Síndrome de burnout nos técnicos de enfermagem do estado de Sergipe atuantes no período da pandemia de Covid-19: prevalência e fatores de risco associados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8407612

Palavras-chave:

Síndrome de Burnout . Técnicos de Enfermagem. COVID-19.

Resumo

Introdução: Os profissionais de saúde lidam a todo o tempo com a morte e com as decisões difíceis que podem afetar seu bem estar físico e mental. A  Síndrome  de Burnout (SB) trata-se  de  uma  doença  de  ordem  psicossocial  que  aparece  como  resposta  aos estressores interpessoais de natureza crônica que estão relacionados ao meio laboral. A pandemia da COVID 19 trouxe, portanto, novos desafios, em especial no âmbito da saúde, causando o esgotamento de profissionais da área e culminando com o aumento da SB neste grupo. Objetivo: Identificar e avaliar a prevalência e os fatores de risco para Síndrome de Burnout nos técnicos de enfermagem do estado de Sergipe atuantes no período da pandemia de COVID-19. Metodologia: Estudo transversal, quantitativo, com 150 técnicos e auxiliares de enfermagem que trabalhavam com pacientes com COVID-19, em Sergipe (2021-2022), realizado via Google Forms, mediante Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Avaliou-se perfil sociodemográfico e profissional, e aplicou-se o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp – ISSL. Adotou-se teste Qui-Quadrado ou Exato de Fisher, com tamanho de efeito por Razão de Chances (RC). Aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa sob o parecer número 4.578.896. Resultados: Tratando-se do risco de burnout, a prevalência foi de risco reduzido (44,7%), seguido do risco moderado (36,7%) e grave (18,7%). As variáveis analisadas mais associados a Síndrome de Burnout em técnicos e auxiliares de enfermagem foram : a faixa etária  (p=0,03), a associação entre sentir-se ou não ansioso ao estar com pacientes com COVID-19 (p<0,001) sendo que a ansiedade aumenta em 2,46 vezes (IC95%=1,16; 5,25) mais chances de terem risco moderado de burnout e 4,62 vezes (IC95%=1,80; 11,87) mais chances de terem risco elevado, o prejuízo na qualidade do sono (p=0,06) tendo 2,16 vezes (IC95%=1,01; 4,64) de apresentarem risco moderado de burnout, profissionais que passaram por algum conflito familiar possuem 4 vezes (IC95%=1,56; 10,23) mais chances de risco elevado de burnout comparados àqueles que não tiveram conflitos, profissionais que passaram por algum conflito com a equipe possuem 4,62 vezes (IC95%=1,80; 11,87) mais chances de risco elevado e 3,34 vezes (IC95%=1,53; 7,30) mais chances de terem risco moderado de burnout. Conclusão: Verificou- se a presença de todos os níveis de risco de burnout nos técnicos e auxiliares de enfermagem, em que a maioria apresentou risco reduzido, seguido de moderado e grave, tendo associação significativa com faixa etária, ter tido conflito familiar e com a equipe, prejuízo no sono e sentir-se ansioso ao atuar na pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuela Naiane Lima Barreto, Universidade Tiradentes

Graduanda em Medicina pela Universidade Tiradentes

Luana Rocha de Souza, Universidade Tiradentes

Graduanda em Medicina pela Universidade Tiradentes

Carla Viviane Freitas de Jesus, Universidade Tiradentes

Graduada em Enfermagem pela Universidade Tiradentes; Pós-graduação em MBA em Gestão da Saúde e Administração Hospitalar pela Faculdade Estácio de Sergipe; Doutora em Saúde e Ambiente pela Universidade Tiradentes 

Jefferson Felipe Calazans Batista, Universidade Tiradentes

Graduado em Enfermagem. Mestre em Saúde e Ambiente pela Universidade Tiradentes; Doutorando em Saúde e Ambiente pela Universidade Tiradentes

Renata Lima Batalha de Andrade, Universidade Tiradentes

Graduada em Medicina pela Universidade Tiradentes

Larissa Wábia Santana de Almeida, Universidade Tiradentes

Graduanda em Medicina pela Universidade Tiradentes

Letícia Andrade Santos, Universidade Tiradentes

Graduanda em Medicina pela Universidade Tiradentes

Fabrícia Teixeira de Souza, Universidade Tiradentes

Graduanda em Medicina pela Universidade Tiradentes

Maria Julia Nardelli, Universidade Tiradentes

Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Campina Grande/Centro de Saúde e Tecnologia Rural; Mestrado em Medicina Veterinária de Ruminantes e equídeos pela Universidade Federal de Campina Grande; Doutorado em Saúde e Ambiente pela Universidade Tiradentes

Sonia Oliveira Lima, Universidade Tiradentes

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Sergipe; Mestrado e Doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Universidade de São Paulo

Referências

ABDO, S. A. et al. Burnout among physicians and nursing staff working in the emergency hospital of Tanta University, Egypt. East Mediterr Health J, v. 21, n. 12, p. 906–15, 2016.

Amanullah, S., & Ramesh Shankar, R. (2020, December). The impact of COVID-19 on physician burnout globally: a review. In Healthcare (Vol. 8, No. 4, p. 421). Multidisciplinary Digital Publishing Institute.

BARBOSA, M. B. T. et al. DEPRESSÃO E ANSIEDADE NA ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. Revista Ciência Plural, v. 6, n. 3, p. 93–107, 23 set. 2020.

Correio, R. A. P. P. V., de Oliveira Vargas, M. A., Carmagnani, M. I. S., Ferreira, M. L., & da Luz, K. R. (2015). Desvelando competências do enfermeiro de terapia intensiva. Enfermagem em Foco, 6(1/4), 46-50.

da Silva, M. R. S., da Silva, P. A., Dias, A. B., Medeiros, G. L., da Silva, B. T., & Botelho, L. R. (2009). Aplicação e implicações do conceito de resiliência na prática de enfermagem/saúde. Ciência, cuidado e saúde, 8, 55-61.

de Humerez, D. C., Ohl, R. I. B., & da Silva, M. C. N. (2020). Saúde mental dos profissionais de enfermagem do Brasil no contexto da pandemia Covid-19: ação do Conselho Federal de Enfermagem. Cogitare Enfermagem, 25.

Duarte, M. D. L. C., Silva, D. G. D., & Bagatini, M. M. C. (2020). Enfermagem e saúde mental: uma reflexão em meio à pandemia de coronavírus. Revista Gaúcha de Enfermagem, 42.

EBISUI, C. T. N. Trabalho docente do enfermeiro e a síndrome de Burnout: desafios e perspectivas. Tese (Doutorado)—Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, 2008.

FERREIRA, N. DO N.; LUCCA, S. R. DE. Síndrome de burnout em técnicos de enfermagem de um hospital público do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 18, p. 68–79, mar. 2015.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 5. ed. Porto Alegre: Grupo A - Bookman, 2021.

FREITAS, R. F. et al. Preditores da síndrome de Burnout em técnicos de enfermagem de unidade de terapia intensiva durante a pandemia da COVID-19. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 70, p. 12–20, 31 mar. 2021.

WHO. World Health Organization. 2014. In: Mental health: a state of well-being.

JACKSON FILHO, J. M. et al. A saúde do trabalhador e o enfrentamento da COVID-19. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 45, p. e14, 17 abr. 2020.

Júnior, A. M. F., Brigida, G. V. S., Silva, M. C. R., Santos, M. N. R., Menezes, M. V. M., & Santos, T. S. T. (2021). Sentimentos e vivências do profissional de enfermagem no combate ao coronavírus. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem [Internet], 9, e6294.

LAI J, et al. Factors Associated With Mental Health Outcomes Among Health Care Workers Exposed to Coronavirus Disease 2019. JAMANetworkOpen, 2020; 3(3):1-12.

Lu, W., Wang, H., Lin, Y., & Li, L. (2020). Psychological status of medical workforce during the COVID-19 pandemic: A cross-sectional study. Psychiatry research, 288, 112936.

MACHIN, D. et al. Sample Sizes for Clinical, Laboratory and Epidemiology Studies. [s.l.] John Wiley & Sons, 2018.

Martínez-López, J. Á., Lázaro-Pérez, C., Gómez-Galán, J., & Fernández-Martínez, M. D. M. (2020). Psychological impact of COVID-19 emergency on health professionals: Burnout incidence at the most critical period in Spain. Journal of Clinical Medicine, 9(9), 3029.

MIRANDA, I. P. V.; PASSOS, M. A. N. SONO: FATOR DE RISCO PARA A QUALIDADE DE VIDA DO PROFISSÍONAL DE SAÚDE. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 3, n. 7, p. 336–346, 6 nov. 2020.

OLIVEIRA, R. F. DE; LIMA, G. G. DE; VILELA, G. DE S. Incidência da Síndrome de Burnout nos profissionais de enfermagem: uma revisão integrativa. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, v. 7, 8 jul. 2017.

ROTHEBARTH, A. DE P. et al. O trabalho em equipe na enfermagem: da cooperação ao conflito. Revista Gestão & Saúde, v. 7, n. 2, p. ág. 521-534, 31 maio 2016.

SANTOS, K. M. R. DOS et al. Depressão e ansiedade em profissionais de enfermagem durante a pandemia da covid-19. Escola Anna Nery, v. 25, p. e20200370, 3 fev. 2021.

SELECT: STATISTICAL SERVICES. Odds Ratio – Confidence Interval. , 2022. Disponível em: <https://select-statistics.co.uk/calculators/confidence-interval-calculator-odds-ratio/>. Acesso em: 8 jun. 2022.

Serrão, C., Duarte, I., Castro, L., & Teixeira, A. (2021). Burnout and depression in portuguese healthcare workers during the covid-19 pandemic—The mediating role of psychological resilience. International journal of environmental research and public health, 18(2), 636.

SILVA, S. C. P. S. et al. A síndrome de burnout em profissionais da Rede de Atenção Primária à Saúde de Aracaju, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, p. 3011–3020, out. 2015.

SIMÕES, J.; BIANCHI, L. R. DE O. Prevalência da Síndrome de Burnout e qualidade do sono em trabalhadores técnicos de enfermagem. Saúde e Pesquisa, v. 9, n. 3, p. 473–481, 2016.

SOUZA, N. V. D. DE O. et al. Trabalho de enfermagem na pandemia da covid-19 e repercussões para a saúde mental dos trabalhadores. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 42, p. e20200225, 3 fev. 2021.

Sousa, V. F. D. S., & Araujo, T. C. C. F. D. (2015). Estresse ocupacional e resiliência entre profissionais de saúde. Psicologia: Ciência e Profissão, 35, 900-915.

Talaee, N., Varahram, M., Jamaati, H., Salimi, A., Attarchi, M., Kazempour Dizaji, M., ... & Seyedmehdi, S. M. (2020). Stress and burnout in health care workers during COVID-19 pandemic: validation of a questionnaire. Journal of Public Health, 1-6.

VASCONCELOS, E. M. DE; MARTINO, M. M. F. D. Preditores da síndrome de burnout em enfermeiros de unidade de terapia intensiva. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 38, 7 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2023-10-04

Como Citar

LIMA BARRETO, M. N.; ROCHA DE SOUZA, L.; FREITAS DE JESUS, C. V.; CALAZANS BATISTA, J. F.; LIMA BATALHA DE ANDRADE, R. .; WÁBIA SANTANA DE ALMEIDA, L.; ANDRADE SANTOS, L.; TEIXEIRA DE SOUZA, F. .; NARDELLI, M. J. .; OLIVEIRA LIMA, S. Síndrome de burnout nos técnicos de enfermagem do estado de Sergipe atuantes no período da pandemia de Covid-19: prevalência e fatores de risco associados. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 1424–1436, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8407612. Disponível em: http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/725. Acesso em: 4 mar. 2024.

ARK