e para a independência. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2017.

LIMA, M. O. P. et al. Sintomas depressivos na gestação e fatores associados: estudo longitudinal. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 30, n. 1, p. 39-46, Jan. 2017. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/167286/EDILTES%20ANA%20DE%20OLIVEIRA%20-%20Psico%20-20tcc.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 19 fev. 2022.

LUCCHESE, R. et al. Factors associated with the probability of common mental disorders in pregnant women: a cross-sectional study. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, e20160094, 2017.

MELO, P. G., MOLINERO, P. V. R., NEME, DIAS, R. O., MATTEI, K. Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea (TENS) no Pós-Operatório de Cesariana. Rev. Bras. Fisioterapia. São Carlos, v. 10, n. 22, p. 219-224, 2020. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472010000300016 <https://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf>. Acesso em: 19 fev. 2022.

MORAES, I. G. S. et al. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 65-70, Feb. 2016.

MOURA, E.C.C.; FERNANDES, M. A.; APOLINARIO, F. I. R. Percepção materna sobre transtornos psiquiátricos no puerpério: implicações na relação mãe-filho. Rev. bras. enferm., Brasília, v. 64, n. 3, p. 445-450, June 2011.

RIBEIRO, W.; ANDRADE, M. O papel do enfermeiro na prevenção da depressão pósparto (DPP). Informe-se em promoção da saúde, v.5, n.1.p.07-09, 2009.

SILVA, I. A. Reações emocionais da mulher no puerpério. Revista escola de enfermagem USP. São Paulo, v. 22, n. 2, p. 237-246, ago./2018.

SILVA, M. J. D. et al. Depressão pós-parto e atenção primaria: atuação da enfermagem na prevenção e promoção de saúde. Brazilian Journal of surgery and clinical research, Piaui, v. 25, n. 2, p. 124-127, nov./2017.

SOUSA, A. J. C. Q; MENDONÇA, A. E. O; TORRES, G. D. V. Atuação do enfermeiro no pré-natal de baixo risco em uma unidade básica de saúde. Cultura e cientifica do unifacex: São Paulo, v. 10, n. 10, p. 1-15, dez./2020.

STRAPASSON, M. R.; NEDEL, M. N. B. Puerpério imediato: desvendando o significado da maternidade. Rev Gaucha Enferm, v 31 no. 3. Porto Alegre 2017. p. 521-528.

Downloads

Publicado

2022-09-27

ARK