A REFORMA PSIQUIÁTRICA NA CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE UMA EQUIPE TRANSDISCIPLINAR DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE EM UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.4292314

Palavras-chave:

Reforma Psiquiátrica. Trabalho em equipe transdisciplinar Interdisciplinaridade. Serviços de Saúde Mental.

Resumo

Este artigo aborda o desenvolvimento e resultados de uma pesquisa, realizada em um Centro de Convivência Psicossocial do Município de Santo Antonio do Descoberto, o objetivo deste estudo foi analisar a percepção da equipe transdisciplinar do Centro de Convivência Mansão Vida, e compreender como os profissionais veem o serviço em que estão inseridos considerando a Reforma Psiquiátrica, os aspectos que facilitam e dificultam esta atuação. Adotou-se, para este fim, abordagem quantitativa, através de um questionário objetivo, com 35 trabalhadores da instituição, os resultados obtidos apontam que, a percepção da equipe transdisciplinar sobre a reforma psiquiátrica, está dividida entres as categorias, tendo em vista que apenas 47% dos profissionais estudados são conhecedor do processo da reforma psiquiátrica, e em sua maioria composta enfermeiros e técnicos de enfermagem. Concluiu-se 53% dos trabalhadores apresentaram dificuldades no conhecimento da lei, 10.216/01 que rege o processo da reforma psiquiátrica, no entanto a prática a assistência dos pesquisado ao paciente portador de transtorno mental, está condizente com os princípios, da reforma psiquiátrica, sendo notória a humanização no atendimento, a centralidade médica, e a inclusão de familiares em processo terapeuta. Pontua-se aqui que a instituição explore, mas em investimento teórico a respeito da reforma psiquiátrica, qualificando ainda mais sua equipe transdisciplinar.

Biografia do Autor

Simone Aparecida Noronha de Souza, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-3798-1848
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6080026702652901  

Geovane Mendonça Santos, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, GO, Brasil.

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-7961-1493

 

Walquiria Lene dos Santos, FACESA-Faculdade de Ciências e Educação Sena Aires, FACESA, Brasil.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4723603129713855
Orcid: https://orcid.org/0000-0001-6489-5243
E-mail: walquiria@senaaires.com.br

Referências

ALVES R.L, PANSIERA DCB, MORENO V. A reforma psiquiátrica e o seu significado para os auxiliares de enfermagem em um centro de atenção psicossocial. Enferm. Atual. 6 (33):15-48. 2006

AMSTALDEN, A; PASSOS, E. A reforma psiquiátrica brasileira e a política de saúde mental. 2005.

AMARANTE, P. O homem e a serpente: outras histórias para loucura e a psiquiatria. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 1996.

ANTUNES, S.M.M.O.; QUEIROZ, M.S. A configuração da reforma psiquiátrica em contexto local no Brasil: uma análise qualitativa. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23 (1): 207-215, jan, 2007.

BARROS DD, GHIRARD MIG, LOPES RE. Terapia ocupacional social. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, 2002;13(3):9 5-103.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde, Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma Psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil.200.

CONSTANTINIDIS, T. C., & ANDRADE, A. N. (2015). Demanda e oferta no encontro entre profissionais de saúde mental e familiares de pessoas com sofrimento psíquico. Ciência & Saúde Coletiva, 20(2), 333-342.

DAÚD, J. N. Considerações histórico-conceituais sobre a instituição psiquiátrica no Brasil e a desinstitucionalização do "doente mental" . In: BOARINI ML, organizadora. Desafios na atenção á saúde mental. Maringá, SP: Eduem; 2000. p 31-64.

DELGADO, P. G. G., SCHECHTMAN, A., WEBER, R., AMSTALDEN, A. F., BONAVIGO. E. CORDEIRO, F. PÔRTO, K. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. In M. F. Mello, A. A. F. Mello & R. Kohn (Eds.), Epidemiologia da saúde mental no Brasil (pp. 39-83). Porto Alegre, Brasil: Artmed. (2007).

LACCHINI, A. JEANNINNE. B; RIBEIRO, D. BERTASSO; SOCCOL, K. L. S; TERRA, M. G; SILVA, R. M; A Enfermagem E Saúde Mental Após A Reforma Psiquiátrica; Revista contexto & Saúde; Editora UNIJUIV. 10 n.20 Jan/jun.2011.

MEDEIROS apud Ribeiro M.B.S, OLIVEIRA L.R. Terapia ocupacional e saúde mental: construindo lugares de inclusão. Interface. 2005; 9 (17): 425-431.

MOURA, F.D.M.N. Bases para uma reforma psiquiátrica. In: Marsiglia R, DALARI D, COSTA JF. Saúde mental e cidadania. São Paulo: Mandacarú; 1987. p. 57-65.

QUEIROZ, M. S; DELAMUTA, L. A. Saúde mental e trabalho interdisciplinar: a experiência do "Cândido Ferreira" em Campinas. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 16, n. 8, p. 3603-3612, Aug. 2011. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000900028&lng=en&nrm=iso>. access on 14 Mar. 2020

Publicado

2020-03-20

Como Citar

Souza, S. A. N. de ., Santos, G. M. ., & Santos, W. L. dos . (2020). A REFORMA PSIQUIÁTRICA NA CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE UMA EQUIPE TRANSDISCIPLINAR DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE EM UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA. Revista JRG De Estudos Acadêmicos, 3(6), 28–35. https://doi.org/10.5281/zenodo.4292314

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>