BURNOUT EM TÉCNICOS DE ENFERMAGEM: UMA REVISÃO NARRATIVA

Palavras-chave: Burnout, Papel do Técnico em Enfermagem, Riscos Ocupacionais.

Resumo

RESUMO: O objetivo do estudo é descrever os fatores de risco para o desenvolvimento da Síndrome de Burnout em técnicos de enfermagem de acordo com a literatura. Trata-se de um estudo de revisão narrativa da literatura, os artigos foram pesquisados nas seguintes bases de dados: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS); Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Eletronic Library Online (SCIELO), e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) através da associação dos Descritores em Ciências da Saúde (DECS)  pelo booleano “and”: Burnout, Papel do Técnico em Enfermagem, Riscos Ocupacionais. Teve como critérios de inclusão: artigos publicados entre os anos de 2010 a 2020. Com base nos critérios acima, foram encontrados um total de 17 produções científicas. Essas foram analisadas por meio da análise temática. Os resultados foram apresentados em três categorias: 1) contexto histórico da síndrome de Burnout; 2) síndrome de Burnout nos técnicos de enfermagem; 3) fatores de enfrentamento da síndrome de Burnout nos técnicos de enfermagem. Concluísse que a SB é um problema de saúde pública, uma vez que acomete os técnicos de enfermagem e muitos profissionais da área de saúde. Desta forma, o agravo “Pode e deve ser tratada” como uma doença ocupacional resultante de uma série de fatores e variáveis relacionadas com a condição de trabalho.

Biografia do Autor

Chryslanne Lisboa S. Correa, Universidade Paulista UNIP

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista UNIP.

Orcid: http://orcid.org/0000-0002-7300-872X

Iel Marciano de Moraes Filho, Universidade Paulista UNIP

Possuo graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2014). Especialização em Enfermagem do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2016). Mestre em Ciências Ambientais e saúde pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2017). Orcid: http://orcid.org/0000-0002-0798-3949 Lattes: http://lattes.cnpq.br/4540309486777873. E-mail: ielfilho@yahoo.com.br.

Referências

[1] ALMEIDA, M.R.. Santos, J.; França, T.C.V. Síndrome Burnout em Técnicos de Enfermagem em Centro de Especialidades Médicas. Temas em Saúde. Edição Especial, João Pessoa, 2019.

[2] BRASIL. Ministério da Saúde. (2001). Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Disponível em http://dtr2001.saude. gov.br/editora/produtos/livros/pdf/02_0388_M1.pdf. Acesso em 3 de junho de 2020.

[3] COELHO, Maria Alice. A Enfermagem: principais dificuldades na prática e o caminho a ser seguido. Janeiro de 2014. Disponível em:. Acesso em: 22 fev. 2020.

[4] FERREIRA, Naiza do Nascimento.; Locca, Sérgio Roberto. Síndrome de Burnout em técnicos de Enfermagem de um hospital público do Estado de São Paulo. Rev. bras. Epidemiol. 2015.

[5] FONSECA, T.I. A qualidade de vida no trabalho, o estresse e seus impactos no ambiente de trabalho e a síndrome de Burnout. Universidade Cândido Mendes. RJ. 2018.

[6] GARCIA, Alessandra Bassalobre¹.; Haddad, Maria do Carmo Fernandez Lourenço².; Dellaroza, Mara Solange Gomes³.; Fernanda Ludmilla Rossi Rocha4.; Paloma de Souza Cavalcante Pissinati.; Estratégias utilizadas por técnicos de enfermagem para enfrentar o sofrimento ocupacional em um pronto-socorro. Revista Rene. marc-abr. 2016.

[7] GONÇAVES, Norma Leão. Técnico de enfermagem: estudo de funções em hospitais e clínicas particulares. Rev. Bras. Enferm. vol.32 no.2 Brasília, 1979.

[8] GRAZZIANO, Sem Nome; FERRAZ, Bianchi. Impacto do Stress Ocupacional e Burnout para Enfermeiros. Enferméria Global, [S.l.], v. 1, n. 18, p. 1-4,fev. 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2020.

[9] KRAFT, Ulrich. Esgotamento Total. Mente & Cérebro, [S.l.], p. 1-1, jun. 2006. Disponívelem:. Acesso em: 23 mar. 2020.
Lazarus RS, Folkman S. Stress, Appraisal, and Coping. New York: Springer Publishing Company;1984.

[10] LIMA, V.Z.; Baggio, D.; Fernandes, A.J. A importância da gestão de pessoas para a qualidade de vida no trabalho. Rev.Unifeso, Humanas e Sociais. Vol.4, nº4. Teresepólis-RJ, 2018.

[11] MORENO, F.N.; Pinn, G.G.; Haddadd, L.M.C.; Vannuchi, M.T.O. estratégias e intervenções no enfrentamento da síndrome de burnout. Rev. enferm. UERJ, jan/mar; 19(1):140-5. Rio de Janeiro. 2011

[12] MOURA, Reinaldo dos Santos.; Saraiva, Francisco Jolisom Carvalho.; Rocha, Kely Regina da Silva Lima.; Santos, Regina Maria.; Silva, Nayara Alexandra Rodrigues.; Albuquerque, Waleska Duarte Melo. Estresse, burnout e depressão nos auxiliares e técnicos em enfermagem das unidades de terapia intensiva. Revista eletrônica trimestral de enfermagem. Universidade de Murcia. Abril 2019

[13] PEDUZZI, M.; ANSELMI, M. L. O auxiliar e o técnico de enfermagem: categorias profissionais diferentes e trabalhos equivalentes. Rev. bras. enferm. vol.57 no.4 Brasília July/Aug. 2004


[14] ROCHA, E.S.B.; Trevizan, M.A. Gerenciamento da qualidade em um serviço de enfermagem hospitalar. Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.17 no.2 Ribeirão Preto Mar./Apr. 2009

[15] RODRIGUES, I.F. Estratégias de Coping no enfrentamento da vitimização de adolescentes. Rev CIPEEX, Vol. 2. Unievangélica. 2019.

[16] SANTOS, P.G. O Estresse e a Síndrome de Burnout em Enfermeiros Bombeiros Atuantes em Unidades de Pronto-Atendimentos (UPAS). Pós-Grad. Enf. UFERJ. 2010.

[17] SCHIMZ, Giliane Aparecida. Síndrome de Burnout : uma proposta de análise sob enfoque analítico-comportamental / Giliane Aparecida Schmitz. – Londrina, 2015.

[18] SIMÕES, J. Síndrome de Burnout na Equipe de Enfermagem: Desafios e Perspectivas –Uma Revisão de Literatura. Arquivos do Mudi, v. 24, n. 1, p. 133-144. UNOPAR. Santa Catarina: 2020.

[19] SOUZA, E.C.M. A Síndrome de Burnout em Profissionais de Saúde. 2017. Disponível em:. Acesso em: 23 mar. 2020.

[20] SOUZA, L.F.S.C.; Bezerra, M.M.M. Síndrome de Burnout e os cuidados da terapia cognitivo-comportamentaL. Rev.Mult. e de Psic. Id on line. V.13, Nº 47. UFCA-Ce.2019.

[21] SOUZA, A.M.J.; Nascimento P.S.; Borges, J.S; Lima, T.B.; Chaves S.N. Síndrome de Burnout: Fatores de risco em enfermeiros de unidades de terapia intensiva. C&D-Rev. El. da FAINOR, Vitória da Conquista, v.11, n.2, p. 304-315, maio/ago. 2018.
Publicado
2020-06-13
Como Citar
S. Correa, C. L., & Filho, I. M. de M. (2020). BURNOUT EM TÉCNICOS DE ENFERMAGEM: UMA REVISÃO NARRATIVA . Revista JRG De Estudos Acadêmicos , 3(6), 248-262. https://doi.org/10.5281/zenodo.3893258