LONGEVIDADE: QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO A PARTIR DA INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO

  • Diego de Sousa Pontes Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas – FIESC/UNIESP - TO
  • Cheila Maria de Araújo Santos Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.
  • Edjango Lopes Santana Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.
  • Érica Pereira de Oliveira Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.
  • Me. Mikael Henrique de Jesus Batista Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.
Palavras-chave: Enfermagem. Idoso. Longevidade . Qualidade de Vida. Políticas Públicas.

Resumo

O estudo desenvolvido neste artigo visa demonstrar a relevância da atuação do enfermeiro na promoção de qualidade de vida à pessoa idosa. O envelhecimento da população deve vir acompanhado de uma compreensão de sua complexidade, de suas implicações para o conjunto da sociedade. Por isso, o poder público tem a responsabilidade de implementar programas para a atendimento da pessoa idosa, com equipe multiprofissional para proporcionar-lhe qualidade de vida. Neste sentido, constata-se que a atuação do enfermeiro, dentro desta realidade  reveste-se de grande relevância, pois este profissional com a competência técnico-cientifica adequada pode contribuir para a promoção da qualidade de vida da pessoa idosa. A metodologia utilizada neste trabalho consistiu na revisão sistemática de literatura de natureza qualitativa quanto à abordagem, realizada nas bases de dados: Scientific Eletronic Library Online (SciELO) e Google Acadêmico. Constatou-se que profissional da enfermagem  assume um importante papel na assistência ao idoso, mas desde que tenha como principio norteador de sua intervenção a  atenção integral, que perceba o idoso nas dimensões biológica, psicológica e social.  Ao ampliar sua visão em relação a pessoas idosa, de suas particularidades e necessidades, este profissional rompe com modelo biológico, centrado unicamente na doença. Essa concepção holística do enfermeiro proporciona ao idoso melhorias consideráveis em sua longevidade e qualidade de vida, tornando-o  uma pessoa autônoma.

Biografia do Autor

Diego de Sousa Pontes, Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas – FIESC/UNIESP - TO

Graduado em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí (2015). Atualmente é professor de ensino superior - UNIESP Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas e técnico administrativo em educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO. 

CV: http://lattes.cnpq.br/7457564532796129

Cheila Maria de Araújo Santos , Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.

Graduanda em Enfermagem, na Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas – FIESC/UNIESP. cheilinha_bl@hotmail.com

CV: http://lattes.cnpq.br/3802199455773520

Edjango Lopes Santana , Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.

Graduando em Enfermagem, na Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas – FIESC/UNIESP. edjangolopes@gmail.com

CV: http://lattes.cnpq.br/8640723621771361

Érica Pereira de Oliveira , Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.

Graduanda em Enfermagem, na Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas – FIESC/UNIESP. ericald@outlook.com

CV: http://lattes.cnpq.br/7154802615494019

Me. Mikael Henrique de Jesus Batista , Faculdade de Colinas do Tocantins-UNIESP -TO, Brasil.

Graduado em Enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (UFG), com Pós-Graduação em Terapia Intensiva Geral (UTI) e Urgência e Emergência, ambas pelo Centro Goiano de Ensino, Pesquisa e Pós-graduação-CGESP. Mestre em Ensino em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Enfermeiro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins, Campus Colinas do Tocantins (IFTO). No decorrer da graduação foi bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET- Enfermagem) e bolsista do programa de iniciação cientifica PIBIC. Possui experiência com projetos de ensino, pesquisa e extensão, saúde publica, saúde do trabalhador e saúde mental. Participante do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Gestão e Atenção à Saúde do Trabalhador - NEGEAST, sob liderança do Professor Doutor Luiz Almeida da Silva. Email: mikael.gyn@hotmail.com; mikael.batista@ifto.edu.br

CV: http://lattes.cnpq.br/5922893922086911

Referências

ARAÚJO, Larissa Fortunato, et al. Evidências da contribuição dos programas de assistência ao idoso na promoção do envelhecimento saudável no Brasil. Rev. Panam. Salud Publica, v. 30, n.1, p. 80-86, 2011. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2011.v30n1/80-86/ Acesso em: 10 set. 2019.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso 2 set. 2019.
______.Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/leis/L8842.htm. Acesso 16 set. 2019.
_______. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm. Acesso 16 set. 2019.
______. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº399 de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 – Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. Diário Oficial da União, 2006. Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt0399_22_02_2006.html. Acesso em 17 set. 2019.
______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Estudos e Pesquisas. Informação Demográfica e Socioeconômica. Síntese de Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE; 2001-2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf. Acesso 18 set. 2019.
______. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica: Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf. Acesso em 17 set. 2019
______. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: elaboração de revisão sistemática e metanálise de ensaios clínicos randomizados/ Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciência e Tecnologia. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. 92 p.: il. – (Série A: Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_metodologicas_elaboracao_sistematica.pdf. Acesso de set. 2019.
BORBA, Érika Loureiro, et al. A Política Nacional da Saúde do Idoso em perspectiva. RASI, Volta Redonda/RJ, v. 5, n. 1, p. 41-56, jan-abr. 2019. Disponível em: http://www.rasi.vr.uff.br/index.php/rasi/article/view/266 Acesso em: 14 set. 2019.
CLOSS, Vera Elizabeth; SCHWANKE, Carla Helena Augustin. A evolução do índice de envelhecimento no Brasil, nas suas regiões e unidades federativas no período de 1970 a 2010. Rev. Brasileira Geriatr. Gerontol. , Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, p. 443-458. 2012. Disponívelem:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S180998232012000300006&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 10 set. 2019.
COSTA, Rosana Aparecida Gomes da Conceição. Assistência em enfermagem ao idoso: uma perspectiva da área de geriatria e gerontologia. 2018, 35f. Trabalho de conclusão de curso ( Bacharel em Enfermagem), Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes, 2018. Disponível em: http://repositorio.faema.edu.br:8000/bitstream/123456789/2285/1/ASSIST%C3%8ANCIA%20EM%20ENFERMAGEM%20AO%20IDOSO.pdf. Acesso em: 18 set. 2019.
FREITAS, Maria Alice de. Melhores. Melhores práticas de enfermagem no cuidado da pessoa idosa na atenção primária à saúde. 2018. 181f. Dissertação (Mestrado)- Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciência da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/198334 Acesso em: 16 set. 2018.
MEDEIROS, Kaio Keomma Aires Silva; et al. O desafio da integralidade no cuidado ao idoso, no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Revista Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 41, n. espacial 3, p. 288-295, set. 2017. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sdeb/2017.v41nspe3/288-295/. Acesso 12 set. 2019.
MUNIZ, Emanoel Avelar. Assistência domiciliar ao idoso no contexto da estratégia saúde da família: análise da produção científica. Sanare, Sobral, v.13, n. 2, p. 86-91, jun-dez., 2014. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/578 Acesso em: 12 set. 2019.
OLIVEIRA, Juliana Costa Assis de; TAVARES, Darlene Mara dos Santos. Atenção ao idoso na estratégia de saúde da família: atuação do enfermeiro. Revista Escola de Enfermagem USP, São Paulo, v. 9, n.14, p. 774-780, jan. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342010000300032. Acesso 12 set. 2019.
ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris. 10 dez. 1948. Disponível em: https://nacoesunidas.org/direitoshumanos/declaracao/. Acesso em: 26 jun. 2019.
PINHEIRO, Gleide Magali Lemos; ALVAREZ, Ângela Maria; PIRES, Denise Elvira Pires de. A configuração do trabalho da enfermeira na atenção ao idoso na Estratégia de Saúde da Família. Ciênc. Saúde coletiva. Rio de Janeiro, v. 17, n.8, p. 2105-2115, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S141381232012000800021&lng=en&nrm=iso&tlng=pt Acesso em: 10 set. 2019
PIUVEZAM, Grasiela; et. al. Atenção primária à saúde e os idosos institucionalizados: a perspectiva da gestão municipal no Brasil. Rev. Port. Saúde Pública, v. 34, n. 1, p. 92-100, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0870902515000401 Acesso em: 15 set. 2019.
SCHMIDT, Alessandra. et al. Preenchimento da cardeneta de saúde da pessoa idosa: relato de experiência. Sanare, Sobral, v. 18, n. 1, p. 98, jan-jun., 2019. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/578 Acesso: 10 set. 2019.
SILVA, Maria do Rosário de Fátima e Silva; YAZBEK, Maria Carmelita. Proteção social aos idosos: concepções, diretrizes e reconhecimento de direitos na América Latina e no Brasil. Revista Katálysis, v. 17, n. 1, p. 102-110, jan.-jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rk/v17n1/a11v17n1.pdf Acesso em: 10 set. 2019.
Publicado
2019-11-22
Como Citar
Pontes, D. de S., de Araújo Santos , C. M., Lopes Santana , E., de Oliveira , Érica P., & de Jesus Batista , M. M. H. (2019). LONGEVIDADE: QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO A PARTIR DA INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO . Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 2(5), 305-320. Recuperado de http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/87

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##