O USO DE ANTIDEPRESSIVOS E SUA POSSÍVEL INFLUÊNCIA NA MANIFESTAÇÃO DE COMPORTAMENTO SUICIDA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.%204284850

Palavras-chave:

Depressão. Antidepressivos. Comportamento Suicida.

Resumo

Objetivo: Investigar, por meio de um estudo bibliográfico, a possível relação que há entre o uso de antidepressivos e a manifestação de ideações suicidas. Método: Para tal foi realizada uma pesquisa de caráter qualitativo descritivo, que se desenvolveu a partir de estudos bibliográficos, por meio da leitura e análise de produções especializadas na área. Resultados: Antidepressivos são medicamentos utilizados a fim de restaurar pacientes mentalmente deprimidos a um estado mental melhorado, reduzindo a intensidade dos sintomas. No entanto, em estudos realizados com pacientes que fazem uso destes medicamentos, observou-se uma elevação no risco de ideação suicida, tentativas de suicídio e autolesões não fatais. Conclusão: Apesar de existirem estudos que evidenciem este risco. Também, existem estudos que comprovam a real eficácia desta classe de medicamentos no tratamento da depressão. Logo, diante de tal contrariedade faz-se necessário que se desenvolvam mais estudos a respeito do tema e, que durante o tratamento com antidepressivos seja realizado um acompanhamento mais fronteiriço entre médico e paciente.

Biografia do Autor

Paulo Ricardo Pereira dos Santos, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5513-3714
E-mail: scheylapaula@hotmail.com

Scheyla Pereira de Paula, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-9891-9776
E-mail: pauloricardo714@gmail.com

Clézio Rodrigues de Carvalho , FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0474084524560630
Orcid: https://orcid.org/0000-0002-1511-6917
E-mail: clezioabreu@senaaires.com

Referências

WICHNIAK, A. et al. Effects of Antidepressants on Sleep. Curr Psychiatry Rep., v.19, n. 63, p. 1-7, 2017.

ALBERT, P.R. Why is depression more prevalent in women? Psychiatry Neurosci., v. 40, n. 4, p. 219-221, 2015.

CYBULSKI, C.A.; MANSANI, F.P. Análise da depressão, dos fatores de risco para sintomas depressivos e do uso de antidepressivos entre acadêmicos do Curso de medicina da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 41, n. 1, p. 92-101, 2017.

CUIJPERS, P. et al. Psychological treatment of depression in primary care: recent development. Curr Psychiatry Rep., v. 21, n. 129, p. 1-10, 2019.

ZAPRUTKO, T. et al. Non-pharmacological treatments of inpatients with major depression – the case of Polish (Poznan) and German (Kiel) hospital. Complementary Therapies in Clinical Practice, v. 39, p. 1-4, 2020.

WANG, J. et al. Prevalence of depression and depressive symptoms among outpatients: a systematic review and meta-analysis. BMJ Open, v. 7, p. 1-14, 2017.

MAGALHÃES, A.E.C.; DINELLY, C.M.N.; OLIVEIRA, M.A.S. Psicotrópicos: perfil de prescrições de benzodiazepínicos, antidepressivos e anorexígenos a partir de uma revisão sistemática. Eletronic Journal of Pharmacy, v. XIII, n. 3, p. 111-122, 2016.

GUERRA, T.R.B.; MESQUITA, E.T. Visão metabolômica envolvendo depressão e insuficiência cardíaca: uma análise reflexiva. Research, Society and Development, v. 9, n. 8, p. 1-10, 2020.

RIBEIRO, A.; RIBEIRO, J.P.; VON DOELLINGER, O. Depression and psychodynamic psychotherapy. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 40, p. 105-109, 2018.

CRUZ, F.N.O.; BONFIM, A.J. Relação do diabetes mellitus com a depressão e seus mecanismos fisiopatológicos: uma revisão. E- REVISTA, v. 18, p. 1-12, 2020.

SOARES, M.M.; OLIVEIRA, T.G.D.; BATISTA, E.C. O uso de antidepressivos por professores: uma revisão bibliográfica. REVASF, v. 7, n. 12, p. 100-117, 2017.

SCHENKEL, M.; COLET, C.F. USO De antidepressivos em um município do rio grande do Sul. Arq. Ciênc. Saúde UNIPAR, v. 20, n. 1, p. 33-42, 2016.

DAL PIZZOL, T.S. et al. Uso de medicamentos antidepressivos na amamentação: avaliação da conformidade das bulas com fontes bibliográficas baseadas em evidências científicas. Cad. Saúde Pública, v. 35, n. 2, p. 1-8, 2019.

TENG, C.T.; PAMPANELLI, M.B. O Suicídio no contexto psiquiátrico. Revista Brasileira de Psicologia, v. 2, n. 1, p. 41-51, 2015.

SILVA, J.O.G.; SANTOS, C.C. Fatores de risco associados ao suicídio: a tendência suicida pode agravar-se em sujeitos com transtornos depressivos. Psicologia-pt, s.n, p. 1-20, 2019.

SOUZA, A.E.C. et al. Os efeitos dos antidepressivos no organismo. Revista UNILUS Ensino e Pesquisa, v. 12, n. 28, p. 146-153, 2015.

Lima

SALES, I.P.L.S.R.L. Antidepressivos dispensados nos centros de atenção psicossocial do recôncavo baiano que apresentam efeitos sexuais. Revista Brasileira de Saúde Funcional - REBRASF, v. 10, n. 1, p. 18-28, 2020.

COSTA, M.; MARINS, N. Hiponatremia associada a antidepressivos: uma revisão. J Bras Psiquiatr., v. 67, n. 1, p. 52-58, 2018.

BRATS – Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde. Antidepressivos no transtorno depressivo maior em adultos. BRATS, Ano VI, n. 18, p. 1-35, 2012.

HENGARTNER, M.P.; PLÖDERL, M. Reply to the Letter to the Editor: “Newer-Generation Antidepressants and Suicide Risk: Thoughts on Hengartner and Plöderl’s Re-Analysis”. Psychother Psychosom, n. 88, p. 373-374, 2019.

Publicado

2020-11-22

Como Citar

Santos, P. R. P. dos ., Paula, S. P. de ., & Carvalho , C. R. de . (2020). O USO DE ANTIDEPRESSIVOS E SUA POSSÍVEL INFLUÊNCIA NA MANIFESTAÇÃO DE COMPORTAMENTO SUICIDA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 3(7), 676–683. https://doi.org/10.5281/zenodo. 4284850