A dialética sobre políticas públicas para a educação brasileira: a aplicação à educação tecnológica e a desvalorização do ensino no âmbito das competências informacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55892/jrg.v6i13.824

Palavras-chave:

Mundialização, Tecnologias da Informação e Comunicação, Governança digital, Letramento Informacional, Competências informacionais

Resumo

Que as novas tecnologias, como resultado da mundialização da economia e da globalização digital, exigem processos dialógicos, pautados em fatos e focados em resultados e debate, é o que diz a dialética. Para tanto, este estudo objetiva compreender as políticas públicas, no seu sentido mais amplo, que ultrapassem a questão partidária e representativa de grupos políticos e objetiva pensar as políticas públicas x novas tecnologias, com os seus processos dialógicos, para cumprimento das metas impostas pela legislação (lei 13.005/2014). O artigo enfatiza ainda a compreensão da aplicação de diretrizes de governança na educação brasileira, com o objetivo de focar nas possibilidades e necessidades que a educação deste século depende, além de observar a aplicação de tais diretrizes voltadas ao ensino tecnológico, que vem se acentuando nas práticas sociais da contemporaneidade, seja nos aspectos que envolvem a governança digital, quanto na prestação de serviços, voltados à educação. A pesquisa estende-se a enfatizar as necessidades de implementação da e-governance respaldada as competências informacionais e digitais necessárias a uma população ainda carente de acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação, habilidades do letramento, que surgem no âmbito da educação brasileira, com maior evidência no período de emergência em saúde global no qual ainda se vive os reflexos. Nesta seara a ciência se torna uma aliada na busca de soluções para a convivência social plena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo dos Santos Guimarães, Universidade de Uberaba

[Lattes] - Graduado em Letras – Língua Portuguesa pela Universidade de Uberada (UNIUBE).

Antônio Adônnis Sátiro de Souza, Centro Universitário de Goiás

[Lattes] - Mestre em Educação pela Must University, Flórida - EUA.  Licenciado em Pedagogia e Filosofia pela FECH/UNIMES-SP. Licenciado em Ciências Sociais pela FFCHL/ETEP-SP e Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela UNIDERP. Professor Assistente do Centro Universitário de Goiás – UNIGOIÁS.

Vagner Reis da Silveira, Centro Universitário de Goiás

[Lattes] - Doutor em Eng. Civil pela COPPE/UFRJ. Mestre em Ecologia e Ecossistemas pelo PPGE/UFRJ. Licenciado em Ciências Biológicas pelo IB/UFRJ. Bacharel em Ecologia pela UFRJ. Professor Adjunto do Centro Universitário de Goiás – UNIGOIÁS.

Referências

Abe, J. A. A. (2020). Big five, linguistic styles, and successful online learning. The Internet and Higher Education, 45, 100724. https://doi.org/10.1016/j.iheduc.2019.100724

Anrijs, S., Mariën, I., De Marez, L., & Ponnet, K. (2023). Excluded from essential internet services: Examining associations between digital exclusion, socio-economic resources and internet resources. Technology in Society, 73, 102211. https://doi.org/10.1016/j.techsoc.2023.102211

Assmann, H. (2000). A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ci. Inf., Brasília, 29(2).

Azevedo, I. C. M. D., & Gasque, K. C. G. D. (2017). Contribuições dos letramentos digital e informacional na sociedade contemporânea. Transinformação, 29(2), 163–173. https://doi.org/10.1590/2318-08892017000200004

Barrutia, J. M., & Echebarria, C. (2021). Effect of the COVID-19 pandemic on public managers’ attitudes toward digital transformation. Technology in Society, 67, 101776. https://doi.org/10.1016/j.techsoc.2021.101776

Beck, C. (2022). Como aprender a aprender? Andragogia Brasil. Disponível em: https://andragogiabrasil.com.br/como-aprender-a-aprender.Acessado em: 15 out. 2022

Bergmann, H. M. B. (2006). Escola e inclusão digital: desafios na formação de redes de saberes e fazeres (Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Brasil. (2002). Ministério da Educação. ProInfo: Perspectivas e desafios - Relatório de Avaliação – UnB. Brasília. Documento.

Brasil. (2014). Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências.

Brasil. (2014). Ministério da Educação. Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE), Brasília.

Brasil. (2021). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Acesso a Internet já é acessível em 90,0% dos domicílios do país em 2021. PNAD TIC. Agência de notícia IBGE. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/34954-internet-ja-e-acessivel-em-90-0-dos-domicilios-do-pais-em-2021. Acessado em 15 nov. 2023

Brasil. (2021). Lei n° 14. 180 de 1° de julho de 2021. Institui a Política de Inovação Educação Conectada. Diário oficial da União: seção 1, Brasília, DF.

Brasil. (2022). Ministério da Educação. Programa de Informática na Educação. ProInfo: Portal do FNDE. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/programas/proinfo. Acessado em: 20 set. 2022.

Cavalcante, P. & Pires, R. (2018). Governança Pública: Construção de Capacidades para a Efetividade da Ação Governamental. Nota Técnica, nº 24. Ipea. Governo Federal. Recuperado de: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8581/1/NT_24_Diest_Governan%c3%a7a.pdf. Acessado em: 11 jul. 2023.

Cifuentes-Faura, J. (2020). Consecuencias en los niños del cierre de escuelas por covid-19: El papel del gobierno, profesores y padres. Revista Internacional de Educación para la Justicia Social, 9(3).

Dias, É., & Pinto, F. C. F. (2019). Educação e Sociedade. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 27(104), 449–454. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701041

Dias, É., & Pinto, F. C. F. (2020). A Educação e a Covid-19. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 28(108), 545–554. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002801080001

Gasque, K. C. G. D. (2012). Letramento Informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem. Brasília: Faculdade de Ciência da Informação/ UnB.

Gasque, K. C. G. D. (2013). Competência em Informação: conceitos, características e desafios: novas práticas em informação e conhecimento, Curitiba, 2(1), 5-9.

Gómez, M. N. (2002). Novos cenários políticos para a informação. Ciência da Informação, Brasília, 31(1) 27-41.

Gracino, E. R., Silva, R. M. D., Vaz, J. D. A., & Leal, S. D. R. F. (2021). A pandemia e a educação na escola pública: A dualidade do ensino e a diferença das classes sociais. Revista HISTEDBR On-line, 21, e021049. https://doi.org/10.20396/rho.v21i00.8665300

Guo, C., & Wan, B. (2022). The digital divide in online learning in China during the COVID-19 pandemic. Technology in Society, 71, 102122. https://doi.org/10.1016/j.techsoc.2022.102122

Isaac, O., Aldholay, A., Abdullah, Z., & Ramayah, T. (2019). Online learning usage within Yemeni higher education: The role of compatibility and task-technology fit as mediating variables in the IS success model. Computers & Education, 136, 113–129.

Lakatos, E.M., & MARCONI, M.A. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Luckesi, C.C. (1999). Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. – 9ª ed. – São Paulo: Cortez.

Lynch, K., & Kim, J. S. (2017). Effects of a summer mathematics intervention for low-income children: A randomized experiment. Educational Evaluation and Policy Analysis, 39(1), 31–53. https://doi.org/10.3102/0162373716662339

Martins, T.S. (2008). Os programas de Inclusão Digital do Governo Federal sob a óptica da Competência Informacional. Trabalho de conclusão de curso (graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências Humanas e da Educação, Departamento de Biblioteconomia e Gestão da Informação, Florianópolis, 2008. 73f.

Michaela-Zoi P. (2023).The COVID pandemic through the eyes of a student. (online) Disponível em: https://www.elsevier.com/en-gb/education/learning-together/student-voices/Challenges-Faced-by-Students-During-the-Pandemic.

Moran, J.M. (2013). Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Disponível em:http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/metodologias_moran1.pdf.s/d. Acessado em: 27 mar. 2022.

Paro, V. H. (2016). Gestão Democrática da Escola Pública. São Paulo, Cortez.

Pimenta, M.S., & Canabarro, D.R. (2014). Governança Digital [recurso eletrônico]. Porto Alegre: Editora da UFRGS/CEGOV, 2014. 212p.: pdf. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/197238/001097969.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acessado em: 20 out. 2023.

RBA. Revisa Brasil Atual. Educação. Plano Nacional de Educação chega aos sete anos com menos de 15% das metas atingidas. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/educacao/2021/06/plano-nacional-de-educacao-chega-aos-sete-anos-com-menos-de-15-das-metas-atingidas/> Acessado em: 17 jun. 2022.

Santos, A.I.R., & Zattar, M. (2021). Biblioteca escolar e Competência em Informação: experiência na pandemia. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, 17, 01-15.

Selvaraj, A., Radhin, V., Ka, N., Benson, N., & Mathew, A. J. (2021). Effect of pandemic based online education on teaching and learning system. International Journal of Educational Development, 85, 102444. https://doi.org/10.1016/j.ijedudev.2021.102444

Shah, S. S., Shah, A. A., Memon, F., Kemal, A. A., & Soomro, A. (2021). Online learning during the COVID-19 pandemic: Applying the self-determination theory in the ‘new normal’. Revista de Psicodidáctica (English Ed.), 26(2), 168–177. https://doi.org/10.1016/j.psicoe.2020.12.003.

Silveira, M.M., & Oddone, N. (2007). Necessidades e comportamento informacional: conceituação e modelos. Ci. Inf., Brasília, 36(1),118-127.

Souza, C. (2006). Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, 8(16), 20-45.

Stumpf, K. (2020). Políticas públicas de informação e tecnologia: Influências midiáticas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 144–170. https://doi.org/10.32749/nucleodoconhecimento.com.br/comunicacao/influencias-midiaticas

Takahashi, T. (2000). Sociedade da Informação no Brasil: livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia.

Teixeira, E. C. (2002). O papel das políticas públicas no desenvolvimento local e na transformação da realidade. Revista AATR.

Veen, W., & Vrakking, B. (2009). Homo zappiens: educando na era digital. Tradução: Vinícius Figueira. São Paulo: Artmed.

Wilson, C. (2013). Alfabetização midiática e informacional: currículo para formação de professores. Brasília: UNESCO, UFTM,194 p.

Downloads

Publicado

2023-12-04

Como Citar

GUIMARÃES, R. dos S.; SOUZA, A. A. S. de .; SILVEIRA, V. R. da. A dialética sobre políticas públicas para a educação brasileira: a aplicação à educação tecnológica e a desvalorização do ensino no âmbito das competências informacionais. Revista JRG de Estudos Acadêmicos , Brasil, São Paulo, v. 6, n. 13, p. 2193–2210, 2023. DOI: 10.55892/jrg.v6i13.824. Disponível em: https://revistajrg.com/index.php/jrg/article/view/824. Acesso em: 21 jul. 2024.

ARK