Principais erros encontrados em prontuários da UTI durante a análise do Enfermeiro Auditor

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55892/jrg.v6i13.733

Palavras-chave:

Auditoria de Enfermagem, Unidade de Terapia Intensiva, Registros de Enfermagem, Avaliação de Processos em Cuidados de Saúde

Resumo

A palavra auditoria vem do verbo latim “audire” definido como “aquele que ouve”, sendo aplicada pelos ingleses mais tarde como “auditing”, que significa um exame cuidadoso e sistemático das atividades desenvolvidas em determinada organização. Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um ambiente de alta complexidade assistencial e requer equipe de enfermagem especializada. Devido à complexidade de cuidados neste setor, é necessário que a comunicação seja escrita. Sendo assim, em um setor com características peculiares, que reúne um montante de pessoas em estado crítico, há a necessidade de uma avaliação criteriosa dos registros para se evitar perdas. Diante disso, o presente estudo teve como objetivo responder a seguinte questão norteadora: Quais os principais erros encontrados nos registros de Enfermagem em prontuário de pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva durante a análise do Enfermeiro Auditor? Este estudo de revisão integrativa foi desenvolvido cinco etapas. Como resultados obtivemos vários erros encontrados nos prontuários durante análise da auditoria em enfermagem. Com base nos resultados obtidos será possível traçar estratégias futuras para prevenção de erros nos registros de enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce Pereira Santos, Rede Nordeste de Biotecnologia, RENORBIO, Brasil


[Lattes]
Atualmente cursa Doutorado em Biotecnologia em Saúde pela Rede Nordeste de Biotecnologia (FRENORBIO/UFMA), projeto atualmente financiado pela FAPEMA. Bacharela em Enfermagem (IESF), Especialista em Auditoria em Serviços de saúde (COFEN), Gestão e Planejamento em Saúde (COFEN), Enfermagem em Unidade de Terapia intensiva (FACUMINAS) e em Docência em Enfermagem (FACUMINAS). Possui Aperfeiçoamento em Preceptoria em Saúde (UFMA). 

Nisiane dos Santos, Instituto de Ensino Superior Franciscano, IESF, Brasil


[Lattes]
Residente em Enfermagem em Atenção Cardiovascular no hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão - HUUFMA pelo Programa de Residência Multiprofissional da Rede Ebserh, integrante do projeto de extensão DOR & COVID do HUUFMA. Durante a graduação foi Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas Multidisplinares em Saúde (NEPMS) do IESF, na linha de pesquisa cuidado ao paciente crítico e ligante na Liga Acadêmica de Enfermagem Ginecológica e Obstétrica do IESF (LAEGO-IESF).

Ianne Barcelos Oliveira Costa, Faculdade Redentor, FACREDENTOR, Brasil


[Lattes]

Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Santa Terezinha - CEST (2008).Especialista em Saúde da Família e Terapia Intensiva em Enfermagem Atualmente é enfermeira do Serviço de Antedimento Móvel de Urgência - SAMU. Possui prática em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), UTI Cardio, PSF, Gestão em Enfermagem, Núcleo de Educação Permanente, Docência e Urgência e Emergência, e Gestão de Qualidade. 

Taynar da Costa Almeida, Federal University of Maranhão


[Lattes]
Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Santa Teresinha (CEST), Brasil (2010). Tem especialização na modalidade residência multiprofissional em saúde com área de concentração em atenção cardiovascular pela UFMA, Brasil (2016). Participou da estratégia em saúde da família (ESF) como Enfermeira em Matões do Norte de 2013 a 2014. Depois de março de 2016, integrou a equipe de enfermagem como Enfermeira Assistencial em Cardiologia da EBSERH, lotada no Hospital Universitário Presidente Dutra.

Débora de Jesus dos Santos Menezes, Universidade Ceuma, UNICEUMA, Brasil


[Lattes]
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Ceuma(2011). Atualmente é Enfermeira da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem em Centro Cirúrgico. 

Katiana Patrícia Marques Ramada, Instituto Florence de Ensino Superior, IFES, Brasil


[Lattes]

Possui graduação em Enfermagem pelo Centro Universitário do Maranhão - UniCEUMA(2005). É especialista em Unidade de Terapia Intensiva pela Universidade Federal do Maranhão. Atualmente é enfermeira do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão - HUUFMA e do Hospital Dr. Carlos Macieira. Tem experiência profissional em Enfermagem, com ênfase em Centro Cirúrgico, Serviço de Internação, Programa Saúde da Família, Nefrologia e demais atividades relacionadas à Enfermagem Assistencial. 

Referências

CASARIN, Sidnéia Tessmer et al. Tipos de revisão de literatura: considerações das editoras do Journal of Nursing and Health/Types of literature review: considerations of the editors of the Journal of Nursing and Health. Journal of Nursing and Health, v. 10, n. 5, 2020.

CORDEIRO, Francislene de Fátima; DYNIEWICZ, Ana Maria; KALINOWSKI, Luísa Canestraro. AUDITORIA EM REGISTROS DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. Revista de Enfermagem UFPE. v. 6, 2011.

DA COSTA, Theo Duarte; DE BARROS, Adriana Gonçalves; SANTOS, Viviane Euzébia Pereira. Registros da equipe de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista Baiana de Enfermagem‏, v. 27, n. 3, 2013.

DE AQUINO, Maria de Jesus Nascimento et al. Anotações de enfermagem: avaliação da qualidade em unidade de terapia intensiva. Enfermagem em Foco, v. 9, n. 1, 2018.

DE FREITAS JÚNIOR, Silvio Rosa. Qualidade dos registros de enfermagem em unidade de terapia intensiva: contribuição nos processos de auditoria e assistência em saúde. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 12, n. 12, p. e5301-e5301, 2020.

COSTA, Fernanda Marques; RODRIGUES, Alex Oliveira. Auditoria operacional: não conformidades em registros de enfermagem. Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde, v. 1, n. 1, p. 25-28, 2015.

LIMA, Suzana Santos et al. Auditoria em saúde: um estudo em organizações militares do Exército Brasileiro. 2021.

NETTO, Shana Marques et al. Análise dos registros referentes ao balanço hídrico em unidade de terapia intensiva. Revista de Enfermagem da UFPE online, p. 448-456, 2015.

RUBIN, Onilda et al. AUDITORIA NA QUALIDADE DE ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, v. 9, n. 4, p. 1013-1040, 2023.

RODRIGUES, Alâne Dos Santos Vieira et al. Desafios da assistência de enfermagem humanizada na unidade de terapia intensiva: uma revisão integrativa da literatura. 2023.

SETZ, Vanessa Grespan; D'INNOCENZO, Maria. Avaliação da qualidade dos registros de enfermagem no prontuário por meio da auditoria. Acta paulista de enfermagem, v. 22, p. 313-317, 2009.

SIMÕES, Patrick de Oliveira Pitta. Os limites da auditoria interna (o perfil do auditor e o whistleblowing). 2017. Tese de Doutorado.

Downloads

Publicado

2023-10-18

Como Citar

SANTOS, J. P.; SANTOS, N. dos; COSTA, I. B. O.; ALMEIDA, T. da C.; MENEZES, D. de J. dos S.; RAMADA, K. P. M. Principais erros encontrados em prontuários da UTI durante a análise do Enfermeiro Auditor. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 1479–1485, 2023. DOI: 10.55892/jrg.v6i13.733. Disponível em: http://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/733. Acesso em: 4 mar. 2024.

ARK