A HISTÓRIA DOS MEDICAMENTOS E O USO DAS FÓRMULAS: A CONSCIENTIZAÇÃO DO USO ADEQUADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.4276239

Palavras-chave:

Recurso. Instrução. Acesso. Conscientização

Resumo

O presente trabalho visa a conscientização social a respeito do consumo adequado de medicamentos, pautando seu objetivo na história da indústria farmacêutica que remete a necessidade de pesquisas que levem a produção de um recurso viável a tratar doenças existentes e novas doenças que aparecem durante a evolução da humanidade. O texto apresenta-se como uma fonte de instrução para a adequada utilização de medicamentos, sendo levadas em consideração as propriedades de cada fórmula, atentando-se para sua evolução e seu propósito. O conhecimento das etapas do processo de produção dos medicamentos se faz importante para o entendimento da função de cada medicação e assim promover maior consciência sobre necessidades e riscos. A história dos medicamentos revela a metodologia utilizada pelos pesquisadores, seja por meio de crenças, intuição ou ciência, a indústria farmacêutica passou por muitas modificações, e com seu desenvolvimento o poder monetário ficou mais enaltecendo, o que promoveu uma visão de farmácia igual a comércio, dificultando o acesso universal aos medicamentos e fomentando o uso indevido a partir do poder de compra. Muitos desafios são encontrados para que haja distribuição igualitária e que realmente atenda as necessidades, nesse intuito a presente pesquisa baseia-se na conscientização do uso adequado dos medicamentos.

Biografia do Autor

Isiane dos Anjos Silva, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

Orcid: https://orcid.org/0000-0003-1182-1990 E-mail: isidosanjos@gmail.com

Haline Gerica de Oliveira Alvim, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/6733311247207705
Orcid: https://orcid.org/0000-0002-1682-5512
E-mail: halinegerica@senaaires.com.br


Referências

¹FILHO, J. P. de M. Cuidados farmacêuticos e os medicamentos isentos de prescrição: uma revisão integrativa da literatura. Universidade Federal de Campina Grande – Campus Cuité, 2018.

²BRASIL. Secretária de Ciência e tecnologia e insumos estratégicos. Brasília, DF. Ministério da Saúde. Cartilha para a promoção do uso racional de medicamentos. 2015.

³MONTEIRO, E. R.; LACERDA, J. T. de. Promoção do uso racional de medicamentos: Uma proposta de modelo avaliativo da gestão municipal. Saúde Debate. Rio de Janeiro. 2016;40(111):101116.

PALODETO, M. F. T.; FISCHER, M. L. A representação da medicamentação sob a perspectiva da Bioética. Saúde Soc. São Paulo. 2018;27(1): 252-267.

MELO, D. O. de; RIBEIRO, E.; STORPIRTIS, S. A importância e a história dos estudos de utilização de medicamentos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 2006;42(4).

MENEZES, R. F. Da História da Farmácia e dos Medicamentos. Rio de Janeiro (FF da UFRJ): Nota: Disponibilizado no sítio Laboratório de Consumo & Saúde. Faculdade de Farmácia (FF) da UFRJ, 2005.

PEREIRA, M. L.; NASCIMENTO, M. M. G. do. Das boticas aos cuidados farmacêuticos: perspectivas do profissional farmacêutico. Rev. Bras. Farm. 2011;92(4): 245-252.

ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar. Medicamentos: Uso seguro e cuidados essenciais. Disponível em <http://www.ans.gov.br/temas-de-interesse/medicamentos-uso-seguro-e-cuidados-essenciais>. Acesso em 05 de junho de 2020.

CRF SP – Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Pesquisa aponta que 77% dos brasileiros têm o hábito de se automedicar. Disponível em <http://www.crfsp.org.br/noticias/10535-pesquisa-aponta-que-77-dos-brasileiros-t%C3%AAm-o-h%C3%A1bito-de-se-automedicar.html#:~:text=S%C3%A3o%20Paulo%2C%2030%20de%20abril,medicamentos%20nos%20%C3%BAltimos%20seis%20meses.>. Acesso em 05 de junho de 2020.

Folha de São Paulo. Quase 80% dos brasileiros se automedicam, diz pesquisa Datafolha. 27 de Abril de 2019. Disponível em< https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2019/04/quase-80-dos-brasileiros-se-automedicam-diz-pesquisa-datafolha.shtml>. Acesso em 15 de outubro de 2020.

BRASIL. Comitê Nacional para o uso racional de medicamentos. Brasília, DF. Ministério da Saúde. Uso de medicamentos e medicalização da vida: Recomendações e estratégias. 2019.

Guia da Farmácia. Interfarma faz lista dos dez medicamentos mais vendidos no Brasil. Disponível em <https://guiadafarmacia.com.br/interfarma-faz-lista-dos-dez-medicamentos-mais-vendidos-no-brasil/>. Acesso em 7 de junho de 2020.

MARQUES, T. R. Fatores associados a automedicação. Faculdade de ciências e educação SENA AIRES. Valparaíso de Goiás, 2014. Disponível em <https://guiadafarmacia.com.br/interfarma-faz-lista-dos-dez-medicamentos-mais-vendidos-no-brasil/>. Acesso em 8 de junho de 2020.

ROCHA, A. L. R. da. Uso racional de medicamentos. Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em <https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/11634/1/25.pdf>. Acesso em 10 de junho de 2020.

GAMBARO, C. M. Acesso a medicamentos x Globalização: Análise sobre o papel do direito. Revista de direito sanitário. 2008;8(3): 130-147.vol.

METZNER, V. C. V. Proposta de modelo de rastreabilidade para o setor de medicamentos no Brasil utilizando o conceito de Internet das coisas. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. 2017. Disponível em <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3148/tde-23102017-103323/publico/VivianCristinaVellosoMetznerCorr17.pdf>. Acesso em 22 de junho de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. 2020. Corona vírus (Covid-19). Disponível em <https://coronavirus.saude.gov.br/>. Acesso em 23 de junho de 2020.

STÜLP, Camille Bertha; MANSUR, Samira Schultz. O estudo de Claudio Galeno como fonte de conhecimento da anatomia humana. Khronos, Revista de História da Ciência nº 7, 2019.

UOL. O que os 10 remédios com venda mais expressiva dizem sobre nossa saúde. 2019. Disponível em <https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/12/16/os-10-remedios-mais-vendidos-no-brasil-e-o-que-eles-dizem-sobre-nossa-saude.htm> Acesso em 15 de outubro de 2020.

Franceschet-de-SOUSA, Iane; BISCARO, Andressa; BISCARO, Fernanda; FERNANDES, Marcelo Soares. Uso Racional de Medicamentos: Relato de Experiência no Ensino Médico da Unesc, Criciúma/SC. Revista Brasileira De Educação Médica 439 34 (3) : 438 – 445 ; 2010.

Conselho Federal de Farmácia. Estudo aponta perfil de intoxicação medicamentosa por automedicação no Brasil. 2020. Disponível em <https://www.cff.org.br/noticia.phpid=5849&titulo=Estudo+aponta+perfil+de+intoxica%C3%A7%C3%A3o+medicamentosa+por+automedica%C3%A7%C3%A3o+no+Brasil#:~:text=A%20automedica%C3%A7%C3%A3o%20motivou%2017.923%20dos,6.888%20ou%205%2C82%25).> Acesso em 19 de outubro de 2020.

VASCONCELOS, Daniela Moulin Maciel de; CHAVES, Gabriela Costa; AZEREDO, Thiago Botelho; SILVA, Rondineli Mendes da. Política Nacional de Medicamentos em retrospectiva: um balanço de (quase) 20 anos de implementação. Ciênc. saúde coletiva vol.22, no.8. Rio de Janeiro, ago. 2017.

Publicado

2020-11-16

Como Citar

Silva, I. dos A. ., & Alvim, H. G. de O. . (2020). A HISTÓRIA DOS MEDICAMENTOS E O USO DAS FÓRMULAS: A CONSCIENTIZAÇÃO DO USO ADEQUADO. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 3(7), 475–488. https://doi.org/10.5281/zenodo.4276239