A ambiguidade como estratagema da formulação do discurso de peças publicitárias históricas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.8083602

Palavras-chave:

Ambiguidade. Metáfora. Estratagema. Semântica. Publicidade.

Resumo

O objetivo do presente artigo é reconhecer os estratagemas semânticos, utilizados na elaboração do discurso de alguns anúncios publicitários históricos, veiculados no século XX. A partir disso, passaremos a delimitar como objetivos específicos em analisar os fenômenos semânticos da ambiguidade e metáfora como recursos de sentido das peças publicitárias. Por conseguinte, buscar-se-á discutir de que maneira o uso dessas propriedades semânticas contribuem para a construção da persuasão do leitor, transformando-o num possível cliente do produto publicizado. Na metodologia do presente estudo buscou-se observar os fenômenos semânticos da ambiguidade e metáfora utilizados na elaboração dos discursos presentes em determinadas películas publicitárias históricas. A coleta do corpus foi realizada diretamente na plataforma: www.propagandashistoricas.com.br. A amostra coletada foi de 2 peças publicitárias, as quais instigamos os seguintes recursos semânticos: Corpus 1 (Dê para seu namorado) e Corpus 2 (Eleja bombril). Para os critérios de seleção do corpus consideramos textos publicitários formulados a partir das seguintes propriedades semânticas: ambiguidade e metáfora. Como resultado, propõe-se que a ambiguidade é um estratagema dos corpora 1 e 2 para a formulação da metáfora sexual (corpus 1) e discurso político (corpus 2).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Menino de Macêdo Júnior, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Lattes

Graduado em Letras Língua Portuguesa. Cientista e bolsista pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/UERN. Pesquisador no Grupo de Pesquisa em Linguística e Literatura – GPELL.

Diva Wellk de Oliveira Santos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Lattes

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem – PPGL na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN.

Helena Perpetua de Aguiar Ferreira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Lattes

Professora Mestre na Faculdade de Educação – FE da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN; Doutoranda em Psicologia pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR.

Suênia de Lima Duarte, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Lattes

Mestre em Educação Física na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN. Doutoranda em Psicologia pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR.

Referências

ARAÚJO, Leonardo. PROPMARK. Relembre os presidentes clássicos nas propagandas de Bombril. 2018. Disponível em: https://propmark.com.br/mercado/relembre-os-presidentes-classicos-nas-propagandas-de-bombril/. Acessado em: 15 Mar. 2023.

CANÇADO, Márcia. Manual de Semântica: noções básicas e exercícios. – 2ª edição, 4ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2022.

CORTAZZI, Martin; JIN, Lixian. (1999). Bridges to learning: Metaphors of teaching, learningand language. In: L. Cameron & G. Low (Eds.): Researching and ApplyingMetaphor (pp.149-176). Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

COUTINHO, Renata Corrêa. Publicidade e Propaganda: aspectos históricos. Fema (Assis/SP), 2011. Disponível em: http://bocc.ufp.pt/pag/coutinho-renata-publicidade-e-propagandaaspectos-historicos.pdf. Acessado em: 27 set. 2021.

DA GAMA KURY, Adriano. Novas Lições de Análise Sintática. São Paulo – SP: Editora Ática S. A., 1993.

DE CARVALHO, Maurício Brito; DE SOUZA, Ana Cláudia. As metáforas e sua relevância no processo de ensino-aprendizagem de língua estrangeira. Fragmentos: Revista de Língua e Literatura Estrangeiras, v. 24, 2003.

DICIO. Dicionário online de Português. Conativo. 2018. Disponível em: https://www.dicio.com.br/conativo/. Acessado em: 25 out. 2021.

FARACO, Carlos Alberto. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história das línguas. São Paulo: Parábola editorial, 2006.

FERRAREZI JÚNIOR, Celso. Semântica. – 1ª ed. – São Paulo: Parábola, 2019.

FERREIRA, Marcelo. Semântica: Uma introdução ao estudo formal do significado. São Paulo: Contexto, 2022.

FIORIN, José Luiz. A linguagem em uso. In: FIORIN, José Luiz. Introdução à linguística. (Org.). – 6ª ed., revista e atualizada. – São Paulo: Contexto, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GUYTON, Arthur Clifton. Fisiologia humana. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.1998.

ILARI, Rodolfo; GERALDI, João Wanderley. Semântica. São Paulo: Editora Ática, 1993.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metafora e vita quotidiana. Roi edizioni, 2022.

MACÊDO JÚNIOR, Adriano Menino et al. As técnicas argumentativas (o paradoxo e a narração) em peças publicitárias históricas: um estudo sincrônico do século XX. CONTRIBUCIONES A LAS CIENCIAS SOCIALES, v. 16, n. 2, p. 672-701, 2023.

MAFRA, Adriano. Analogias, metáforas e ensino: a sala de aula em foco. Scientia Traductionis, v. 6, 2008.

MARCONI, Mariana de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de linguística. Editora Contexto, 2008.

MARTINS, Nilce Sant’anna. Introdução à estilística: a expressividade na língua portuguesa. – 2ª ed. rev. e aum. São Paulo: T. A. Queiroz: 1997. – (Biblioteca universitária de língua e linguística; v. 8).

MONNERAT, Rosane Santos Mauro. O discurso publicitário e o jogo de máscaras das modalidades discursivas. Veredas-Revista de Estudos Linguísticos, v. 3, n. 2-, 1999.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

OTTONI, Paulo. A tradução “entre” o ensino e a aprendizagem: como seguir regras sem dispor de regras para aplicar regras. Tradução & Comunicação: Revista Brasileira de Tradutores, São Paulo, n. 12, 2003.

PÁDUA, Isabel Campos Araujo. Analogias, metáforas e a construção do conhecimento: por um processo ensino-aprendizagem mais significativo. Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação: novo governo, novas políticas, 2003.

REBOUL, O. Introdução à retórica. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

REIS JÚNIOR, DALMIR. Casa das Cuecas (Dia dos Namorados) – 1982. Propagandas Históricas, 2023. Disponível em: https://www.propagandashistoricas.com.br/2013/05/casa-das-cuecas-dia-dos-namorados-1982.html. Acessado em: 01 mar. 2023.

REZENDE, Graciele Silva. ESTRATÉGIAS DISCURSIVAS EM PUBLICIDADES BRASILEIRAS DE CERVEJA. Orientador: Prof. Dr. Renato de Mello. 2006. Dissertação de mestrado – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, 2006.

SCHÄFFNER, Christina. Metaphor and translation: some implications of a cognitive approach. Journal of pragmatics, v. 36, n. 7, 2004.

SOUZA, Ana Cláudia de et al. Leitura, Metáfora e Memória de Trabalho: três eixos imbricados. 2004. Tese (Curso de Pós-Graduação em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

Downloads

Publicado

2023-06-26

Como Citar

MACÊDO JÚNIOR, A. M. de .; SANTOS, D. W. de O.; FERREIRA, H. P. de A.; DUARTE, S. de L. A ambiguidade como estratagema da formulação do discurso de peças publicitárias históricas. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 1091–1110, 2023. DOI: 10.5281/zenodo.8083602. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/597. Acesso em: 18 jun. 2024.

ARK