Ações e orientações de enfermagem às puérperas diante da prematuridade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8011958

Palavras-chave:

Enfermagem. Puérpera. Prematuridade. Saúde da mulher

Resumo

Durante a gestação a mulher necessita de orientações como autocuidado e cuidados com o neonato.  Desta forma, o profissional da saúde deve prestar um papel importante na atenção à saúde da gestante, visando proporcionar uma melhor recuperação e prevenção de possíveis complicações que podem surgir durante o pré-natal e puerpério. Então, o objetivo deste artigo é descrever as ações e orientações acerca da assistência do profissional enfermeiro voltada às puérperas diante da prematuridade. Foram identificados artigos nas bases de dados BDENF, Lilacs e Medline para a construção desta revisão de literatura, que tem como pergunta norteadora: Quais os cuidados do enfermeiro voltados para assistência de puérperas perante a prematuridade? Foi discutida atuação da enfermagem no contexto puerperal, e ainda a importância da conscientização no período do pré-natal sobre os primeiros cuidados, o aleitamento materno exclusivo, a dieta direcionada à mãe em casos prematuros. Por fim, observou-se que o enfermeiro é fundamental para manutenção da saúde da puérpera, ajudando as mães a quebrarem obstáculos no retorno ao domicílio com seu bebê, tornando-as autônomas nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosicleide da Silva Souza, Centro Universitário Cesmac

Lattes

Graduação em andamento em Enfermagem pelo Centro Universitário CESMAC, FEJAL, Brasil.

Janderson de Oliveira Soares, Centro Universitário Cesmac

Lattes

Enfermeiro egresso da Faculdade Estácio de Alagoas. Especialista em Urgência, Emergência e UTI pela Unifip de Pattos. Docente do Centro Universitário- CESMAC e Centro de Ensino em Saúde Santa Barbara. Mestre em enfermagem pelo programa de pós-graduação em enfermagem- PPGENF da Universidade Federal de Alagoas- UFAL na linha de pesquisa em saúde da criança e transtorno do espectro autista.

Alessandra Nascimento Pontes, Centro Universitário Cesmac

Lattes

Mestrado em Modelagem Computacional (UFAL), doutorado em Distúrbio do Desenvolvimento (DINTER MACKENZIE/CESMAC). Tem formação acadêmica e experiência profissional é graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal de Alagoas, com especializações em áreas relevantes como :Metodologias Digitais (Faculdade São Leopoldo Mandic), Programas de Residência Multidisciplinar no SUS (Sírio Libanês), Simulação Realística (Albert Einstein), Docência do Ensino Superior, CESMAC, Educação Profissional na Área de Saúde (FIOCRUZ) e Urgência e Emergência (UNCISAL).

Referências

ACOSTA, Daniele Ferreira; GOMES, Vera Lucia de Oliveira; KERBER, Nalú Pereira da Costa; COSTA, Cesar Francisco Silva da. Influências, crenças e práticas no autocuidado das puérperas. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 46, p. 1327–1333, dez. 2012.

ANDRADE, R. D; SANTOS, J. S; MAIA, M. A. C; MELLO, D. F. Fatores relacionados à saúde da mulher no puerpério e repercussões na saúde da criança. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v.19, n. 1, p. 181-186. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20150025

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Atenção ao pré-natal de baixo risco: caderno de Atenção Básica n° 32. Brasília: 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – manual técnico. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

CASTIGLIONI, C. M. et al. Práticas de cuidado no puerpério desenvolvidas por enfermeiras em Estratégias de Saúde da Família. Rev. Enferm. UFSM – REUFSM, 10(50), 1-19. (2020).

FIGUEIRÓ-FILHO, E. A; OLIVEIRA, V. M. O; CRISTIANE, M. F; SILVA, V. M; TINOS, A. L. S; KANOMATA, L. B. Variáveis perinatais e associação de recém-nascidos de muito baixo peso ao nascer em hospital público universitário do Brasil. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 36, n.1, p. 43-56. 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-72032014000100004. Acesso em 12 de março de 2023.

LIMA, Yara Macambira Santana. Consulta de enfermagem pré-natal: a qualidade centrada na satisfação da cliente. p. 120–120, 2003.

LLAPA-RODRIGUEZ EO, Cunha S, Inagaki ADM, Mattos MCT, Abud ACF. Quality of postpartum nursing care in a mother’s view. J Nurs UFPE on line [Internet]. 2013 [cited 2016 Sept 20];7(1):76-82. Available from: https://ri.ufs.br/bitstream/123456789/967/1/QualidadeAssistencia.pdf. Acesso 15. Março de 2023.

LOBATO, Gustavo; MORAES, Claudia L.; REICHENHEIM, Michael E. Magnitude da depressão pós-parto no Brasil: uma revisão sistemática. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant.vol.11no. 4RecifeOct. /Dec.2011

MAEDA, Tamie de Carvalho; PARREIRA, Bibiane Dias Miranda; SILVA, Sueli Riul; OLIVEIRA, Ana Carolina D’Arelli. IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA POR PUÉRPERAS ÀS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PRÉ-NATAL. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, v. 3, n. 2, 2014.

MENDES, Rosemar Barbosa; SANTOS, José Marcos De Jesus; PRADO, Daniela Siqueira; GURGEL, Rosana Queiroz; BEZERRA, Felipa Daiana; GURGEL, Ricardo Queiroz. Avaliação da qualidade do pré-natal a partir das recomendações do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, n. 3, p. 793–804, mar. 2020.

OLIVEIRA EC, et al. A importância do acompanhamento pré-natal realizado por enfermeiros, Brasil. Revista Científica Fac Mais, 2016; 7(3): 25-38.

RIESCO, M.L.G; Oliveira, S.M.J.V. Enfermagem baseada em evidências científicas: um enfoque assistencial. Associação Brasileira de Enfermagem; Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstétricas. PROENF: saúde materna e neonatal. Porto Alegre: Artmed. 2010

SCHARDOSIM, Juliana Machado; HELDT, Eliseth. Escalas de rastreamento para depressão pós-parto: uma revisão sistemática. Rev. Gaúcha Enferm. Porto Alegre (RS), v.32, n. 1, p. 159-66, mar 2011.

SINASC. 2020. Painel de Monitoramento de Nascidos Vivos. Disponível em: http://svs.aids.gov.br/dantps/centraisde-conteudos/paineis-de-monitoramento/natalidade/nascidos-vivos/. Acesso em: 5 de mar 2023

WARMLING, Cristine Maria; FAJARDO, Ananyr Porto; MEYER, Dagmar Estermann; BEDOS, Cristophe. Práticas sociais de medicalização & humanização no cuidado de mulheres na gestação. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, n. 4, 29 mar. 2018.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

SOUZA, R. da S.; SOARES, J. de O.; PONTES, A. N. Ações e orientações de enfermagem às puérperas diante da prematuridade. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 397–405, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8011958. Disponível em: http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/603. Acesso em: 4 mar. 2024.

ARK