O desafio da depressão pós-parto (DPP): da complexidade do diagnóstico à assistência de Enfermagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55892/jrg.v6i13.840

Palavras-chave:

Depressão pós-parto, Enfermagem obstétrica, Enfermagem materno-infantil

Resumo

A depressão pós-parto (DPP) é uma condição que afeta as mulheres após o parto, manifestando-se por meio de transtornos emocionais associados ao período pós-parto. Essa condição pode se manifestar através de sintomas como intensa tristeza, rejeição ao recém-nascido e outros problemas que influenciam diretamente o estado de saúde da mulher. Tais manifestações, por conseguinte, impactam negativamente no relacionamento inicial entre a mãe e o recém-nascido. O objetivo deste trabalho é, com base na literatura recente, fazer uma reflexão sobre a depressão pós-parto e as complexidades do diagnóstico, bem como a importância da atuação do enfermeiro na identificação precoce, intervenção e manejo. A pesquisa dos artigos foi realizada em bases de dados eletrônicos disponíveis na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (Medline), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LiLACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO), National Library of Medicine (PubMed), Acervo+ Index Base, Base de Dados em Enfermagem (BDEnf), e Google Acadêmico. Para a coleta dos estudos, foram empregados os descritores "depressão pós-parto", "enfermagem obstétrica" e " cuidado materno-infantil ". Para delimitação dos conteúdos foram utilizados critérios de inclusão: artigos disponíveis na integra, em português e inglês, no período de 2015 a 2023, com acesso gratuito e que tivessem pertinência com o tema. As considerações finais destacam a complexidade da depressão pós-parto (DPP), ressaltando a importância da abordagem holística nos cuidados. A análise abrangente dos fatores de risco sublinha a necessidade de intervenções multidisciplinares e a atuação dos enfermeiros na identificação precoce e promoção de medidas preventivas. Os impactos da DPP na saúde materna e no desenvolvimento infantil evidenciam a importância do suporte emocional, da educação e da implementação de políticas públicas. A pesquisa contínua é essencial para aprimorar a assistência de enfermagem, adaptando-se às necessidades individuais e promovendo a conscientização sobre a DPP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Alves Freitas, Universidade Paulista

[Lattes] - Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista – UNIP, campus Brasília (DF).

Mirian da Silva Gomes, Universidade Paulista

[Lattes] - Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista – UNIP, campus Brasília (DF).

Maria Carolina da Silva Moura, Universidade Paulista

[Lattes] - Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista – UNIP, campus Brasília (DF).

Andrey Hudson Interaminense Mendes de Araújo, Universidade Paulista

[Lattes] - Docente de Enfermagem na Universidade Paulista – UNIP, campus Brasília, (DF). Doutorando e Mestre (2017) em Ciências e Tecnologias em Saúde pela Universidade de Brasília. Especialista em Didática do Ensino Superior em Educação à Distância pela Faculdade Sena Aires (2020). Especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá (2019). Graduação em Enfermagem pela Universidade de Brasília (2015).

Referências

ALVES, A.G.O., et al. Assistência de enfermagem às mulheres com depressão pós-parto: revisão narrativa. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, v. 1, p. 1-7, 2021.

BRAGA, L.S., et al. A assistência de enfermagem na depressão pós-parto. Estudos Avançados sobre Saúde e Natureza, v. 1, n. 2, p. 92-105, 2021.

CARNEIRO, M. D. S., et al. Práticas de enfermagem na promoção da saúde mental durante o pré-natal: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, n. 4, p. 1075-1084, 2019.

DELL'OSBEL, R. S,. et al. Sintomas depressivos em gestantes da atenção básica: prevalência e fatores associados. ABCS Brasileiro de Ciências da Saúde, v. 2, n. 1, 2019.

FONSECA-MACHADO, M. O., et al. Funcionamento familiar e depressão pós-parto: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 74, n. 1, 2021.

GIALLO, R., et al. Prevalência e fatores de risco associados a sintomas depressivos e depressão entre mulheres no pós-parto na Austrália. Jornal de Psicologia Reprodutiva e Infantil, v. 1, p. 1-14, 2021.

GONÇALVES, N., et al. Avaliação da depressão pós-parto: prevalência e fatores associados. R. Interd., v. 8, n. 4, p. 40-46, 2019.

GUINTIVANO, J.; SULLIVAN, P. F., et al. Eventos adversos da vida, história psiquiátrica e preditores biológicos de depressão pós-parto em uma amostra etnicamente diversa de mulheres no pós-parto. Medicina Psicológica, v. 50, n. 9, p. 1514-1524, 2021.

HOWARD, L. M.; MOLYNEAUX, E., et al. Transtornos mentais não psicóticos no período perinatal. Lancet, v. 392, p. 1775-1788, 2018.

JOHNSON, A. Cuidados de enfermagem para depressão pós-parto: Os enfermeiros estão adequadamente preparados? Revista de Enfermagem Psicossocial e Serviços de Saúde Mental, v. 56, n. 3, p. 12-15, 2018.

MONTEIRO, A. S. J.; CARVALHO, D. da S. F. A., et al. Depressão pós-parto: atuação do enfermeiro. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, v. 1, p. 1-9, 2020.

PEREIRA, P. K.; LOVISI, G. M., et al. Prevalência de depressão pós-parto e fatores associados em um sistema público de saúde brasileiro. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 40, n. 4, p. 420-426, 2018.

RAMOS, A., et al. Fatores associados à depressão pós-parto: Revisão Integrativa. Enciclopédia Biosfera, v. 15, n. 27, p. 4, 2018.

RIBEIRO, N., et al. Assistência da Enfermagem na depressão pós-parto. Revista Científica Interdisciplinar, v. 1, n. 2, 2020.

ROCHA, G., et al. Enfermagem em saúde materna e obstétrica: contribuição para atenção integral à mulher. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 75, n. 3, p. 155-167, 2022.

ROCHA, M. F. C., et al. O impacto de um programa de atenção à saúde mental para mulheres no período pós-parto: uma revisão sistemática. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 30, p. 97-105, 2022.

SANTOS, C. M. T., et al. Depressão pós-parto: revisão da literatura. Psicologia em Foco, v. 3, n. 2, p. 1-7, 2019.

SANTOS, I. S., et al. Prevalência de depressão entre mulheres brasileiras durante a gravidez e pós-parto: uma revisão sistemática e meta-análise. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 42, n. 3, p. 294-302, 2020.

SANTOS, M., et al. Depressão pós-parto: o papel do enfermeiro na promoção da saúde materna. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, n. 1, p. 281-287, 2019.

SILVA, M., et al. Depressão materna no puerpério: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 73, n. 1, p. 201-307, 2020.

SILVA, V., et al. Sintomatologia depressiva no termo da gestação, em mulheres de baixo risco. J. Bras. Psiquiatr., v. 68, n. 2, p. 65-72, 2019.

THOMPSON, R., et al. Boas práticas na assistência de enfermagem aos transtornos de humor e ansiedade perinatais. MCN: The American Journal of Materno/Infantil, v. 46, n. 1, p. 25-32, 2021.

Downloads

Publicado

2023-12-09

Como Citar

FREITAS, T. A.; GOMES, M. da S.; MOURA, M. C. da S.; ARAÚJO, A. H. I. M. de. O desafio da depressão pós-parto (DPP): da complexidade do diagnóstico à assistência de Enfermagem. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 2459–2468, 2023. DOI: 10.55892/jrg.v6i13.840. Disponível em: http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/840. Acesso em: 4 mar. 2024.

ARK