Artigo 04: A LÓGICA DO PODER, A HETERONORMATIVIDADE E O RACISMO: O EPISTEMICÍDIO E A SUBALTERNIDADE COMO ESTRATÉGIAS DE REPRESSÃO E DE VULNERABILIDADE

  • Me. Jonas Rodrigo Gonçalves Faculdade Processus/DF (BRASIL); Unip/SP (BRASIL); Faculdade CNA/DF (BRASIL); Facesa/GO. (BRASIL)
Palavras-chave: RACISMO. HETERONORMATIVIDADE. PODER. EPISTEMICÍDIO. SUBALTERNIDADE.

Resumo

A lógica do poder se estrutura para segregar o que não atende ao padrão hegemônico e influenciará diretamente as questões ligadas à sexualidade. A heteronormatividade se fundamentará nas relações padronizadas de soberania e eugenia. Surge, então, a lógica do racismo como justificada pelo papel de não ser atribuído a negros, pretos, pardos, índios e afins. A ideia de corpo e não de pessoa povoa o imaginário do pensamento moderno. Nesse sentido, este artigo tem por objetivo discutir a lógica do poder, a heterormatividade e o racismo, abordando o espistemicídio e a subalternidade como estratégias de repressão e de vulnerabilidade.

Biografia do Autor

Me. Jonas Rodrigo Gonçalves, Faculdade Processus/DF (BRASIL); Unip/SP (BRASIL); Faculdade CNA/DF (BRASIL); Facesa/GO. (BRASIL)

Doutorando em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília (2019-2022). Mestre em Ciência Política pelo Centro Universitário Euroamericano/DF(2008). Especialista em Letras (Linguística): Revisão de Texto pela Universidade Gama Filho/RJ (2010). Especialista em Didática do Ensino Superior em EAD e em Docência na Educação Superior pela Facesa/GO (2017). Especialista em Formação em Educação a Distância pela Unip/DF (2018). Possui Licenciatura em Letras (Português/Inglês) pela Universidade Paulista (Unip). Possui Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília (2002), habilitando-se também à licenciatura plena em História, Psicologia e Sociologia (Portaria MEC 1.405/1993). É autor e/ou coautor em 61 livros e/ou capítulos de livros publicados. Atualmente é professor universitário, com experiência nas áreas de Ciência Política, Letras, Filosofia, Psicologia e Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas de saúde, políticas públicas, SUS (Sistema Único de Saúde), redação discursiva, redação oficial, gramática, metodologia científica, racismo, ELA, diversidade sexual, violência e legislações.

Referências

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do outro como não ser como fundamento do ser. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1987.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. O poder como repressão da sexualidade: uma releitura a partir de Michel Foucault. Revista Hegemonia Unieuro (Brasília), v. 2, p. 25-51, 2010.

GONÇALVES, Jonas Rodrigo. Padrão heteronormativo: reconhecimento e cidadania como estratégias de superação. Revista de Axiologia Jurídica da Faculdade Processus, v. 01, p. 173-190, 2011.

MBEMBE, Achille. Políticas da Inimizade. (Tradução de Marta Lança) Portugal: Antígona, 2017.

NIETZCHE, Friedrich. Genealogia da moral. São Paulo: Paz e terra, 1997.

PRADO, Marco Aurélio Máximo, MACHADO, Frederico Viana. Preconceito contra homossexualidades: a hierarquia da invisibilidade. São Paulo: Cortez, 2008.

TOURAINE, Alain. Iguais e diferentes: poderemos viver juntos? São Paulo: Instituto Piaget, 1990. p. 215.

Publicado
2018-11-10
Como Citar
Me. Jonas Rodrigo Goncalves. (2018). Artigo 04: A LÓGICA DO PODER, A HETERONORMATIVIDADE E O RACISMO: O EPISTEMICÍDIO E A SUBALTERNIDADE COMO ESTRATÉGIAS DE REPRESSÃO E DE VULNERABILIDADE. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 1(2), 59-82. Recuperado de http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/52