FORMAÇÃO E VALORIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.4289233

Palavras-chave:

Docente. Formação. Valorização

Resumo

No Brasil, o docente atua em sua profissão mesmo diante de possíveis lacunas na formação inicial e continuada, de remuneração e condições de trabalho, por vezes impróprias, que tornam essa carreira desafiadora. Sabe-se que esses problemas são antigos e por mais que se tenham normativas como a Constituição Federal de 1988 (CF), a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996 (LDBEN), o Plano Nacional de Educação 2014-2024 (PNE) e tantos outros, o professor da Educação Básica no Brasil tem uma carreira desvalorizada e que, por conseguinte, pode levá-lo ao desestímulo. O profissional docente pode modificar a vida de estudantes, e esse efeito precisa ser valorizado pelas autoridades das políticas públicas de forma a refletir mudanças efetivas para sua melhor formação e maior valorização. Nessa perspectiva, essas ações ficam consoantes com a importância que esses profissionais têm na Educação. Destarte, esse trabalho tem como objetivo contemplar aspectos históricos de desenvolvimento do processo de formação do professor, bem como sua valorização. Ademais, são apresentadas algumas nuances dos aspectos políticos da Legislação e de alguns autores que abordam a temática e que vão ao encontro dos problemas e perspectivas atuais. Esta é uma pesquisa qualitativa na qual os dados foram colhidos através de análise bibliográfica e documental. Por fim, concluiu-se que tanto a sociedade como os órgãos competentes devem acompanhar o cumprimento da LDBEN, a fim de que as metas do PNE sejam alcançadas.

Biografia do Autor

Diêgo Borges Rodrigues, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9363267671125534
Orcid: https://orcid.org/0000-0003-0816-9858
E-mail: diegoborgesr@gmail.com

Graciele Ferreira de Sousa, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3599244066099350
Orcid: https://orcid.org/0000-0001-7847-1505
E-mail: graciele.sousa@gmail.com

Jurenice da Silva Barreto, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/1686474662664459
Orcid: https://orcid.org/0000-0001-7847-1505
E-mail: jurenicesb@gmail.com

Valdivina Alves Ferreira, Universidade Católica de Brasília, UCB, DF, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4825111570999096
Orcid: https://orcid.org/0000-0002-2306-7465 
E-mail: valdivina5784@hotmail.com

Referências

BALZAN, Newton César; PAOLI, Niuvenius J. Licenciaturas: o discurso e a realidade. Ciência e Cultura, v. 40, n. 2, p. 147-151, 1988.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 21 set. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional (LDBEN). Diário Oficial da União, v. 134, n. 248, 1996.

BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2001.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Manual de orientação do Fundef. 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/manual.pdf. Acesso em: 21 set. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP). Metodologia inédita do Inep abre debate sobre remuneração média de professor da educação básica. 2007. Brasília, DF. Disponível em: http://www.inep.gov.br/download/superior/censo/2007/Resumo_tecnico_2007.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação-PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, v. 26, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2 de 1º de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, Programas e cursos de formação pedagógica para graduandos) e cursos de segunda licenciatura e formação continuada. Diário Oficial da União, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação.Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 18 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação.Portaria GAB Nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Institui o Programa de ResidênciaPedagógica. 2018a. Disponível em:https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/28022018-portaria-n-38-institui-rp-pdf. Acesso em: 18 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. CAPES. Edital nº 06, 03 de março de 2018.Chamada Pública para apresentação de propostas no âmbito do Programa de Residência Pedagógica. 2018b.Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/educacao-basica/programa-residencia-pedagogica. Acesso em: 18 set. 2020.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. Formação de professores da Educação Básica no Brasil no limiar dos 20 anos da LDBEN. Notandum, v. 42, p. 139-160, 2016.

ELER, Guilherme. Brasil cai para lanterna em ranking de “Valorização do Professor”. Disponível em: https://super.abril.com.br/sociedade/brasil-cai-para-lanterna-em-ranking-de-valorizacao-do-professor/https://super.abril.com.br/sociedade/brasil-cai-para-lanterna-em-ranking-de-valorizacao-do-professor/. Acessoem:22 set. 2020.

FREIRE, M. A Formação permanente.In: FREIRE, P. Trabalho, comentário, reflexão.Petrópolis: Vozes, 1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FUNDAÇÃO VARKEY. Global Teacher Status Index. Disponível em: https://www.varkeyfoundation.org/pt/o-que-n%C3%B3s-bfazemos/pesquisa/%C3%ADndice-global-de-status-do-professor. Acesso em: 22 set. 2020.

GARCIA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editores, 1999.

GATTI, Bernardete Angelina et al. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Edições Unesco, UNESCO, Brasília, 2019.

GUEDES, Marilde Queiroz. A nova política de formação de professores no Brasil: enquadramentos da base nacional comum curricular e do programa de residência pedagógica. Da Investigação às Práticas, v. 9, n. 1, p. 90-99, 2019.

HARGREAVES, A. O ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HIPOLITO, J. A relação de poder na relação pedagógica e as suas implicações éticas. In: Comunicação no Congresso Internacional do Instituto Piaget: Evolução das Ciências, Ética e Educação. Lisboa. 1991.

IMBERNÓN, F.Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LEITE, E. A. P. Formação inicial e base de conhecimento para o ensino de matemática na perspectiva de professores iniciantes da educação básica.Orientadora:Dra. Cármen Lúcia Brancaglion Passos. 2016. 269f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

NAKABASHI, Luciano. Brasil está em último lugar na valorização dos professores. 2019. Disponível em: https://jornal.usp.br/radio-usp/brasil-esta-em-ultimo-lugar-na-valorizacao-dos-professores/. Acesso em: 22 set. 2020.

PIMENTA, Selma Garrido; ANSTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência do Ensino Superior. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2008. (Coleção Docência em Formação).

RIZO, Welington Fraga. Valorização do Professor e Modernização do Ensino Público. Disponível em:https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/valorizacao-do-professor.Acesso em: 22 set. 2020.

SANTOS, Fernando H. SILVA, Fernanda A. O. Valorização docente: Histórico legal e desafios vindouros. Revista Brasileira de Educação Básica,Belo Horizonte,ano 1, n. 1, p. 70- 74, out./dez. 2016. Disponível em: http://pensaraeducacao.com.br/rbeducacaobasica/wp-content/uploads/sites/5/2019/02/10-Valoriza%C3%A7%C3%A3o-docente.pdf. Acesso em: 18 set. 2020.

SAVIANI, Demerval. História da formação docente no Brasil: três momentos decisivos.Educação, Brasília, v. 30, n. 2, 2005.

SÍVERES, Luiz. Encontros e diálogos: pedagogia da presença, proximidade e partida. Brasília: Liber Livro, 2015.

Publicado

2020-11-24

Como Citar

Rodrigues, D. B. ., Sousa, G. F. de ., Barreto, J. da S. ., & Ferreira, V. A. . (2020). FORMAÇÃO E VALORIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 3(7), 705–717. https://doi.org/10.5281/zenodo.4289233