A IMPORTÂNCIA DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO PREPARO DOS PAIS DIANTE DA SÍNDROME DE DOWN: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DE LITERATURA

  • Débora Adriana Ramos Universidade Paulista (UNIP) - SP
  • Ellen Alves Gouvêia Universidade Paulista (UNIP) - SP
Palavras-chave: Síndrome de down. Síndrome. Família. Equipe Multidisciplinar.

Resumo

A síndrome de Down (SD) ou trissomia do cromossomo 21, sendo a cromossomopatia mais comum no ser humano, não podendo ser relacionada ao sexo, idade ou classe social. Os cuidados da equipe multidisciplinar no preparo dos pais para receberem o filho sujeito à síndrome, no contexto institucional, assumindo a relevância na sociedade, devido essas pessoas sofrerem pré-conceitos e exclusão social. Levando em consideração o impacto do diagnóstico e posteriormente, a maneira de conduzir o acolhimento da família e do portador da síndrome em todo seu ciclo vital, a quebra de expectativas, do futuro idealizado e dos padrões “ideais de família”. OBJETIVO:  Dentro desse contexto o presente trabalho tem por objetivo apresentar as produções acadêmicas sobre importância do preparo do profissional de enfermagem no apoio aos pais de crianças portadoras de SD.  MÉTODO: para isso, foi utilizado como metodologia o levantamento bibliográfico por meio da análise de artigo científicos na base de dado: Scientific Eletronic Library Online (Scielo Brasil) e, também foram utilizados documentos do Ministério da Saúde. RESULTADOS: os resultados obtidos foram o entendimento sobra a SD, a necessidade de maior capacitação dos profissionais que atuam juntamente com os pais para o diagnóstico, e acompanhamento longitudinal da pessoa com Síndrome de Down. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A partir dos resultados obtidos dos artigos selecionados e da análise dos mesmos, é possível concluir que equipes multidisciplinares exercem um papel fundamental no auxílio aos portadores de Síndrome de Down e também às suas famílias.

Biografia do Autor

Débora Adriana Ramos, Universidade Paulista (UNIP) - SP

Mestranda em Piscologia pela Universidade Católica de Brasília, UCB/DF, Brasil. Possui graduação em Psicologia pela Universidade Paulista (2010). Atualmente é aae do Ministério da Educação e professor da Universidade Paulista. Tem experiência na área da Psicologia Organizacional, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Psicanálise, Educação Inclusiva, Psicomotricidade, Psicologia Hospitalar, Neurociências e Psicologia do Esporte

CV: http://lattes.cnpq.br/8157104994909882

Referências

1. COUTO, T.H.A.M. Psicologia: A mãe, o filho e a Síndrome de Down. Campinas: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n37/a10v17n37.pdf, dissertação, 2007.
2. SAMPAIO, A.M. Letras: A síndrome de Down no contexto familiar e social. Bauru: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/eventos/article/viewFile/544/357, TCC, 2012.
3. BARBOSA, M.A.M, de et al. Enfermagem: Cuidado centrado na família no contexto da criança com deficiência e sua família: uma análise reflexiva. http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n1/a22v21n1.pdf, artigo, 2012.
4. FERREIRA, F.S. Psicologia: O impacto psicológico nas mães pelo nascimento de uma criança com síndrome de Down. Salvador: 2014. https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0884.pdf.
5. FERREIRA, M.E.V, de et al. Enfermagem: O bebê com síndrome de Down: a percepção dos profissionais acerca da formação do vínculo marteno. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-03072018000200003, TCC, pós graduação. 2018.
6. NUNES, M.D.R.; DUPAS,G. Enfermagem: Independência da criança com síndrome de Down: a experiência da família. http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n4/pt_18, TCC, São Carlos – SP. 2011.
7. FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE SÍNDROME DE DOWN. Síndrome de Down. Brasília – DF. 2011.
8. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes de Atenção à pessoa com Síndrome de Down. Brasília – DF. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_atencao_pessoa_sindrome_down.pdf2013.
9. MURTA, C.G.V.; FRANÇA, L.C. Medicina: Medida da Translucência Nucal no Rastreamento de Anomalias Cromossômicas. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010072032002000300004&script=sci_abstract&tlng=pt, Vitória – ES. 2002.
10. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Série Informação sobre a Síndrome de Down destinada a Profissionais de Unidades de Saúde. O que é Síndrome de Down. Brasília – DF. 2012.
11. MOVIMENTO DOWN. As diferentes formas da trissomia 21. Cidade Nova – RJ. 2012.
12. MOVIMENTO DOWN. Qual a diferença entre Síndrome de Down com Mosaico e sem. Cidade Nova – RJ. 2013.
13. MINISTÉRIO DA MULHER, DA FAMÍLIA E DOS DIREITOS HUMANOS. 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down. Brasília – DF. 2018.
14. ANDRADE, F.M.R.R. Psicologia: O luto do filho idealizado: pais da criança com síndrome de Down. http://repositorio.ispa.pt/bitstream/10400.12/4467/1/18716.pdf, Lisboa – Portugual. 2015.
15. SANTOS, R.O.M, et. Al. Enfermagem: Vínculo Longitudinal na Saúde da Família: Construção fundamentada no modelo da atenção, práticas interpessoais e organização dos serviços. Instituto Nacional do Câncer, Rio de Janeiro- RJ, BR. http://www.scielo.br/pdf/physis/v28n2/0103-7331-physis-28-02-e280206.pdf.
16. FERRARINI, A.C. Pedagogia: A criança com síndrome de Down na Educação Infantil: Uma pesquisa Bibliográfica. Londrina- PR. file:///D:/MEUS%20DOCUMENTOS/Downloads/2016%20AnaFerrarini..pdf.
17. GORLA, J.I., et al. Enfermagem: Crescimento de crianças e adolescentes com Síndrome de Down – Uma breve revisão de literatura. file:///D:/MEUS%20DOCUMENTOS/Downloads/11.pdf.
18. Rodrigues, C. Enfermagem: Os cuidados com a Síndrome de Down e o trabalho das Entidades Sociais na cidade de Assis. file:///D:/MEUS%20DOCUMENTOS/Downloads/0911250359.pdf.
19. ALMEIDA, V.C.F., et al. Enfermagem: Teoria das relações interpessoais de Peplau: análise fundamentada em Barnaum*. Universidade Federal do Ceará. http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v39n2/11.pdf.
20. MIRANDA, A.L.P.L., et al. Enfermagem: O cuidado de enfermagem à pessoa com Síndrome de Down na Estratégia Saúde da Família. http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/viewArticle/640, Paus dos Ferros – RN. 2014.
21. NUNES, M.D.R.; DUPAS, G.;NASCIMENTO, L.C. Enfermagem: Atravessando períodos nebulosos: a experiência da família da criança portadora da Síndrome de Down. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672011000200002&script=sci_abstract&tlng=pt, São Carlos – SP. 2010.
22. SASSÁ, A.H.; et al. Enfermagem: Bebê de risco: acompanhando o crescimento infantile no perimeiro ano de vida. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-21002011000400015&script=sci_abstract&tlng=pt, Maringá – PR. 2010.
23. RAMOS, A.F.; et al. Enfermagem: A convivência da família com o portador de Síndorme de Down à luz da Teoria Humanística. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672006000300003&script=sci_abstract, Fortaleza – CE. 2006.
24. SAAD, S.N. Pedagogia: preparando o caminho da inclusão: sissolvendo mitos e preconceitos em relação à pessoa com síndrome de down. https://www.abpee.net/homepageabpee04_06/artigos_em_pdf/revista9numero1pdf/6saad.pdf, São Paulo – SP. 2003.
25. OLIVEIRA, E.F.; LIMONGI, S.C.O. Fonoaudiologia: Qualidade de vida de pais/cuidadores de crianças e adolescentes com síndrome de Down. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-64912011000400006, Cidade Universitária – SP. 2011.
26. PAIVA, C.F.; et al. Farmácia: Síndrome de Down: Etiologia, características e impactos na família. https://facsaopaulo.edu.br/wp-content/uploads/sites/16/2018/05/ed2/11.pdf, São Paulo – SP. 2014.
27. HENN, C.G.; et al. Pscicologia: A família no contexto da Síndrome de Down: revisando literatura. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-73722008000300009&script=sci_abstract&tlng=pt, Maringá – PR. 2008.
28. SILVA, N.L.P.; DESSEN, M.A. Psicologia: Famílias de crianças com síndrome de Down: sentimentos, modos de vida e estresse parental. https://revistas.ufpr.br/psicologia/article/viewFile/7675/5467, Brasília – DF. 2006.
29. COELHO, C. Psicologia: A síndrome de Down. http://www.psicologia.pt/artigos/ver_artigo.php?a-sindrome-de-down&codigo=A0963, Porto – Portugal. 2016.
30. MIRANDA, F.J.; et al. Psicologia: Síndrome de Down: O impacto do diagnóstico sob a ótica dos pais em um projeto de extensão. http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/fragmentos/article/view/5448, Goiânia-GO. 2017.
31. OSTERMANN, A.C.; et al. Psicologia: Perspectivas otimistas na comunicação de notícias difíceis sobre a formação fetal. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102311X2017000805003&lng=en&nrm=iso&tlng=pt, Rio de Janeiro – RJ. 2019.
32. TEMPSKI, P.Z.; et al. Medicina: Protocolo de cuidado à saúde da pessoa com Síndrome de Down – IMREA/HCFMUSP. http://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/103661, Rio de Janeiro – RJ. 2011.
Publicado
2019-11-29
Como Citar
Ramos, D. A., & Gouvêia, E. A. (2019). A IMPORTÂNCIA DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO PREPARO DOS PAIS DIANTE DA SÍNDROME DE DOWN: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DE LITERATURA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 2(5), 270-282. Recuperado de http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/93